Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ministra recebe hoje Comit Africano

18 de Abril, 2019

Ministra toma conhecimento sobre a realizao dos eventos desportivos em frica

Fotografia: Kindala Manuel

O protocolo recentemente rubricados entre o Comité Paralímpico Africano (CPA) e o governo marroquino para a realização dos Jogos Paralímpicos Africanos vai ser tema da audiência a ser concedida hoje, às 14h00 pela ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento Neto, a Leonel da Rocha Pinto, presidente do CPA e signatário do documento.
Durante o encontro com a governante são abordados também aspectos relativos a outra prova continental, de futebol para amputados, que está aprazada para o período entre 30 de Setembro a 10 de Outubro na cidade de Benguela, segundo António da Luz, secretário-geral do CPA. .
Uma importante delegação do CPA, dirigida pelo seu presidente, rubricou em Marrocos o protocolo que atribui a organização dos Pára-jogos Africanos àquele país e manteve contactos com as autoridades marroquinas, entre as quais o ministro dos Desportos, Rachid Talbialami.
Consta do protocolo, os jogos vão ser disputados por um total de 1000 atletas e a vila olímpica deverá estar preparada para acolher cerca de três mil pessoas. Esta vai ser a primeira edição dos Pará-jogos Africanos, plataforma que vai permitir o apuramento dos atletas do continente aos Jogos Paralímpicos. Até então, os atletas de África eram obrigados a disputar provas fora do continente para garantirem o apuramento aos Jogos Paralímpicos.
Sete modalidades, nomeadamente, basquetebol em cadeira de rodas, atletismo, voleibol sentado, natação, boxe, badminton e lançamento de dardos foram escolhidas para corporizar os Pará-jogos Africanos.
Leonel da Rocha Pinto e a sua comitiva vão também abordar os passos dados do sentido da realização do Campeonato Africano de Futebol com muletas a ser disputado em Angola, na cidade de Benguela, entre Setembro e Outubro próximos.
Já está definido o quadro de participantes na prova, através das confirmações recebidas pelo CPA. Para já, Angola, campeã mundial, pode ser a única nação lusófona a competir ante a desistência da Guiné-Bissau e o silêncio de Moçambique, até terminar o prazo das inscrições.
Estão confirmadas as presenças de Angola, Camarões, Ghana, Libéria, Marrocos, Nigéria, Quénia, Ruanda, Serra Leoa, Sudão, Tanzânia, Togo e Uganda.
À margem do campeonato africano realiza-se no dia 1 de Outubro o Congresso da Federação Africana de Futebol para Amputados (FAFA). O destaque da agenda vai para a eleição da nova direcção.
Na última edição do Campeonato Africano de Futebol para Amputados, disputada em 2013, no Quénia, a selecção nacional foi vice-campeã continental. Em 2018, o conjunto angolano sagrou-se campeão mundial no México.