Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

MotoGP volta ao Brasil

26 de Agosto, 2013

O Mundial de MotoGP está de volta ao Brasil

Fotografia: AFP

O Mundial de MotoGP está de volta ao Brasil, dez anos depois. A notícia foi divulgada pela empresa Dorna, que tem os direitos comerciais do Campeonato do Mundo de MotoGP. Para que isso aconteça, são necessárias obras de melhoramento no Autódromo Nelson Piquet, em Brasília, para que o circuito possa ser homologado pela Federação Internacional de Motociclismo.A última vez que a prova rainha do motociclismo se disputou no Brasil foi em 2004, no Rio de Janeiro, ganha pelo japonês Makoto Tamada.

“O Brasil é um dos mercados de motociclismo mais importantes do mundo. É na América do Sul, pelo que o horário é muito bom para a cobertura televisiva, mas voltar ao Brasil é um desejo de toda a família do MotoGP há muitos anos e é um tema muito importante para nós”, sublinhou Carmelo Ezpeleta, da Dorna Sports.Para a entrada do Brasil, é preciso tirar uma prova do actual calendário, que conta com 18 corridas, quatro das quais em Espanha, três nos Estados Unidos e duas em Itália.República Checa, Malásia, Austrália, Japão, Qatar, França, Itália, Holanda e Alemanha também fazem parte do calendário.


ATLETISMO
Ortega abandona Cuba


O atleta cubano Orlando Ortega, especialista nos 110 metros barreiras, abandonou a delegação do seu país após a participação nos Mundiais de Atletismo de 2013, que foram disputados em Moscovo, na Rússia.Orlando Ortega, de 22 anos, regressou à competição nos Mundiais de Moscovo após ter sido punido pela federação cubana de atletismo, por não ter participado numa prova, mas falhou a presença na final dos 110 metros barreiras.

O atleta cubano mostrou-se, na altura, desapontado com o resultado alcançado e acusou a federação do seu país de ter sido responsável pelo fraco rendimento, provocado, em sua opinião, pela ausência de ritmo competitivo.A federação cubana, na sua página oficial, condena a atitude do atleta, considerando-a desonrosa para o desporto, enquanto os serviços de imigração e a federação de atletismo russa dizem desconhecer o paradeiro de Orlando Ortega.