Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Nacional feminino disputa meias-finais

Silva Cacuti - 06 de Setembro, 2014

Campeãs nacionais entram em jogo em busca do passe para a final onde esperam defrontar a equipa do Catetão

Fotografia: Jornal dos Desportos

O 1º de Agosto pretende fazer nesta época melhor do que no ano passado, quer a nível do campeonato nacional quer da Taça dos Campeões Africanos. Para tal, a direcção de Carlos Hendrick trocou de técnico e chamou alguns reforços com os quais, infelizmente, não pode contar por terem falhado o campeonato provincial.

A equipa militar ficava mais reforçada com as inclusões da cubana Ara e da congolesa Massessa é um assunto de que ninguém tem dúvidas. Mas não se pode dizer que Albertina Cassoma, Liliana Venâncio, Nair Almeida, Elzira Tavares (capitã), Isabel Guialo, só estas não sejam atletas de luxo.
Na Marinha de Guerra há muita vontade, mas isso só não basta. A equipa é uma espécie de equipa B do emblema militar e não tem fôlego para surpreender as campeãs nacionais ao ponto de as afastar da final.

O jogo está marcado para as 13h00, no recinto do pavilhão multiusos do Kilamba. Na outra meia-final, cujo início está marcado para as 17h00, no mesmo local, o Petro de Luanda e o Progresso Sambizanga discutem a segunda vaga para a final.

Vivaldo Eduardo tem o duelo com o seu ex-pupilo Armando Gumbe. Um jogo com vencedor final anunciado, tal como na outra meia-final.

Nelma Pedro, Bá, Lourena Carlos, reforçadas com as congolesas Mpima Natacha (central) e Alfonsine Ngoulou (lateral esquerda) vão tentar travar a equipa “mãe”. Não é nada que seja impossível de materializar, mas devem superar-se e aguardar que a equipa de Vivaldo Eduardo esteja num dia mau.

A competição está marcada para as 9h00 entre as equipas do Kabuscorp do Palanca e do Electro do Lobito, que jogam para a  fuga ao último lugar. Às 11h00, o ASA e a Casa do Pessoal do Porto disputam o quinto lugar.

Amanhã é conhecida a equipa vencedora do campeonato.


MASCULINO
Adiada decisão do título


O jogo entre as equipas do Petro de Luanda e do 1º de Agosto referente à quarta jornada foi transferido para a última jornada da prova e ao invés de hoje, como se previa, disputa-se amanhã. O jogo tem carácter de final, porque decide o vencedor da prova, embora o 1º de Agosto esteja  no caminho para a revalidação.

Em caso de uma escorregadela, os militares ainda têm chances de vencer a prova, mas obrigam-se a contas. À entrada da jornada de hoje,  o 1º de Agosto tem  o melhor ataque 178 golos, mas não tem a melhor defesa que pertence ao Interclube com 109 golos sofridos.
Hoje para a quarta jornada, o Petro de Luanda tem a fácil tarefa de sobrepor-se ao Progresso da Lunda Sul, às 15h00 e o Interclube às 19h00 defronta a Marinha de Guerra.

O Petro de Luanda entra para a jornada de hoje como  o segundo melhor concretizador, com 166 golos e também é a segunda equipa menos batida e pode alterar os números diante da frágil equipa lunda.

No confronto entre polícias e marinheiros há favoritismo do Interclube que em princípio, deve contentar-se com um segundo ou terceiro lugar da prova, já que não logrou qualquer vitória sobre a equipa militar. 
SILVA CACUTI


FORMAÇÃO
Técnicos elogiam Scouting


O curso sobre observação de análise de jogos “scouting” realizado ontem na Galeria dos  Desportos sob a égide da Federação Angolana de Andebol (FAAND) mobilizou um grande número de treinadores da praça angolana, desde os mais conceituados àqueles que estão em início carreira.

João Florêncio treinador campeão nacional sénior feminino pela equipa do 1º de Agosto disse que é uma temática recente e ligada ao andebol moderno.

“É uma abordagem pertinente dado que já não praticamos andebol do tempo da pedra. Hoje, com o avanço da tecnologia é um instrumento fundamental e nós treinadores temos de nos actualizar”, disse.

Olga Mendes, treinadora do quadro das selecções nacionais considera a aprendizagem como uma coisa nova, à propósito da qual tem havido equívocos.

“É difícil fazer a análise de jogos. Pensamos às vezes que sabemos do assunto, quando não sabemos nada”, disse.

Olga Mendes ressaltou que esta é uma especialidade incluída nas equipas técnicas e “o país tem de voltar à abordagem mais vezes para que também os dirigentes se  mobilizem em relação à isto”.

A trabalhar há oito anos como técnico da área de observação de jogos, Miguel Adão lamenta que especialistas da área sejam menosprezados pelas direcções dos clubes.
“A análise de jogo é muito importante, como acabamos de ver. Infelizmente, os especialistas desta área são tratados como um qualquer nos nossos clubes. Se estiver a faltar verba, o primeiro a ficar de fora da equipa é logo o especialista desta área”, pontualizou.

O especialista português António Lopes, membro da equipa técnica da selecção nacional sénior feminina, liderada por João Florêncio foi o prelector da acção formativa. Participaram no evento 60 técnicos, estatísticos e estudantes.
SILVA CACUTI