Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Monte Saint-Michel na partida

11 de Dezembro, 2014

Monte Saint-Michel na partida

Fotografia: AFP

 “Um início monumental”, exclamou o director da corrida, Christian Prudhomme, durante a apresentação da partida para o Tour2016, no Monte Saint-Michel, o segundo local mais visitado de França a seguir à Torre Eiffel. Depois de dois inícios no estrangeiro, do norte de Inglaterra, em 2014,  da cidade holandesa de Utrecht em 2015, a “Grande Boucle” volta a começar em França e de um departamento do país de onde nunca partiu. O arranque da 103ª edição da corrida está marcado para 2 de Julho de 2016, num cenário com paisagens majestosas, nos quais se vai associar o colorido do pelotão, numa acção de promoção turística e da qual certamente, devem ficar imagens memoráveis.

A Volta a França já passou pelo Monte Saint-Michel, em 2012, na sua centésima edição, quando este lugar histórico recebeu um contra-relógio individual, no qual o britânico Chris Froome (SKY) praticamente assegurou a sua vitória final.“Aquelas imagens permanecem na nossa memória e devíamos regressar”, referiu Prudhomme.  Em Julho de 2016, já devem estar concluídas as obras na estrada que une o monte ao continente e permitir  a submersão e devolver  o carácter insular quando a maré está alta.

A primeira etapa da corrida conta com 188 quilómetros, desde o local de retiro dos monges medievais até Utah Beach, na localidade de Sainte-Marie-du-Mont, um dos cenários do desembarque na Normandia, em 6 de Junho de 1944. “Vai ser uma etapa claramente pensada nos sprinters”, assinalou o director do Tour.

Diferente vai ser o percurso da segunda tirada da corrida, em que os organizadores propõem um primeiro contacto com a média montanha e uma chegada em alto, no topo do La Glacerie, com três quilómetros de subida, com troços que chegam a ter 14 por cento de desnível. No total, vão ser 182 quilómetros entre Saint Lô e Cherbourg-Octeville com passagem por zonas escarpadas e pelo litoral marítimo, que podem apoquentar a tranquilidade do pelotão.

“O final é muito escarpado, é uma etapa para os aventureiros, mas os candidatos à classificação geral vão ser obrigados a dar as suas cartas”, salientou Prudhomme e assumiu ambicionar uma corrida” equilibrada e na qual todos os corredores têm terreno para mostrar os seus talentos”. Sobre a terceira etapa da Tour 2016, a organização desvendou apenas que vai começar em Granville e terminar no departamento da Mancha. Tanto o local do final desta etapa, como o restante percurso da corrida, só vão ser divulgados na apresentação oficial, agendada para 20 de Outubro de 2015.