Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Muandumba pede o título

Álvaro Alexandre, Lobito - 01 de Abril, 2015

O ministro da Juventude e Desportos considerou que o investimento público aplicado

Fotografia: Jornal dos Desportos

O ministro da Juventude e Desportos (MINJUD), Gonçalves Muandumba, pediu aos campeões mundiais muita determinação para revalidar o título do Campeonato do Mundo de Pesca Desportiva do Alto Mar, que decorre no Lobito. A conquista da competição é um sonho inadiável. “É uma obrigação de Angola conquistar o título mundial.

Este evento está a ser organizado dentro do programa preparativo dos 40 anos da nossa independência, a assinalar-se no dia 11 de Novembro. No lema que lançamos, visa a dinamização do desporto. Apesar da redução da capacidade financeira, estamos preparados para fazer alguns esforços para honrar os nossos compromissos”, garantiu.

Gonçalves Muandumba clarificou que Angola participa numa frente desportiva para alcançar bons resultados. “Angola tem a obrigação de vencer em todos os eventos em que participa, quer organizados no nosso país quer noutros. Somos campeões mundiais e não temos outra escolha além de revalidar o título”, determinou.

O ministro da Juventude e Desportos considerou que o investimento público aplicado sirva para a dinamização da pesca desportiva em Benguela, em particular.“Foram investidos fundo do Estado na ordem de um milhão e seiscentos mil dólares norte-americanos.Benguela ganha uma nova infra-estrutura que vai contribuir em grande na generalização da pesca desportiva”, disse.

Gonçalves Muandumba afirmou que a construção de novos parques desportivos faz parte da estratégia do Executivo.“É sempre filosofia do Estado, quando se organiza um evento, que o mesmo  deve estar associado a alguns ganhos.  Benguela não fugiu à essa regra.Com a sua materialização,  também beneficiou de novas infra-estruturas desportivas. Uma marina modernizada, feita conforme as regras internacionais e pronta para o Campeonato do Mundo e outros certames de grande dimensão”, explicou.

A massificação dos desportos náuticos, em particular a pesca desportiva, é uma questão a levar em conta. Os dirigentes devem elaborar programas que incentivem a massa associativa a aderir à pratica destas distintas modalidades, de acordo com  Gonçalves Muandumba.

Faz parte dos compromissos dos dirigentes federativos a prioridade do programa de massificação em toda a extensão do território nacional. “Se o Estado efectuou um avultado investimento, cabe aos gestores beneficiados rentabilizá-los ao máximo. A rentabilização passa pela conservação da infra-estrutura desportiva ora entregue aos cidadãos do Lobito e congregar maior número de praticantes, através de uma campanha bem arquitectada no domínio da massificação”, orientou.


NA ABERTURA
Selecção de Angola começa com timidez


A Selecção Nacional produziu ontem, na Baía do Lobito, níveis inferiores de capturas, nas cinco primeiras horas da ronda inaugural da 24ª edição do Campeonato do Mundo de Pesca Desportiva do Alto Mar, que se disputa na província de Benguela. A equipa “A” de Angola foi a que menos peixes capturou, com um veleiro e dois dourados, perfazendo 21 pontos na décima primeira posição da tabela geral.

Angola “B” ocupou a modesta sétima posição com quatro veleiros e dois dourados e totaliza 38 pontos.A competição está a ser dominada pela Selecção “A” do Senegal. Os senegalenses estão certeiros nas capturas ao materializar as oportunidades oferecidas. Em cinco horas, capturaram cinco veleiros e um dourado que os habilita 46 pontos. Na segunda posição está a Selecção “B” do México, com cinco veleiros (45 pontos), seguido do Brasil “A” e da Alemanha, ambas com igual número de veleiros. África do Sul ocupa a quinta posição com 40 pontos, resultantes das capturas de quatro veleiros e quatro dourados.

CLASSE INDIVIDUAL
Marco Queiroz, da equipa “B” da selecção nacional, foi o maior batalhador angolano nas cinco primeiras horas do campeonato mundial.O pescador conseguiu capturar três veleiros, que o colocam na sexta posição da tabela geral provisória com 27 pontos.No mesmo período, a liderança pertencia a Carl Frederik kristein, da África do Sul, com três veleiros e um dourado (27 pontos), seguido de Isaac Garcéz, do México “A”, com três veleiros (27 pontos), Gregório Guitierrez, do México “B”, com três veleiros (27 pontos), Rogério Zamperlini, do Brasil “A”, com três peixes veleiros (27 pontos), e Guilhem Montagut, de Espanha “A”, com três veleiros (27 pontos).

DOPING
Cheikh Fall
marca estreia


O pescador da selecção senegalense, Cheikh Fall, foi escolhido pela Comissão Médica para fazer o primeiro exame anti-doping, desde a integração da modalidade na arena competitiva internacional. O atleta do Senegal foi sorteado no final de uma sessão de treino, que esteve enquadrado no programa de preparação para o Campeonato do Mundo de Pesca Desportiva de Alto Mar, que decorrer desde ontem e vai estender-se até quinta-feira, na Baía da cidade do Lobito.

O processo de recolha das primeiras amostras foi coordenado pelo médico João Mulina, Director do Centro de Medicina Desportiva de Angola. O responsável assegurou que os resultados não vão ser revelados publicamente. “Angola não possui um laboratório para testes anti-doping. As amostras recolhidas vão ser enviadas para a África do Sul para o apuramento dos resultados”, disse.

O segundo teste vai ser realizado no final da primeira jornada da 24ª edição do Campeonato Mundial de Pesca Desportiva de Alto Mar.“Assim que terminar a primeira ronda da prova, vamos isolar os melhores do dia. Quer dizer aqueles que tiverem o melhor desempenho desportivo e um vai ser sorteado para o segundo e último exame da prova”, concluiu o responsável máximo do Centro de Medicina Desportiva.


 

CLIMA INSTÁVEL
Fraca captura no primeiro dia


A fraca captura do primeiro dia do Mundial de Pesca Desportiva ao Corrico de Alto Mar, no Lobito, é explicada pelos pescadores. No último dia de treinos, manifestaram-se preocupados com o aparecimento de pouco peixe, em função das fortes condições de instabilidade climática em todo o território da província de Benguela.

Em declarações à imprensa na Marina do Lobito após o treino, o capitão do combinado espanhol, Leonel Pereira, disse que o grupo tinha partido ansioso para o mar, mas deparou-se com dificuldades de encontrar os peixes, devido à variedade climatérica nos últimos dias, como as chuvas.

Durante os treinos, os indicadores apontaram para dias difíceis durante a prova. Todas as equipas capturaram quantidades inferiores a meia dezena de veleiros.As equipas líderes (provisórios) da competição, Senegal e Brasil, foram as que tiveram mais sorte nos treinos. A confiança dá-lhes força anímica para capturar o maior número de veleiros. A exploração do mar acima de 20 milhas aliada ao conhecimento do capitão da embarcação facilita as duas selecções.
 ÁLVARO ALEXANDRE- LOBITO

Entre países
Bispo de Benguela
apela à comunhão


O Bispo Emérito da Igreja Católica na Diocese de Benguela, Dom Óscar Braga, apelou para a comunhão humana entre as equipas dos países participantes no 24º Campeonato do Mundo de Pesca Desportiva de Alto Mar, de forma a obterem o melhor rendimento nas provas de captura de peixe, que começou ontem no cidade do Lobito.

O Bispo falava momentos após ter procedido à bênção do primeiro dia da prova, na Marina do Lobito, de onde partiram, com destino ao alto mar, as embarcações das selecções que disputam o Mundial, que decorre de 28 de Março a 4 de Abril, na província de Benguela.

Sublinhando a necessidade da convivência durante o evento, o prelado reconhece que nos últimos tempos as chuvas têm estado a interferir na competição, mas mostra-se confiante na perícia dos pescadores para  conseguirem atingir os seus objectivos. 
Dom Óscar Braga disse, também, tratar-se de um desporto que pela sua “beleza” tem atraído cidadãos de diferentes nacionalidades, independentemente das adversidades da natureza.