Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mundiais fecham em alta

20 de Agosto, 2013

Atleta francês superou todas as expectativas no último dia dos Mundiais de Moscovo

Fotografia: AFP

A Jamaica ganhou as duas estafetas 4x100 m do último dia do Mundial e, com isso, Usain Bolt e Shelly-Ann Frazer conseguiram as suas terceiras medalhas de ouro, graças aos triunfos nos 4x100 m. Mas o grande momento da jornada foi quando o francês Teddy Tamgho tornou-se no terceiro atleta de sempre a passar os 18 metros no triplo, ao fazer 18,04 no derradeiro ensaio. Campeão mundial júnior em 2008 e campeão mundial de pista coberta em 2010, com 17,90, marca que, ainda nesse ano, devia melhorar para 17,98 ao ar livre, Tamgho ainda sagrou-se campeão europeu de pista coberta em Paris’11, voltou a bater o recorde mundial indoor (17,92).

Mas, depois, graves lesões e ainda uma altercação com uma atleta francesa levaram a que fosse suspenso por um ano (cumpriu 6 meses). Para além do Mundial de Daegu, falhou os Jogos de Londres’12, por nova operação na zona da virilha, só regressou à competição em maio deste ano. Treinado, em Espanha, pelo antigo campeão cubano de comprimento, Ivan Pedroso, Tamgho fez uma recuperação sensacional e ontem fez a 3.ª marca mundial de sempre (18,04), apenas ultrapassada pelo britânico Jonathan Edwards (18,29 no Mundial de 1995) e pelo norte-americano Kenny Harrison (18,09 nos Jogos de Atlanta’96).

Tamgho começou com 17,65 e depois, no 4.º ensaio, igualou o jovem (20 anos) cubano Paulo Ricardo, que tinha 17,68 desde o 2.º salto. Tamgho ainda rondou os 18 metros em dois saltos, mas nulos, até que no último ensaio obteve 18,04, marca que rivaliza com os 2,41 de Bondarenko, no salto em altura, como pontos mais altos deste Mundial. O campeão mundial e olímpico Christian Taylor foi apenas 4.º, com 17,20. Surpresa A sensação da jornada veio da jovem queniana Eunice Sum, que tinha como melhor apenas 1.59,13 nos 800 m (nos Jogos ficou -se pelas eliminatórias) e ganhou a prova de ontem com 1.57,38, ao derrotar claramente a campeã mundial e olímpica Mariya Savinova (1.57,80). Natural o triunfo do queniano Asbel Kiprop, já campeão em Daegu’2011, numa lenta prova de 1.500 m (3.36,28) e folgada vitória da alemã Christina Obergfoll no dardo, prova na qual, desde 2005, foi sucessivamente 2.ª; 2.ª; 5ª; 4.ª e 1.ª nos Mundiais. Lançou 69,05 contra 66,60 da australiana Kimberley Mickle.