Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Nadal no ATP de Londres

05 de Novembro, 2013

O ATP Finals é o único título que falta conquistar na carreira de Rafael Nadal

Fotografia: AFP

O espanhol Rafael Nadal, que vem fazendo uma temporada incrível desde que voltou aos campos em Fevereiro depois de uma grave lesão no joelho, espera fechar 2013 com chave de ouro ao conquistar o ATP Finals, único grande título que falta na sua carreira. O torneio junta os oito melhores tenistas do planeta a partir de ontem em Londres.Nadal tem uma pressão extra para brilhar na capital inglesa, já que ainda pode perder a posição de número um do mundo para o sérvio Novak Djokovic, que destronou da liderança do ranking no início do mês passado.

Para encerrar o ano no topo, 'Nole', que conquistou o Masters 1.000 de Paris no domingo, precisa de defender o seu título do ATP Finals e ainda torcer para que o espanhol seja impedido de chegar às semifinais. Ele também pode somar pontos na final da Copa Davis, que se disputa na Sérvia entre 15 e 17 de Novembro, contra a República Checa."Estou a jogar o melhor ténis da temporada, melhor ainda do que no início do ano, quando fui campeão no Dubai e no Open da Austrália", analisou Djokovic, que está invicto há 17 partidas e conquistou os três últimos torneios que disputou (Paris, Xangai e Pequim).

O sérvio vai ter jogos difíceis na primeira fase, já que enfrenta no Grupo B o argentino Juan Martín Del Potro (N.5), o francês Richard Gasquet (N.9) e o suíço Roger Federer (N.7), que disputa a competição pela 12ª vez seguida, igualando o recorde de Ivan Lendl.Na chave A, Nadal, tem pela frente o checo Tomas Berdych e o suíço Stanislas Wawrinka depois de defrontar na estreia o compatriota David Ferrer,que o derrotou no último sábado em Paris.

O espanhol chegou à final de nove dos dez torneios que disputou neste ano, conquistando sete títulos, inclusive os Grand Slams de Roland Garros e o US Open. Aos 27 anos, Nadal já levantou 13 troféus de Grand Slams, quatro a menos que Federer, mas nunca conseguiu levar a melhor no torneio que junta a nata do ténis mundial.

O grande ausente é o britânico Andy Murray, número quatro do mundo, que costuma brilhar quando joga na presença da sua torcida. Em Londres, o escocês sagrou-se campeão olímpico em 2012 e acabou com o jejum de tenista da casa no campo sagrado de Wimbledon, em Julho deste ano.Federer, que aos 32 anos está a começar a sentir os efeitos da idade, espera conquistar o heptacampeonato no ATP Finals para salvar uma temporada ruim, na qual conquistou apenas um título, em Halle, na Alemanha.

"Estou a voltar ao meu melhor nível no melhor momento. Estou feliz com o meu jogo actual e acho que posso ir longe nesse torneio. Gosto desta quadra e estou feliz por ver que os meus problemas de saúde acabaram", explicou o suíço, que teve o seu desempenho prejudicado por dores na coluna nos últimos meses.

Rafael Nadal
dilata vantagem


O espanhol Rafael Nadal ampliou para 1.420 pontos a sua vantagem sobre o sérvio Novak Djokovic na liderança da classificação da ATP (na semana passada era de 550 pontos), à espera da batalha final pelo número um nas Finais da ATP, em Londres.Apesar de conquistar no domingo o Masters 1.000 de Paris, o seu 40° título da carreira, Djokovic viu aumentar a distância para o espanhol, que caiu nas meias-finais e não jogou no ano passado.O suíço Roger Federer perdeu um posto e agora é o sétimo. O francês Jo-Wilfred Tsonga passa para a décima posição, cedendo o nono lugar ao compatriota Richard Gasquet.

Classificação: Rafael Nadal (ESP) 12.030 pontos; Novak Djokovic (SER) 10.610; David Ferrer (ESP) 5.800; Andy Murray (GBR) 5.790; Juan Martín del Potro (ARG) 5.055; Tomas Berdych (RTC) 3.980; Roger Federer (SUI) 3.805; Stanislas Wawrinka (SUI) 3.330; Richard Gasquet (FRA) 3.300; Jo-Wilfried Tsonga (FRA) 3.065.