Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ministro da Defesa garante segurança

25 de Junho, 2016

Planos de segurança estão em permanente revisão e discutidos com autoridades de outros países

Fotografia: DR

O ministro da Defesa do Brasil disse na quarta-feira que o país está a preparar um esquema de segurança para os Jogos Olímpicos, “à dimensão do evento” e admitiu um aumento do destacamento das forças armadas.

Raúl Jungmann participou com os ministros da Justiça e da Segurança Institucional num seminário organizado pelas Forças Armadas, para discutir os planos de segurança, que estão a ser desenvolvidos há sete anos.

Em declarações aos jornalistas, Raúl Jungmann explicou que os planos de segurança estão em permanente revisão, e são discutidos com as autoridades de outros países, em função de necessidades particulares e dos protocolos estabelecidos para os Jogos Olímpicos que decorrem de 05 e 21 de Agosto.

O ministro da Defesa admitiu que a revisão leva a um aumento dos efectivos das Forças Armadas destacados para a segurança, a pedido das autoridades do Rio de Janeiro.

Além dos elementos das Forças Armadas estão destacados para a segurança dos Jogos Olímpicos 48.000 efectivos de diferentes estruturas da polícia.
Jungmann admitiu que as autoridades vão ter especial atenção às ameaças terroristas e assegurou, no entanto, que “não existem ameaças identificadas”.

O ministro referiu que os Jogos Rio2016 encarnam “o sonho olímpico de um mundo em paz e união”, mas lembrou: “não devemos esquecer que no mundo actual, esses sonhos às vezes são perturbados por pesadelos originados pela fragmentação política”.

Raúl Jungmann admitiu que o Brasil recebe os Jogos Olímpicos, e em Setembro os Paralímpicos, “num momento delicado”, numa alusão à suspensão da presidente do país, Dilma Rousseff.

De acordo com o ministro, o presidente interino, Michel Temer está empenhado “em garantir em pleno” a segurança de todos os participantes no maior evento desportivo do mundo.


INDONÉSIA
Pensão vitalícia para medalhistas de ouro


O governo da Indonésia prometeu um prémio de cinco bilhões de rupias (333.000 euros) e pensão vitalícia aos atletas que conquistarem a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016.

O anúncio foi feito pelo Ministério dos Desportos do arquipélago do sudeste asiático.

A Indonésia pretende estimular os atletas, com uma recompensa cinco vezes maior que a dos Jogos de Londres'2012.

"É para motivar os atletas e que tenham metas altas", declarou à AFP o porta-voz do Ministério da Juventude e Desportos, Gatot Dewa Broto.

A medalha de prata rende um prémio de dois bilhões de rupias (133.000 euros) e a de bronze um bilhão de rupias (66.500 euros).

Além dos prémios, os medalhistas de ouro também recebem uma pensão vitalícia de quase 1.300 euros por mês.

 O valor da pensão é menor para os medalhistas de prata e bronze. Em Londres'2012, a Indonésia não conquistou nenhuma medalha de ouro, apenas uma prata e uma de bronze.

As principais modalidades do país são o badminton, o halterofilismo e o tiro com arco.


JANELA OLÍMPICA


QUÉNIA
Presidente empenhado
na luta contra doping


O presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, garantiu na quinta-feira que o país está empenhado em cumprir o código da Agência Mundial Anti-dopagem (AMA) e lutar por um desporto limpo."Estamos ansiosos por uma avaliação da AMA, que diga que estamos em conformidade com as regras anti-doping”, afirmou Kenyatta e  acrescentou: “O Quénia sempre defendeu um desporto limpo e quer continuar a fazê-lo".

O presidente queniano assinou hoje uma nova lei anti - dopagem, que permita ao país cumprir os critérios da AMA.

O organismo mundial de combate ao doping estabeleceu um prazo para que o Quénia adaptasse o seu código anti-dopagem às regras do organismo internacional, sob pena dos atletas quenianos serem impedidos de participar no maior evento desportivo mundial.

Na terça-feira, o COI afirmou que as deficiências detectadas nos procedimentos do Quénia e da Rússia, em matéria de realização de testes anti-doping, levantavam sérias dúvidas sobre a presunção de inocência dos atletas daqueles países.

No mesmo dia, o organismo olímpico anunciou que os desportistas da Rússia e do Quénia devem ser avaliados, individualmente, pelas federações internacionais para poderem ser elegíveis para participarem nos Jogos Olímpicos Rio2016.


SUÍÇA
Campeão de ciclismo
falha jogos por lesão


O suíço Stefan Kung campeão mundial de perseguição individual de ciclismo de pista, em 2015, é baixa nos Jogos Olímpicos Rio2016, devido a uma queda no contra-relógio dos campeonatos suíços, na quarta-feira.

Segundo a equipa do ciclista, a BMC, Kung de 22 anos fracturou a clavícula esquerda e o osso ilíaco, não recupera a tempo de integrar a delegação suíça presente no Rio de Janeiro.

“Stefan (Kung) precisa de quatro a seis semanas para voltar a uma bicicleta”, explicou o responsável pelo departamento médico da equipa norte-americana, Max Testa, no comunicado distribuído pela equipa.

Os Jogos Olímpicos Rio2016 disputam-se de 05 e 21 de Agosto.