Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Minjud realiza Workshop sobre gesto de instalaes desportivas

Silva Cacuti - 20 de Novembro, 2014

Governante procedeu abertura do workshop testemunhado por entidades polticas e desportivas no Centro de Conferncias de Belas

Fotografia: M. Machangongo

O Ministério da Juventude e Desportos busca um modelo de gestão, que permita às infra-estruturas desportivas do país serem auto-suficientes financeiramente, segundo Gonçalves Muandumba, titular da pasta ministerial. O governante falava ontem, na cerimónia de abertura do workshop temático sobre gestão de instalações desportivas, realizado no Centro de Conferências de Belas, em Luanda.

Falando para uma plateia em que pontificava o secretário de Estado do Desporto, Albino da Conceição, vice-governadores, directores nacionais e provinciais, gestores de instalações, dirigentes, atletas e ex-praticantes, o governante disse que a realização do workshop há muito se impunha e tornou-se mesmo “um problema”.

“Trazer à ribalta a discussão desta que é uma preocupação do Executivo angolano e dos agentes desportivos, a gestão de instalações desportivas escolares, dos clubes, as provinciais, as nacionais, como é o caso do Estádio 11 de Novembro, da Tundavala, de Ombaka, do Chiazi, uma Cidadela moderna e imponente, e do Pavilhão Multiusos de Luanda, construído por ocasião do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins, significa que pretendemos encontrar um modelo de gestão que permita a auto-suficiência da gestão das referidas instalações, onde quer que elas se encontrem”, considerou.

O workshop, encerrado ontem, teve como objectivo identificar as diferentes instalações desportivas e as tipologias; definir o perfil do gestor das instalações desportivas, contribuir para a elaboração de normas gestoras para as instalações desportivas, identificar e caracterizar, quanto aos objectivos, as diferentes fases de planeamento e gestão de uma instalação desportiva.

Na sua alocução, o ministro realçou que “a construção de infra-estruturas tem conhecido avanços significativos e impressionantes, um pouco por todo o nosso imenso país”. Por isso, consta da estratégia de desenvolvimento do desporto angolano a formação e construção de infra-estruturas.

Gonçalves Muandumba solicitou aos participantes uma reflexão sobre o modelo de gestão que se precisa para as infra-estruturas, entre um modelo único para todas as instalações desportivas, ou diferenciado tendo em atenção a superfície, a capacidade, a região, a localização, as modalidades, ou um modelo combinado.

Muandumba apresentou uma sugestão: “relativamente a estas duas últimas questões que consideramos magnas, parece-nos que poderíamos experimentar o modelo de parceria público-privada, um modelo que traga consigo, eficiência, profissionalismo, competência e rentabilidade. Por isso, lanço desde já um desafio aos agentes económicos quer públicos, quer privados para essa parceria”. Hoje e amanhã, decorre no mesmo local, o VIII Conselho Consultivo do Ministério da Juventude e Desportos.

MEDIDAS
Muandumba contra vandalismo


O ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, deplorou as cenas de vandalismo que muitas vezes se registam nas instalações desportivas. A abordagem de Muandumba ao assunto foi feita durante o workshop sobre gestão de instalações desportivas que decorreu ontem, no Centro de Conferências de Belas. O responsável chamou a atenção aos agentes desportivos para contrariarem a tendência de vandalismo que se regista nos nossos recintos desportivos.

“As emoções não explicam e tão-pouco justificam qualquer tipo de vandalismo. Para isso, temos de promover a educação para a cidadania, a educação dos utentes, dos espectadores das diferentes modalidades desportivas”, disse. O ministro também esclareceu as tarefas da imprensa nacional para a concretização do objectivo.

“Queremos contar com o aporte da imprensa que deverá reportar o vandalismo e os desmandos dos espectadores, dos amantes do desporto, mas que também deverá esclarecer, informar os espectadores, o público, do comportamento que deverá ser seguido, das boas maneiras, da necessidade de preservação dos equipamentos, do nosso património, do nosso bem comum”, frisou.

Para Gonçalves Muandumba, “se é verdade que sem espectadores não há festa, a educação dos que vão e fazem com que o desporto seja uma festa, nos estádios, nos pavilhões, nas quadras desportivas, é tarefa ingente e de todos nós”.

As últimas cenas de vandalismo no desporto nacional registaram-se há pouco menos de 15 dias, no jogo entre as equipas do Petro de Luanda e do 1º de Agosto, para a última jornada do Girabola 2014. Adeptos dos dois conjuntos entraram no relvado e protagonizaram acções contra o árbitro.             
SILVA CACUTI

REACÇÃO
Agentes elogiam a iniciativa

A realização de eventos culturais e religiosos em espaços desportivos em detrimento das actividades desportivas, a inoperância ou má utilização e degradação de equipamentos e recintos desportivos são situações que ocorrem muitas vezes, sem precisar procurar. Negligência e falta de formação especializada dos gestores destes espaços são algumas das causas apontadas, que contribuem para o crescente quadro de não aproveitamento e rentabilização dos recintos desportivos no país.

Estes cenários valorizam a realização do workshop sobre gestão de infra-estruturas desportivas, promovido pelo Ministério da Juventude e Desportos.
Hélder Sérgio “Dé”, ex-futebolista, participou no workshop e realça a aprendizagem como uma ferramenta para o seu dia-a-dia. Ligado à gestão de infra-estruturas do 1º de Agosto, Dé não tem dúvidas dos benefícios e pertinência da abordagem do tema.“Foi muito bom.

É algo relacionado com a minha actividade actual e foi interessante saber outros conceitos e outras experiências. Realmente, há um défice nesta área. Por isso, tiramos o máximo proveito deste workshop”, disse. Gerson Monteiro, antigo basquetebolista é responsável pelo basquetebol em Viana, também debitou sobre o assunto.

“A realização deste workshop tem grande valia para tudo que queremos planificar, tanto nos programas de desenvolvimento, nas actividades desportivas, recreativas e não só. Só veio ajudar a compreender que a gestão de uma infra-estrutura tem muitas assimetrias, implica muito mais coisas para além daquelas que sempre vemos. Desde novas tecnologias, recursos humanos, todos estes aspectos têm de ser pensados e repensados”, comentou.       
SILVA CACUTI

HOJE NO INAD
Conselho consultivo
aborda estratégia


A estratégia de desenvolvimento do desporto domina hoje o VIII Conselho Consultivo do Ministério da Juventude e Desportos que decorre até amanhã na Escola Nacional de Administração (ENAD), em Luanda. O evento com o lema “Certeza na Juventude, firmeza no desporto” conta com a participação de directores provinciais da Juventude e Desportos, presidentes das Federações desportivas, clubes, Associações juvenis e convidados.

A cerimónia de abertura é presidida pelo ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba. Aspectos ligados à participação de Angola nos Jogos Africanos, a decorrer em 2015, o programa de implementação das infra-estruturas sócio desportivas e a apresentação do portal do movimento nacional, também constam da agenda.

Outros temas do conclave estão relacionados com a conclusões do VII Conselho Consultivo, o relatório de actividades de 2013 e a implementação do Plano de Desenvolvimento da Juventude.

Os participantes abordam também o programa de actividades alusivas ao 40º aniversário da independência nacional, a ser celebrado no próximo ano, o uso dos símbolos nacionais, a relação entre dirigente desportivo e a imprensa e o censo populacional no desenvolvimento da prática desportiva.