Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

MINJUD preocupado com atletas sem B.I

Joo Francisco - 01 de Novembro, 2018

Operadores do desporto abordaram a estratgia para recuperar as infra-estruturas

Fotografia: Dombele Bernardo / Edies Novembro

A ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento Neto, manifestou-se preocupada, durante o XI Conselho Consultivo Alargado, com a legalidade de alguns atletas nacionais que vão representar o país nos Jogos da SADC, de 5 a 7 de Dezembro próximo em Gaberone. A maioria não dispõe de Atestado de Nascimento nem de Bilhete de Identidade, documentos essenciais para a emissão de passaportes de serviço.
Em jeito de alerta, Ana Paula Sacramento Neto apelou às Federações Desportivas Nacionais a juntarem-se às famílias de atletas para dirimirem a situação.
\"Mesmo com a preparação da missão atempadamente, deparamo-nos com situações de atletas sem documentação, o que constitui alerta a todas as Federações; é uma questão que deve ser resolvida na base\", disse a governante, que se vê obrigada a intervir junto de autoridades migratórias e de justiça para acudir as situações pontuais.
Sobre o estado de preparação da missão angolana para os Jogos da SADC, o Director Nacional dos Desportos, Nicolau Daniel, assegurou que estão definidos 180 elementos, contra os 195 eleitos anteriormente. O Secretário-Geral do Comité Paralímpico Angolano, António da Luz, é o chefe da Missão.
Angola vai desfilar nas modalidades de atletismo, atletismo adaptado, futebol, basquetebol, ténis e boxe nas categorias de Sub-16 e de Sub-17. A viagem acontece na primeira semana de Dezembro, em voo fretado da transportadora nacional TAAG.
Sobre a infra-estrutura da Zona Económica Especial (ZEE), o Ministério da Juventude e Desportos pretende transformá-la em Centro de Estágio. Ana Paula Sacramento Neto pediu aos parceiros, a disponibilidade de encontrar empresas especializadas para modernizarem as instalações, face ao acentuado grau de degradação.
\"Não queremos apenas uma empresa. Precisamos de várias para tratarem do campo de futebol, campo polidesportivo, piscina e alojamentos. O restaurante está funcional, mas carece de nossa intervenção. O Centro Médico e o Ginásio são os melhores que temos no local\", disse a ministra.
O  Conselho Consultivo  recomendou que \"as infra-estruturas juvenis e desportivas, não obstante a escassez, algumas carecem de conclusão das obras\". No entanto, \"as que se encontram em uso, denota-se um avançado estado de degradação por deficiência de manutenção, gestão e conservação e, em alguns casos, por vandalismo, enquanto outras cumprem objecto social diferente daquele para os quais foram construídas\".
Para conferir os aspectos afins sobre as infra-estruturas, concluiu-se que \"se deve realizar um foro específico para abordar a definição de modelos de gestão, formação de potenciais gestores, em que se privilegie os jovens e antigos desportistas\".