Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Niki Lauda pede desculpas

25 de Julho, 2014

Ex-piloto quer ver despique na maior competição automobilística mundial

Fotografia: AFP

O chefe de equipa da Mercedes, Niki Lauda, pediu desculpas à Ferrari pelas ofensas dirigidas à equipa de especialistas que tratam do carro da presente época desportiva. O ex-piloto disse ter conversado com o presidente da equipa italiana, Luca Montezemolo, para justificar a sua descrição a respeito do modelo F14T.

A informação é do Jornal "Gazzeta dello Sport". O chefe da equipa Mercedes assegurou que errou e não tem de justificar o erro, pois assume a culpa.
 “Peço desculpas à Ferrari, a Luca di Montezemolo e aos fãs italianos. Não devia ter usado esta palavra”, disse Lauda.

No final de semana, em entrevista publicada pelo jornal espanhol "El País", Lauda afirmou que o carro da equipa italiana é uma “m...” e disse o mesmo a respeito da McLaren. O director da Mercedes na Fórmula 1 afirmou: "A equipa inglesa tem o mesmo motor que temos, mas com desempenho bastante inferior."

Ao jornal alemão "Bild", Niki Lauda disse que Montezemolo, seu amigo de longa data, aceitou as desculpas. O site GP Update, por sua vez, diz que "não ficou claro se Lauda já falou com o director executivo da McLaren, Ron Denis, ou outra pessoa na McLaren para pedir desculpas semelhantes ".

Lauda informou que foi questionado por Montezemolo sobre qual a diferença entre a Mercedes, McLaren e Ferrari. Em resposta esclareceu que "a combinação do monolugar alemão (Mercedes) era "uma simples mistura de um bom carro e do melhor motor". Quanto a McLaren, "tem o melhor motor, mas um carro que não é tão bom" e a Ferrari "está fraca nos dois lados".

MERCEDES QUER
LEWIS HAMILTON

Depois de solucionar o dossier Nico Rosberg, a Mercedes quer agora renovar com Lewis Hamilton, que chegou à equipa em 2013 depois de uma carreira feita na McLaren.

O contrato que liga as duas partes termina no fim de 2015, mas o clima de tensão actual, devido à luta com Nico Rosberg pelo Mundial, faz com que a Mercedes queira agir rápido e salvaguardar-se, não vá o cenário piorar de vez e Hamilton pretender mudar de ares.

A imprensa inglesa, normalmente bem informada a respeito do seu principal rosto na Fórmula 1, avança já com números,85 milhões de euros (cerca de 11,3 mil milhões de kwanzas) por dois anos, com mais um de opção. A proposta foi revelada pelo "The Telegraph".

Agora cabe a Lewis Hamilton decidir, e o tempo joga mais a seu favor do que da equipa. Mercado, já se sabe, não lhe falta.


REVELAÇÃO DA RED BULL
Sebastian Vettel assediado pela McLaren



A Red Bull revelou através do seu consultor Helmut Marko que Sebastian Vettel está a ser procurado pela McLaren e pela Mercedes que averiguam a sua disponibilidade para reforçar as respectivas equipas.

Sebastian Vettel tem contrato com a Red Bull até ao fim de 2015, mas o assédio de outras equipas é evidente.

“É claro que a McLaren e a Mercedes têm Vettel como objectivo”, afirmou Helmut Marko.

Marko revelou também que a McLaren apresentou uma proposta tão elevada que chega a ser “escandalosa”.

Se no caso da Mercedes Vettel podia ser uma alternativa a Lewis Hamilton, caso este não aceite a proposta de renovação com a equipa, a McLaren está mais em força no mercado.

No próximo ano, a equipa reata a ligação à Honda e pretende apostar forte. Kevin Magnussen é aposta de futuro e vai ter o lugar assegurado, mas o mesmo não acontece com o “líder” Jenson Button.

Assim, tanto Vettel como Fernando Alonso são nomes bem-vindos na estrutura de Woking. Já na Mercedes, e para adensar o mistério, Toto Wolff, director da equipa, não negou a vontade de contratar Vettel, quando confrontado com o tema.

“Este mundo é muito competitivo e não vamos tornar públicos os nossos planos. Estamos a falar de pilotos de topo. Todas as melhores equipas lutam por ele. Queremos ter uma ideia de como o mercado está antes de tomarmos as nossas decisões”, afirmou.


MCLAREN À VISTA
Alonso tem cláusula
para deixar Ferrari


O contrato que liga Fernando Alonso à Ferrari só termina no final da época de 2015, mas há uma cláusula que liberta Alonso para negociar com outra equipa no final da actual época, desde que a Ferrari não fique entre os três primeiros no Mundial de Construtores. A informação é avançada pela revista italiana "Autosprint".

Decorridas dez provas, a Ferrari ocupa o quarto lugar no Mundial de Construtores, atrás da Mercedes, Red Bull e Williams. A continuar assim, o piloto pode rumar para outras equipas. Também é verdade que há algum tempo se fala da possibilidade de Fernando Alonso regressar à McLaren, sobretudo, desde a volta de Ron Dennis ao controlo da equipa.

A Ferrari vive mais uma época abaixo das expectativas e parece ter dificuldades em conseguir uma vitória, algo que, no ano passado, conseguiu no começo da época.

Apesar disso, Alonso não perde qualidades e a principal é a fiabilidade. Só ele e Nico Hulkenberg (Force India) pontuaram em todas as corridas. 

melhor resultado de Alonso este ano foi o terceiro lugar na China, corrida que tinha ganho em 2013. Recentemente, a Ferrari manifestou a vontade de continuar com a mesma dupla de pilotos em 2015, ao passo que Alonso descartou o tema renovação.


GP DA HUNGRIA
Williams garante
competitividade


A Williams está crente num bom resultado no próximo fim de semana na Hungria. A terceira classificada do Mundial de Construtores da F1 e a única equipa além da Mercedes a estar no pódio nas últimas três etapas do campeonato vê o sucesso com efeito psicológico importante para a equipa na segunda fase do mundial.

"Está é uma corrida importante, pois é a última antes das férias de Verão. Psicologicamente é importante que consigamos somar o maior número de pontos e ir numa posição confortável", afirmou Rob Smedley, chefe de engenheiros da equipa inglesa.

Smedley disse que trabalharam para identificar o tipo de melhorias que precisavam para estar competitivos em Budapeste. Até agora, conseguiram alcançar sempre as metas traçadas para o carro.

"Temos um bom pacote de novidades que vai ser bastante específico para a Hungaroring e vamos ter as condições de manter um ritmo decente também no próximo fim de semana", disse.

A Williams F1 é a equipa que mais evolui na presente época depois de somar cinco pontos na época passada.