Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Motivos para ver a prova

21 de Agosto, 2015

Felipe Massa quer voltar ao pódio

Fotografia: AFP

1. Dificultar a vida dos pilotos
O GP da Bélgica vai marcar a estreia de um novo procedimento de largada. Os engenheiros ficam proibidos de passar informações via rádio para os pilotos sobre as melhores configurações de embraiagem e mapeamento de motor durante a volta de apresentação, o que faz com que a largada dependa mais do 'feeling' do piloto. Isso pode complicar a vida de alguns, especialmente da Mercedes, que sofre com inícios ruins nas últimas provas.

2. Hamilton e Rosberg no palco de polémica

A Mercedes já adiantou que vai manter a hashtag usada no ano passado nas suas medias sociais: #noSPArring, ou sem lutas, numa tradução livre. Mas há 12 meses, a 'campanha' não adiantou e o clima esquentou entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton: o alemão tocou na roda traseira do companheiro, furou o pneu do carro do inglês e quebrou a própria asa dianteira, prejudicando a corrida de ambos. Nico Rosberg foi punido internamente pela equipa, num episódio que iniciou a reacção de Lewis Hamilton no campeonato.

3. Ferrari tenta manter embalo
Sebastian Vettel contou com a largada ruim das Mercedes na Hungria, mas também demonstrou um forte ritmo para vencer a prova disputada em Budapeste. Terceiro colocado durante boa parte da prova, Nico Rosberg não conseguiu acompanhá-lo, enquanto Hamilton tinha um GP cheio de problemas. Em Spa, a Ferrari tem um novo desafio, uma vez que o circuito da Bélgica, mais veloz, tem características diferentes da Hungria. Um bom desempenho da equipa de Maranello aumentaria as expectativas de uma segunda metade de época mais competitiva. Vai ser interessante ver como Kimi Raikkonen no circuito que obteve quatro das 20 vitórias da carreira.

4. Optimismo dos brasileiros

No caso da Williams de Felipe Massa, a expectativa é voltar aos bons desempenhos das três provas em que a equipa foi para o pódio (Canadá, Áustria e Inglaterra), devido às características da pista de Spa. A equipa inglesa deve contar ainda com uma evolução do motor Mercedes, que garante alguns cavalos a mais para as próximas provas. É o mesmo caso da Sauber de Felipe Nasr, que vai ter à disposição a actualização do motor Ferrari e parte do primeiro pacote aerodinâmico que a equipa vai colocar na pista na época.

5. McLaren promete grande salto
A melhoria pode não ser toda vista em Spa, pois a promessa da Honda é melhorar o motor aos poucos e o circuito belga não favorece o conjunto da McLaren. Porém, os japoneses garantem que controlaram os problemas de confiabilidade e que, a partir de agora, Alonso e Button podem usar toda a potência do motor. Essa potência vai aumentar nos próximos GPs. A meta da Honda é alcançar o nível da Ferrari nas próximas provas. A equipa também vai ter actualizações no carro.

Após dez etapas do campeonato, Lewis Hamilton lidera com 21 pontos de vantagem para o companheiro de Mercedes, Nico Rosberg. Felipe Massa é o sexto colocado, a três pontos do quarto, o companheiro de Williams Valtteri Bottas.