Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mundo rende derradeira homenagem a Muhammad Ali

10 de Junho, 2016

Enterro íntimo com o actor Will Smith e o Lenonox Lewis carregando o caixão

Fotografia: AFP

O último round, o momento das homenagens finais, chegou para Muhammad Ali: o mundo disse adeus a ele ontem no seu local de nascimento nos Estados Unidos, de maneira religiosa e universal, como ele desejava.

O funeral começará com uma oração muçulmana, aberta a todos, lembrando a espiritualidade do tricampeão mundial, morto na sexta-feira passada aos 74 anos num hospital de Phoenix, Arizona.

O caixão com os restos de Muhammad Ali será colocado em uma imensa sala na periferia de Louisville, onde milhares de visitantes se reunirão.
Batizado como Cassius Clay ao nascer num bairro negro de Louisville em 1942, na época da segregação racial, Ali se tornou muçulmano em 1964, mudando o seu nome para Muhammad Ali. Esta conversão chocou os Estados Unidos.

Hoje, sexta-feira, será realizada a segunda parte do funeral, com uma longa procissão que transportará o caixão de Muhammad Ali pela cidade.

O trajecto de 30 km percorrerá os locais emblemáticos da história do homem coroado como o "atleta do século XX": sua casa da infância, o museu em sua homenagem, o Centro do Património Americano Africano, que descreve a vida dos negros do Kentucky, e o boulevard Muhammad Ali.

Os restos do gigante, que transcendeu o mundo do boxe graças a sua luta pelos direitos civis, serão levados posteriormente ao cemitério. O seu enterro, na presença dos filhos, será íntimo, com o actor Will Smith e o ex-campeão mundial de boxe Lennox Lewis carregando o caixão com outras seis pessoas.

Recorde-se que Will Smith interpretou Muhammad Ali no filme de Michael Mann "Ali", lançado em 2001, papel que valeu a ele uma indicação ao Oscar de melhor actor