Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Nadal recorda com tristeza o que passou no Open da Austrália

06 de Fevereiro, 2014

Tenista recorda com tristeza o desfeicho do Open da Austrália em Janeiro quando perdeu a final para o suiço Stanislas Wawrinka

Fotografia: AFP

Rafael Nadal revelou que viveu no confronto realizado no último dia 26 de Janeiro, a sua “pior hora e meia num court de ténis” da sua carreira.

De recordar que Nadal foi derrotado pelo suíço Stanislas Wawrinka na final do Open da Austrália no qual saiu prejudicado com fortes dores nas costas.

Embora tenha dito, no dia do jogo em que caiu por 3 sets a 1 diante do suíço, que em nenhum momento pensou em desistir da partida, o espanhol admitiu que “não tinha nenhuma opção de ganhar (a final na Austrália) ”.

“É uma situação complicada e muito desagradável retirar-me de uma final como essa. Diante disso, passei um momento complicado, a pior hora e meia que passei numa quadra de tênis o que significa à partida para mim e pela partida em si, uma final de Grand Slam”, afirmou Nadal, em entrevista que deu à rede espanhola Cadena “COPE”, na noite da última segunda-feira.

O tenista número um do mundo voltou a falar sobre a decisão na Austrália ao receber o Prêmio Excelência Desportiva, entregue pelo jornal espanhol “Mundo Deportivo”, no qual ainda disse que ainda não sabe se pode jogar o Torneio de Buenos Aires, que começa na próxima segunda-feira.

“Estou bem. Hoje (segunda-feira) passei por outra revisão (médica) e faço o tratamento desde que voltei de Melbourne. Ainda não pisei na quadra nem fiz nenhum tipo de exercício. Tenho apenas descansado e estou a fazer a reabilitação adequada para voltar a estar na quadra o mais cedo possível, e é minha intenção é estar na quinta-feira.

A partir daí, quinta e sexta vou treinar e dependendo de como me sentir, e também a opinião dos médicos, logo se vê se podemos começar em Buenos Aires ou se temos de esperar o (torneio) seguinte”, disse o espanhol.

O calendário de Nadal prevê, além de sua possível participação do ATP realizado na capital argentina, a sua presença no Rio Open, que deve começar uma semana depois, no dia 17, e nos Masters 1000 de Indian Wells e Miami, a 6 e 19 de Março, respectivamente.


FED CUP
Michelle Brito confirma vitória portuguesa.


Michelle Brito garantiu terça-feira última o segundo e decisivo ponto que deu a Portugal a vitória diante da Bulgária, na primeira jornada da Pool D do Grupo I da Zona Europa/África, que se disputa esta semana em Budapeste.

A número um portuguesa e 125ª colocada WTA, que não pisava um court desde Novembro, derrotou num duelo dramático a búlgara Elitsa Kostova por 4-6, 6-2 e 7-6 (3), em 2h30m.

A portuguesa demorou algum tempo a encontrar o melhor ritmo, mas mostrou toda a determinação na recta final para alcançar um triunfo importante.

No encontro de pares, apenas para cumprir calendário, André Lopes colocou em court Bárbara Luz e a estreante Inês Murta, que acabaram derrotadas por 6-2 e 7-5 diante de Isabella Shinikova e Viktoryia Tomova.

A selecção portuguesa esteve de folga ontem e mede forças hoje, com a Bielorrússia, e na sexta-feira defronta a Turquia.

Uma eventual vitória na Pool D ia garantir o acesso ao «Play-off» de subida de divisão, agendado para domingo.

Entretanto, já o compatriota Gastão Elias foi eliminado terça-feira na primeira ronda do torneio de Dallas, o terceiro «challenger» (segundo escalão do circuito) que o número dois português disputou este ano.

Na estreia, Gastão Elias, número 175 do mundo, foi afastado pelo norte-americano Ryan Harrison, sexto cabeça de série e 121º do «ranking», em dois «sets», pelos parciais de 6-3 e 6-4.

«Foram condições muito difíceis. O campo era demasiado rápido para haver trocas de bolas e basicamente quem conseguiu servir melhor e ser mais agressivo ganhou. Saio com a sensação que não consegui em nenhum momento entrar no ritmo do jogo, mas é normal quando só tive um dia para me habituar às condições», disse Gastão Elias à agência« Lusa» no final do encontro.