Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Murer dispensa Petrov

08 de Março, 2015

Recordista mundial e paralímpica termina a carreira desportiva nos próximos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro

Fotografia: AFP

A brasileira, Fabiana Murer, vive um novo momento na sua carreira. Depois de 13 anos a trabalhar ao lado de um dos “magos” do salto a vara, a atleta resolveu alterar a rotina para a recta final de preparação para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016, que vão marcar a sua aposentação. A saltadora não tem mais ao seu lado, o técnico ucraniano Vitaly Petrov.

O homem, que fez Sergey Bubka virar o nome mais famoso da prova na história, deu a Yelena Isinbayeva a força e a técnica para ser a primeira mulher no planeta a superar os cinco metros de altura e fez a própria Fabiana entrar na elite da modalidade. Vitaly Petrov não trabalha com a brasileira desde o segundo semestre do ano passado. Fabiana Murer e o seu técnico, Elson Miranda, não viam mais como evoluir com o trabalho do ucraniano, que os ajudava desde 2001.

Durante todos estes anos, Fabiana não se cansou de rasgar elogios e inclusive afirmou numa oportunidade que o ucraniano “foi fundamental” e ensinou-lhe a saltar novamente. Porém, agora a visão é outra.

“O Vitaly era mais importante para o Elson do que para os atletas. Conversavam sobre treinos e detalhes de técnica. No meio do ano passado, resolveram acabar com a parceria. As suas ideias de trabalho não funcionava mais para mim. Queria mudar a minha técnica de salto e não posso fazer grandes mudanças. Estou no fim da minha carreira,  se estas mudanças não dessem certo, teria de me readaptar ao estilo antigo e isso ia  levar mais um tempo. Por isso, decidimos acabar com a parceria”, falou Fabiana.

Com o fim da parceria, Fabiana Murer muda a base de treinos, que sempre o acolheu na Europa, para a disputa da época outdoor (ao ar livre). A brasileira deixa de treinar em Formia, na Itália, onde Petrov mantém um dos centros de treinos mais procurados do mundo e vai para cidade de Malmo, na Suécia.

Na série de quatro competições que fez na Europa, obteve um grande resultado ao quebrar o recorde sul-americano indoor com um salto de 4,83m. A marca é a melhor do mundo até o momento, o que dá a certeza a Fabiana que o fim da parceria com Petrov não a prejudicou de nenhuma maneira.
“Para mim não mudou nada. Tenho total confiança no Elson. Treino com ele desde o começo da minha carreira e fomos crescendo juntos, ganhando experiência. O Elson evoluiu muito e consegue moldar bem os treinos. Está tudo a dar certo”, disse a saltadora, que ainda persegue uma medalha olímpica.

“Fizemos uma óptima época indoor. Consegui alcançar os meus objectivos, saltar acima de 4,80m,  algo que estava no plano. Entrei em ritmo de competição e terminei esta fase indoor como líder do ranking mundial”, completou.

Após regressar ao Brasil, no fim de Fevereiro, Fabiana aproveita para descansar na primeira semana do mês corrente.