Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Motores roncam domingo no GP de Paul Ricard

Altino Vieira Dias - 20 de Junho, 2019

Alemo Sebastian Vettel e a escuderia Ferrari desperdiram a oportunidade de chegar ao primeiro triunfo no Circuito de Gilles Villeneuve

Fotografia: DR

A Fórmula 1 é o pináculo do desporto motorizado, uma competição em que homens e máquinas são testados até ao limite absoluto, tomando a fiabilidade crucial para o sucesso. Não foi por acaso que em Gilles Villeneuve se viu uma Ferrari com domínio sobre a Mercedes nas rectas.
A Mercedes vai para Paul Ricard, em França com um único objectivo: obter a oitava vitória da temporada, mas, pelo que tudo indica, poderá contar com a forte oposição da Ferrari, que em Gilles Villeneuve viu o seu piloto relegado para o segundo depois de superar Lewis Hamilton na pista.
Gilles Villeneuve foi uma oportunidade perdida para o alemão Sebastian Vettel e a Ferrari somarem a primeira vitória da temporada de 2019. O carro rápido poderia ter ganho a “pole” e a corrida, desperdiçadas por uma combinação de erros do piloto e da equipa. Vettel perdeu o controlo do seu carro e foi parar na relva, fazendo corta mato quando estava a ser pressionado pelo inglês Lewis Hamilton e retornou à pista de maneira pouco segura, o que poderia causar um acidente entre ambos os pilotos.
Fruto dessa situação, foi penalizado com cinco segundos e a Ferrari errou ao não ter avisado ao monegasco Charles Leclerc que Sebastian tinha uma penalização, pois o  monegasco poderia aumentar o ritmo para se encostar e tirar Vettel do sufoco.
Para os amantes da teoria da conspiração, a Ferrari estava a proteger Vettel de Leclerc e não de Hamilton, pois Vettel não só perderia o primeiro lugar para o piloto inglês como também perderia o segundo  para Leclerc, isto é uma prova indiscutível de que o alemão continua a ser blindado pela Ferrari.
Para Jacques Villeneuve, campeão do mundial de 1997, “Hamilton conseguiu impor uma penalidade a Vettel em Gilles Villeneuve já que ele é bom nisso.” A Ferrari confirmou que já não irá recorrer da penalização imposta a Vettel, o que deixou o piloto mais distante na luta pelo título.  Sebastian Vettel afirmou que a Fórmula 1 de hoje já  não é o desporto pelo qual se apaixonou.
O piloto alemão vai para o Circuito de  Paul Ricard, na França, com “fel” na boca,  pois a vitória que lhe foi “roubada” no Canadá ainda está na sua mente, mas voa para Paul Ricard com o objectivo de somar a sua primeira vitória da temporada. A vitória tirada no Canadá encerraria o seu  longo jejum.
A sua última vitória foi no Grande Prémio na Bélgica, no circuito de Spa-Francourchamps, no dia 26 de Agosto de 2018. Voltará Vettel, na França,  a ter o mesmo rendimento que teve no Canadá? O alemão vai com o “peso” de ser o maior errante do GP do Canadá. Não nos podemos esquecer de que, no ano passado, entre os vários circuitos em que ele cometeu uma série de erros, Paul Ricard foi o primeiro, onde lançou o seu Ferrari contra o Mercedes do finlandês Valtteri Bottas.
Pierre Gasly, da Red Bull Racing Honda, e Romain Grosjean, da Haas Ferrari, terão muito apoio dos fãs já que serão os únicos franceses em pista, Daniel Ricciardo e Nico Hulkenberg também serão muito apoiados por pilotarem pela única equipe francesa em pista, ou seja a Renault. Ricciardo e Hulkenberg tiveram uma pontuação dupla no Canadá e tudo farão para repetir tal proeza na casa da equipa.
A Mclaren também terá a sua “dose” de adeptos já que usa motores Renault e ocupa o quarto lugar na classificação de equipas. Apesar de o vencedor da corrida de domingo ser ainda uma interrogação, existem fortes esperanças de ser bem competitiva, a julgar pelo Grande Prémio passado. Então, até lá, vamos aguardar pelo apagar das luzes vermelhas e o acenar da bandeira xadrez, para saber quem irá levar a melhor em Paul Ricardo, na França, no percurso de 5.842 km, total de 309,622 km voltas e 15 curvas.