Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ndia Cruz considera Angola referncia internacional

11 de Maio, 2017

Presidente da Associao dos Atletas Olmpicos de Angola aguarda com expectativa do presidente do COI

Fotografia: Jos Cola| Edies Novembro

A presidente da Associação dos Atletas Olímpicos de Angola, Nádia Cruz, considerou terça-feira, em Luanda, o país referência no desporto internacional, fruto da sua regularidade em Jogos Olímpicos e os sucessivos títulos continentais no basquetebol masculino e andebol feminino.

Nádia Cruz fez esse pronunciamento, à Angop, quando fazia antevisão da visita do presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que chega ao país hoje, quinta-feira (11), tendo realçado que  a sua vinda, é resultado do trabalho positivo desenvolvido por Angola ao longo dos anos.
“Esta visita é um reconhecimento do trabalho que tem sido desenvolvido pelo Executivo na promoção e massificação do desporto nacional, visto que Angola muitas vezes vai aos campeonatos do mundo e a Jogos Olímpicos em representação do continente africano”.

“Angola não tem medalhas olímpicas ainda, infelizmente, mas pela segunda vez vai receber um presidente do COI, facto que mostra que estamos no bom caminho e devemos continuar a trabalhar porque esta visita revela que somos referência desportiva a nível internacional”, reforçou.

Para a antiga nadadora olímpica angolana, as entidades desportivas angolanas devem tirar maior proveito desta visita porque, tais deslocações não acontecem sempre. O programa da visita que começa quinta-feira contempla encontros com entidades do governo, bem como a apresentação em vídeo do projecto desportivo Olímpáfrica no país.

Thomas Bach foi eleito presidente do COI em 2013, durante a 125ª sessão da Assembleia-geral do Comité Olímpico Internacional, tendo sucedido no cargo Jacques Rogge.

Associação de Atletas Olímpicos de Angola existe desde 2007, mas a sua efectivação aconteceu  dois anos depois e dela fazem parte todos atletas que tenham disputado uma edição dos Jogos Olímpicos.

Fazem parte da associação 189 membros, atletas de doze modalidades.
Angola conta com nove presenças em  Jogos Olímpicos, nomeadamente, em 1984 (Moscovo), 1988 (Seoul), 1992 (Barcelona), 1996 (Atlanta), 2000 (Sydney), 2004 (Atenas), 2008( Beijing), 2012 (Londres) e 2016 (Rio de Janeiro).

CONSTATAÇÃO

Defendida maior valorização do atleta olímpico


A presidente da Associação dos Atletas Olímpicos de Angola, Nádia Cruz, defendeu, terça-feira, em Luanda, maior valorização do atleta olímpico, para o desporto nacional progredir, cada vez mais.

Em declarações à Angop, para analisar o estado actual do olimpismo no país, a dirigente desportiva disse haver necessidade de prestar-se maior atenção aos atletas olímpicos porque, fruto da sua experiência, trazida de participações em Jogos Olímpicos, podem ajudar o país alcançar mais vitórias em competições internacionais.

“O movimento olímpico actual não é mau, mas eu defendo a existência de educação olímpica para as pessoas, desde muito cedo, começarem a encarnar o espírito olímpico.

Nós associação estamos aqui para isso, não só para congregar os atletas mas também para dar todo suporte necessário para esses fins” argumentou
Antes de tudo, complementou, o primeiro investimento passa pela valorização dos ideais olímpicos, em que a comunicação social joga um papel fundamental na difusão desses valores.

No seu entender, a comunicação social deve fazer divulgação e mobilização do movimento olímpico a grande escala e não esperar apenas pelas vésperas das competições para abordar esse tipo de assunto. "Todos juntos podemos mudar este quadro”, ressaltou.

Associação de Atletas Olímpicos de Angola existe desde 2007, mas a sua efectivação aconteceu  dois anos depois e dela fazem parte todos atletas que tenham disputado uma edição dos Jogos Olímpicos. Fazem parte da associação 189 membros, atletas de doze modalidades. Angola conta com nove presenças em  jogos olímpicos, nomeadamente, em 1984 (Moscovo), 1988 (Seoul), 1992 (Barcelona), 1996 (Atlanta), 2000 (Sydney), 2004 (Atenas), 2008( Beijing), 2012 (Londres) e 2016 ( Rio de Janeiro).