Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Namibe domina HuilafestinPatins

GAUDNCIO HAMELAY, NO LUBANGO - 10 de Junho, 2019

Fotografia: ANGOP

Benfica de Moçâmedes e Atlético do Namibe conquistaram os troféus em disputa da 11ª edição do Festival de Patinagem \"HuilaFestiPatins\'2019\", promovido pela Associação local, em alusão ao Dia Internacional da Criança, celebrado a 1 do corrente. Os encarnados ergueram o troféu da categoria de júnior e os Atléticos, na de juvenis.
O Benfica de Moçâmedes derrotou o Atlético do Namibe no jogo decisivo por 5-4. O jogo foi tecnicamente emotivo e discutido do princípio ao fim do tempo regulamentado.
Nos escalões de juvenis, a Juventude do Lubango não teve pernas suficientes para correr atrás da bola. Frágil na movimentação, não suportou a experiência do Atlético do Namibe. Os anfitriões renderam ao ataque demolidor e perderam por 3-6 no jogo decisivo.
No final da competição, o treinador do Benfica de Moçâmedes, Tozé Nunes, era um homem feliz por revalidar o título do torneio. Reconheceu ter sido uma participação positiva pela presença de três equipas equilibradas.
Ressaltou que, mais do que os resultados, valeu a camaradagem, desportivismo e o intercâmbio entre as duas províncias para o desenvolvimento da patinagem na região Sul. Lamentou a ausência da província de Benguela, que se faz representar habitualmente pela Académica do Lobito.
“Começa a ser um habituée, ganharmos esse torneio. Não levamos isso como uma bandeira por contar com a participação de equipas adversárias à altura de um torneio bem disputado. Infelizmente não foi possível a presença de Benguela. Vamos tudo fazer para que na próxima edição se faça presente. Mesmo sem a equipa Lobitanga foi bom ver o nível competitivo do torneio”, explicou
Hernâni Santos, presidente da Associação Provincial de Patinagem da Huila, manifestou-se satisfeito por ter cumprido mais um torneio em condições bastante difíceis. A modalidade na província atravessa momento \"não muito bom\" devido à crise económica mo país.
Agradeceu a empresa patrocinadora oficial, a Coca-Cola, sem a qual nada teria acontecido para concretização da 11ª edição do Festival.
Hernâni Santos considerou razoável o nível técnico e competitivo evidenciado pelas equipas participantes.
“O nível foi razoável. A província do Namíbe dominou o torneio e mostrou um nível um pouco superior o da Huíla. Também trabalham mais, pois têm mais equipas e apoios. A província do Namibe tem equipas que controlam a modalidade. Para a Huíla, o torneio foi mais para manter a modalidade viva”, frisou.
O dirigente associativo apelou ao órgão reitor da modalidade no país a olhar com seriedade as escolas de formação nas províncias.
“Queremos apelas à Federação Angolana de Patinagem a olhar com mais profundidade para a modalidade na Huíla, em particular, e noutras província da região Sul, no geral. Se não fizer, o hóquei em patins vai desaparecer”, alertou.
O jogo evidenciado pelas antigas estrelas \"espelha a vontade de muitos angolanos\" continuar a velar pelo hóquei em patins. Um desporto com rico histórico na diplomacia desportiva.