Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mrquez estuda rivais da corrida

02 de Novembro, 2019

O piloto Marc Márquez nunca se conformou em ser segundo e numa temporada em que alcançou a sua melhor versão com a Honda, como dizem os números, encontrou uma nova estratégia que lhe deu vitórias consecutivas nas cinco últimas corridas da MotoGP. Como conseguiu? A estudar os seus rivais e a pilotar no limite.
A paciência que ele nunca teve para atacar, com uma vitória em jogo, veio agora com um talento e maturidade que o tornou imbatível, especialmente, na última volta. Em Spielberg  quando Márquez tentou ganhar a corrida, na última volta, teve Andrea Dovizioso como protagonista. Naquela ocasião, o piloto da Ducati triunfou.
Apenas um GP depois, em Silverstone, Alex Rins levou a Suzuki ao topo do pódio, o que acordou a besta, que excepto por sua vitória triunfante no MotorLand, começou a ganhar os duelos de última volta, teve Fabio Quartararo como vítima favorita.\"Eu estava a medir -me nas últimas voltas, porque estava a tentar entender como ultrapassá-lo\", reconheceu Márquez ao jornal espanhol AS.
Marc Márquez ainda garantiu que apesar de já ter conquistado o campeonato de pilotos e ter dado à Honda o título de construtores, acredita que ainda não é hora para \"parar e relaxar\", em Sepang, mas tentar outra vitória.
\"Tivemos uma grande vitória na Austrália, depois que a equipa Repsol Honda, a moto e eu trabalhamos muito bem. Agora, chegamos à última corrida da tríplice coroa asiática, mas não é hora de parar e relaxar\", disse em declarações fornecidas pela Honda.
\"O circuito de Sepang é uma pista onde a Yamaha vai ser rápida e a Ducati também, mas o objectivo, é claro, tentar lutar novamente pela vitória. Vamos ver como vai ser o fim de semana e como nos adaptamos às nossas necessidades\", completou Márquez.