Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mwasesa revela segredo da vitria

Silva Cacuti - 01 de Novembro, 2016

Militares ergueram pela terceira vez a Taa dos Clubes Campees

Fotografia: Jos Cola

A meia-distância Christianne Muasesa apontou a riqueza do plantel, e a preparação requintada, como factores que permitiram à equipa sénior feminina do 1º de Agosto, erguer o terceiro título consecutivo da Taça dos Clubes Campeões de África. Convidada a falar para o portal "burkina24", Mwasesa foi melhor marcadora da primeira fase da competição, falou pouco, mas disse o essencial.

"O treino e a coesão do grupo são os factores que nos permitiram ganhar este troféu. Como você observou, temos um plantel rico. Há um grupo que joga 15 minutos e o outro retornar durante mais 15 minutos. Isso, é o que nos torna fortes ", destacou. A equipa militar chegou ao país, ontem, com o troféu da prova que dominou. O 1º de Agosto, único representante angolano na prova,  efectuou sete partidas que em todas venceu, marcou um total de 273 golos e sofreu 130.

Trata-se da 23º vitória de equipas angolanas, na prova, depois das conquistas do Ferroviário de Luanda (um título), Petro de Luanda (19 títulos) e 1º de Agosto. Na primeira fase da prova, inserida no grupo B preliminar, as militares venceram sucessivamente, o Nairobi Waters (48-19), o TKC dos Camarões (36-19), o Bandama da Costa do Marfim (44-18) e o ACEL do Congo Brazzaville (31-19).

Nos quartos -de -final, as agostinas comandadas por Filipe Cruz, venceram o anfitrião AS Onea, por 37-10. No jogo da meia-final, as angolanas voltaram a encontrar o TKC dos Camarões e não se fizeram rogadas, golearam por 35-20. No sector masculino há um novo campeão, depois do Al Al Ahly ter vencido, na final, o Esperance Tunis. O campeão destronou o Zamalek.

FEDERAÇÃO ABORDA
CAN COM JORNALISTAS

Os passos dados pela Federação Angolana de Andebol (Faand), para organizar a 22ª edição do Campeonato Africano das Nações sénior feminino, marcado para Luanda de 28 do corrente a 7 de Dezembro, vão ser informados à imprensa, durante uma conferência a ter lugar hoje, às 16h00, no auditório da Galeria dos Desportos.

Ontem, num encontro similar, a Faand reuniu com as empresas e parceiros. Segundo apuramos, além de informar sobre o estado de preparação, a Faand deu também informações aos seus parceiros sobre as contrapartidas que pode oferecer. Além de apresentar o que está feito, a Faand deve dar a conhecer os défices organizativos, e eventualmente financeiros que tem.

A prova vai ser disputada no Pavilhão Arena do Kilamba e as equipas, excepção feita à Selecção Nacional, ficam alojadas no Resort Dream Space. Os oficiais da Confederação Africana de Andebol (Cahb), têm alojamento reservado no Hotel Vitória Garden. A Selecção Nacional vai alojar-se no Hotel Diamante.

A situação do Egipto que anunciou dificuldades financeiras para estar em Luanda, no  calendário da prova, pode ser outra "novidade" a ser trazida à imprensa. A prova vai ter Pedro Godinho como coordenador. Ilídio Cândido vai ser coordenador adjunto. A comissão  de logística é dirigida por Inocêncio Tomás. Fernando Gomes, Elsa Major, Horácio Feijó, David Abel, Pina de Almeida e Geraldo Kiala estão à frente das comissões de transporte, protocolo, finanças, médica, técnica desportiva e de comunicação e marketing.

A prova ter um orçamento de 110 milhões de Kwanzas. Está prevista a participação no campeonato africano, de 10 selecções que disputam a primeira fase em dois grupos, A e B. Os grupos apuram as quatro primeiras equipas para os quartos -de - final.  Angola e a Costa do Marfim abrem a competição, em partida referente à primeira jornada do grupo A. A RDC, os Camarões e o Senegal são outros integrantes do grupo.

No outro grupo, B, estão as selecções Tunísia, Egipto, Argélia, República do Congo e Guiné Conacry. Angola realiza a competição, com objectivo de recuperar o título continental perdido para a Tunísia, na edição de 2014, disputada na Argélia.