Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Nicolau aponta mais provas para angolanos

28 de Setembro, 2015

Campeão nacional foi afastado das meias-finais pelo francês Paterne Mamata

Fotografia: M. Machagongo

Os jogadores angolanos precisam de preparação adequada e participação nas diferentes provas para que obtenham rodagem competitiva e atinjam níveis de alto rendimento. A constatação é do campeão nacional de ténis, Nicolau Monteiro. Na avaliação da sua participação na IV edição do torneio internacional Luanda Tennis Open2015, que encerrou ontem no Clube de Ténis de Luanda, Nicolau Monteiro ressaltou que os atletas estrangeiros se superiorizaram aos nacionais pela experiência e maior volume de jogos feitos.

Afastado das meias-finais por Paterne Mamata (França) por dois sets a um com parciais de 2-6, 7-5 e 4-6, Nicolau Monteiro ressaltou que o seu máximo na competição foi superada pela experiência. Dei o meu máximo para que pudesse atingir a fase derradeira da prova, mas o adversário demonstrou experiência e maior rodagem competitiva. Temos de nos preparar melhor, ter participação em mais eventos do género dentro e fora do país para que os tenistas angolanos possam atingir níveis altos de competitividade", frisou.

A maior aposta nos escalões de formação, a criação de melhores condições nas distintas instituições e entidades no país, para o bem da modalidade, entre outras, também mereceu referências atleta do Clube de Ténis de Luanda. Ontem, o ugandês Duncan Mugabe e o francês Rudy Coco disputaram a final do Luanda Tennis Open2015, uma competição organizada pela Angola Estee Oilfield Services.SA. Até o fecho da edição desconhecia-se o resultado.

O evento contou com a participação do tenista da RDC, Indondo Ilongembe, vencedor do torneio dos Jogos Africanos, no Congo Brazzaville, que por questões pessoais teve de regressar ao seu país, depois de chegar às meias-finais, em que devia enfrentar o ugandês Duncan Mugabe, bem como de atletas sul-africanos, congoleses, quenianos, ugandeses, brasileiros, franceses e ingleses.