Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Nacional pode ser transferido

Simão Kibondo - 15 de Junho, 2014

Ciclistas intensificam preparação para a disputa do Campeonato Nacional de Estrada que acontece este mês

Fotografia: Francisco Bernardo

A 24ª edição do Campeonato Nacional de Ciclismo Unificado de Estrada de 2014, corre o risco de ser transferido para Luanda, pelo facto do Governo de Malanje com quem a Federação Angolana de Ciclismo (FACI) estava a negociar um "caderno de encargos" para realizar a prova entre 26 a 29 este mês, ter alegado falta de verba.

Numa nota chegada nas últimas horas à FACI, proveniente do Gabinete do Governador de Malanje que o Jornal dos Desportos teve acesso, dá a conhecer que "lamentavelmente, não pode ser possível à província de Malanje albergar o Campeonato Nacional de Ciclismo, por falta de verbas”, lê-se no documento, que faz igualmente menção à visita do órgão reitor da modalidade efectuada de 8 a 11 de Maio último que oficializou a intenção.

Apesar da comunicação do Governo de Malanje ter manifestado incapacidade para satisfazer o "caderno de encargos" apresentado pela FACI, fontes próximas da organização asseguram que foram já accionados  os mecanismos para o recurso a um plano B, que prevê em casos do género (sempre que uma província eleita não ofereça as condições), a realização da prova maior do calendário nacional passa  para a capital do país, pode  a etapa mais longa de 170 quilómetros percorrer alguns das províncias do Bengo e Cuanza -Norte.

A verdade é que os Campeonatos Nacionais de Ciclismo em todo mundo para serem homologados pela União Internacional de Ciclismo (UCI), na qualidade de órgão reitor da modalidade nos cinco continentes têm de ser disputados na 26ª semana de cada ano ( 26, 27,28 e 29 de Junho).

EQUIPAS TÉCNICAS
PREPARAM PLANO B

De resto, a FACI baixou já orientações aos grupos de trabalho criados para o evento para efectuarem o reconhecimento dos percursos habituais utilizados quando as provas nacionais são disputadas na capital do país, envolve igualmente a Associação Provincial de Ciclismo de Luanda (APXL).

O melhor cenário que se coloca de momento passa por disputar as provas de contra-relógio individual e por-equipas, respectivamente de 30 e 50 quilómetros na Estrada Nacional em direcção a Catete( Província do Bengo), com desvio para a Cabala até à Muxima.As provas em linha a partir do Km 30, em Viana/Luanda, desemboca igualmente para o Bengo ou segue para o Cuanza-Norte para a distancia mais longa de 170 quilómetros na dupla categoria Juniores/ Elites(Seniores) .

Já para o circuito-fechado, que encerra o campeonato no domingo dia 29, pode ser disputado no perímetro da Marginal de Luanda à semelhança do que aconteceu no campeonato provincial no último domingo.


COOPERAÇÃO
São Tomé e Príncipe
corre em Luanda


A Federação São-Tomense de ciclismo (FSC) tem um Protocolo de Cooperação com a sua congénere angolana, por seu turno, manifestou em oficio enviada à FACI o seu interesse em participar, à margem do Campeonato Nacional de Ciclismo Unificado de Estrada deste ano, com uma delegação composta por três  ciclistas, acompanhados do respectivo director técnico.

"No âmbito do acordo de princípio para cooperação desportiva que existe entre a FSC e a FACI, vimos pela presente manifestar o interesse em participar com uma equipa de três ciclistas e um dirigente nas provas do Campeonato Nacional de Angola. A participação enquadra-se no calendário de preparação da nossa equipa para a quinta edição da volta do Cacau que vai ter lugar no próximo mês de Agosto. A participação dos nossos ciclistas numa competição em Angola permite  aos nossos atletas  ganhar alguma experiência internacional", conclui a nota enviada pelo presidente da FSC Tiziano Pisoni, na primeira semana deste mês.

A nota dirigida pelo presidente da FSC, Tiziano Pisoni, ao seu homologo Diógenes de Oliveira, aguarda pela decisão da direcção da FACI, cujo presidente regressa nos próximos dias ao país.

Os ciclistas eleitos pela FSC para estagiarem em Luanda são: Atemilson Quaresma, 21 anos, Ediney Nascimento, 22 anos e Daniel Sousa, 21 anos, que são dirigidos por Eneio Pereira, 29 anos.                        
Simão Kibondo


LUTO
Ciclista Luciano
enluta modalidade

O ciclismo Angolano em geral e  em particular o do Planalto Central (Huambo) está de luto pelo falecimento do ciclista/dirigente, Luciano Luís, 33 anos, mais conhecido nos meios ciclísticos e não so, por "Luís yano do speed" , ocorrido na última sexta-feira, por acidente de viação.

Luís Luciano no dia 7 de Novembro deste ano ia completar 34 anos, foi um dos activistas que mais desenvolvia actividades em prol do ciclismo angolano na província do Huambo, esteve presente nos últimos Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada dos últimos tempos, preparava-se para chefiar a delegação do planalto central que agora mais do que nunca tem motivos mil para estar representada na 24ª edição da prova que vai ser disputada na última semana deste mês, provavelmente em Luanda. Alias, foi o próprio Luciano Luís que ainda na quinta-feira( 12.06.2014), inscreveu  ( via E-mail) a equipa do Huambo para a prova em que ele devia chefiar a delegação acompanhado dos ciclistas, Manuel Tchissigue, Antunes Jamba, Alberto Hossi e  Zacarias Hossi. Neste momento de dor e de luto, a Federação Angolana de Ciclismo (FACI), respectivos membros do elenco federativo 2012-2016, em nome de todos os associados, apresentam à família enlutada a mais sentidas condolências, aproveitam a oportunidade para manifestar toda a solidariedade pelo infortúnio.

CICLISMO
Português Rui Costa
procura o tri inédito

Rui Costa é o alvo a abater na Volta à Suíça, que arrancou ontem e se prolonga até ao dia 22. O português volta a ser um dos principais favoritos à vitória, procura a conquista do terceiro título consecutivo, feito nunca antes conseguido.

Há três vencedores que registam mais triunfos que o líder da Lampre, mas não seguidos. O italiano Pasquele Fornara venceu por quatro vezes (1952, 1954, 1957 e 1958),  os suíços Ferdinand Kübler (1942, 1948 e 1951) e Hugo Koblet (1950, 1953 e 1955) registam três cada.

À semelhança do que acontece com o critério Dauphiné, que termina hoje, também a prova helvética surge como último ensaio antes da Volta a França, ainda que muitos participem, no final do mês, nos respectivos Campeonatos Nacionais, como é o caso de Rui Costa que vai defender o título de contra-relógio, no Sabugal.

O campeão do mundo faz-se acompanhar na Suíça pelo compatriota Nelson Oliveira, de quem tem estado inseparável desde que começou a temporada, tendo feito as mesmas corridas e estágios. Mas não vão ser os únicos portugueses a competir na prova que arrancou ontem. André Cardoso (Garmin) junta-se ao duo da Lampre, depois de ter feito uma excelente estreia no Giro, com a conquista do 20º lugar.

OUTROS FAVORITOS
O líder da Lampre vai ter forte concorrência, ainda que os pesos-pesados do pelotão mundial estejam no Dauphiné, casos de Chris Froome e Alberto Contador. Seja como for, a Volta à Suíça vai contar com outros nomes sonantes, como o britânico Bradley Wiggins, o checo Roman Kreuziger, ou ainda o suíço Mathias Frank.