Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ministra remarca audincia com CPA

Silva Cacuti - 20 de Abril, 2019

Ana Paula Sacramento Neto, vai ser informada do protocolo recentemente rubricados entre o Comit Paralmpico Africano

Fotografia: Edies Novembro

Apenas na próxima segunda-feira, a ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento Neto, vai ser informada do protocolo recentemente rubricados entre o Comité Paralímpico Africano (CPA) e o governo marroquino para a realização dos Jogos Paralímpicos Africanos. A governante adiou a audiência a Leonel da Rocha Pinto, presidente do CPA e signatário do documento, inicialmente marcada para a quinta-feira, por questões de agenda.

O CPA pretende pôr a governante ao corrente das principais incidências do documento e, também, abordar os aspectos relativos ao Campeonato Africano de Futebol para Amputados que o país acolhe, em Benguela, entre 30 de Setembro a 10 de Outubro.

Uma importante delegação do CPA, dirigida pelo presidente, rubricou em Marrocos o protocolo que atribui a organização dos Pára-jogos Africanos àquele país e manteve contactos com as autoridades marroquinas, entre as quais o ministro dos Desportos, Rachid Talbialami.

À luz do protocolo assinado, Marrocos mostra-se disponível a alojar cerca de quatro mil pessoas, entre atletas, acompanhantes e oficiais. Através dos Pára-jogos o continente africano vai apurar os atletas aos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

Sete modalidades foram escolhidas para corporizar os Pára-jogos africanos. Trata-se de basquetebol em cadeira de rodas, atletismo, voleibol sentado, natação, boxe, badminton e lançamento de dardos. 

Já está definido o quadro de participantes na prova, através das confirmações recebidas pelo CPA. Para já, Angola, campeã mundial, pode ser a única nação lusófona a competir ante a desistência da Guiné-Bissau e o silêncio de Moçambique, até terminar o prazo das inscrições.

Estão confirmadas, as presenças de Angola, Camarões, Ghana, Libéria, Marrocos, Nigéria, Quénia, Ruanda, Serra Leoa, Sudão, Tanzânia, Togo e Uganda.