Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Novak Djokovic contra Federer

27 de Janeiro, 2016

Confronto entre os melhores do mundo promete muita audiência em Melbourne Park

Fotografia: AFP

Novak Djokovic passou fácil pelo japonês Kei Nishikori, 7º classificado do ranking da ATP, na partida disputada ontem em Melbourne Park. O actual número um do mundo não aplicou muita força como nos oitavos de finais, em que defrontou Gilles Simon. Em menos de duas horas, venceu o japonês por três sets a zero com parciais de 6-3, 6-2 e 6-4, no jogo dos quartos de finais do Open da Austrália. Em oito jogos directos com Nishikori, Djokovic venceu seis.

Agora, em 38 jogos disputados no Open da Austrália, Novak Djokovic venceu 37 e busca o quinto título do primeiro Grand Slam do ano.
Nas meias finais, o adversário de Djokovic vai ser Roger Federer. O embate tem o número 45 na história dos atletas. A estatística regista 22 vitórias para cada atleta. A meia final de sexta-feira vai desempatar.

ROGER FEDERER
VENCE BERDYCH


O tetracampeão do Australian Open, Roger Federer vai disputar uma vaga na final. Ontem, o suíço não teve trabalho para passar pelo tcheco Tomas Berdych, em três sets a zero, com parciais de 7-6 (7-4), 6-2 e 6-4, na sua 80ª vitória no torneio. Na sua 12ª meia-final no Grand Slam australiano, Roger Federer defronta o sérvio Novak Djokovic.

Embora tenha tido certa tranquilidade para avançar, Federer começou a partida com um susto ao ser quebrado no terceiro game do jogo e sair em desvantagem. Berdych, porém, não soube aproveitar a vantagem e levou o troco logo em seguida. A vitória do suíço na parcial, contudo, só viria no tie-break.

Depois disso, o actual número 3 do mundo mostrou-se mais confortável na quadra e as duas parciais seguintes vieram com mais tranquilidade. No segundo set, por exemplo, Federer conseguiu a quebra logo no primeiro serviço de Berdych e teve tranquilidade para fechar em 6-2 e abrir 2 sets a 0.
No set que seria o derradeiro, o tcheco tentou, mais uma vez, ameaçar, novamente a quebra de Federer. Mais uma vez, porém, também perdeu o saque em seguida e pagou o preço: 6-4 para o suíço.

SERENA WILLIAMS
AFASTA SHARAPOVA

A tenista norte-americana Serena Williams, primeira cabeça de série e defensora do título do Open da Austrália, eliminou ontem a russa Maria Sharapova, quinta favorita do torneio, e disputa as meias-finais do primeiro Grand Slam do ano. Serena Williams venceu com autoridade, por 2 sets a 0, com parciais de 6-4 e 6-1, em 1h30 de jogo.

A norte-americana manteve-se sempre à frente da russa no marcador. Sharapova não sabe o que é vencer há norte-americana há mais de 11 anos, desde 2004, com 18 derrotas consecutivas. No primeiro set, apesar de cometer o dobro de erros não forçados de Sharapova, Serena contou com os seus potentes saques para garantir a vitória na parcial.

Maria Sharapova continuou sem encontrar o seu melhor jogo na quadra da Rod Laver Arena em Melbourne no segundo set e conseguiu vencer apenas um game, evitando um "pneu" da norte-americana, mas insuficiente para tentar quebrar a escrita de reveses seguidos.

DJOKOVIC
"Preciso jogar o meu melhor"

Com a confirmação de que vai enfrentar Roger Federer na meia-final do Open da  Austrália, Novak Djokovic está ciente de que vai precisar jogar em alto nível para chegar à sexta final em Melbourne. Mas na opinião do número 1 do mundo, os duelos contra o suíço o instigam a jogar melhor. "Roger está a jogar um ténis fantástico nos últimos dois anos. Fizemos duas finais de Grand Slam no ano passado e sei muito bem o quanto pode jogar, especialmente, nas fases finais de um grande torneio", disse Djokvoic após a vitória sobre Kei Nishikori nesta terça.

Djokovic disse que Federer faz "o adversário jogar o seu melhor". Para ganhar o jogo, vai necessário o "meu melhor ténis". Aos 28 anos, Djokovic participou dos confrontos que mais se repetiram em toda a Era Aberta do ténis masculino, contra Roger Federer e Rafael Nadal, e depois de ficar em larga desvantagem nos primeiros anos, pôde finalmente empatar as duas listas no final do ano passado. Em Janeiro deste ano, ultrapassou o espanhol pela primeira vez.

"Fiquei atrás na maioria dos históricos directos durante toda a minha carreira. É muito bom poder igualar", conta Djokovic, que tem 22 vitórias e 22 derrotas contra Federer e tem 24 a 23 contra Nadal. "Esses dois atletas fizeram-me ser o jogador que sou hoje. As rivalidades permitiram-me crescer e evoluir para ser mais forte, resistente e entender o que é preciso para no nível deles", disse.

"Quero dizer, dominaram o ténis por muitos anos antes que eu e o Murray chegássemos. Demorou bastante tempo e um monte de jogos para realmente igualar o histórico de pontuação contra eles dois", realçou. "Passei por diferentes períodos da minha carreira, onde duvidava de mim mesmo, não sabendo realmente se poderia chegar ao número 1 e alcançar o meu sonho de infância e quebrar o domínio desses dois atletas", avalia.

"Esses momentos fizeram-me mais forte. Quando estava triste, tive a oportunidade de crescer e melhorar", revelou. Antes de enfrentar Nishikori, Djokovic não treinou. Questionado se já havia feito isso antes no Grand Slam, respondeu: "Já aconteceu antes, sim. Às vezes, menos é mais. É preciso reconhecer o momento. Joguei muito ténis, talvez até demais. Não houve a preocupação de que não iria sentir a bola hoje. Não acho que a diferença física seja muito grande".

MANIPULAÇÂO
Site interrompe apostas de duplas mistas

O site Pinnacle Sports suspendeu no último domingo as apostas para uma partida de duplas mistas no Open da Austrália. O motivo foi a suspeita de manipulação de resultados no jogo que envolveu os espanhóis Lara Arruabarrena e David Marrero contra a tcheca Andrea Hlavackova e o polaco Lukasz Kubot.

De acordo com Marco Blume, editor-chefe de desportos do site, uma quantidade incomum de dinheiro foi apostada na vitória de Hlavackova e Kubot.
Como se tratava de um jogo de primeira ronda de duplas mistas, um duelo considerado pouco atractivo, o alerta para um possível resultado combinado foi disparado. A tcheca e o polaco venceram facilmente, por 6-0 e 6-3. A primeira parcial durou apenas 20 minutos.

"Vimos um pequeno número de pessoas a apostar uma grande quantidade de dinheiro. No contexto, partidas de duplas mistas são pequenas. Isso significa que qualquer postura mais agressiva é fácil de ser detectada", declarou Blume, acrescentando que este comportamento nas apostas não foi visto em nenhum outro jogo do torneio.

No Betfair, outro grande site de apostas, cerca de 25 mil dólares foram apostados poucas horas antes do começo do jogo. O normal é que a quantia não passe de dois mil dólares. Após partida, tanto Arruabarrena como Marrero negaram ter vendido o jogo.

O espanhol afirmou que estava com uma inflamação no tendão do joelho e que tinha jogado com uma precaução maior. "Sou profissional. Tento sempre dar o melhor. Nunca desisti de um torneio", disse. Arruabarrena levantou a possibilidade de algum adepto ter notado a lesão de Marrero durante um treino no sábado. "Alguém provavelmente sabia disso", declarou.

O caso surge uma semana depois dos sites BBC e Buzzfeed afirmarem que o ténis está inundado por manipulação de resultados. Segundo documentos dos obtidos pelos veículos, 16 jogadores que apareceram na última década entre os 50 melhores tenistas do ranking mundial podem ter manipulado os resultados de partidas, incluindo um vencedor de uma edição de Grand Slam de duplas.

Os documentos estão vinculados a uma investigação da ATP, a entidade que dirige o circuito profissional, em 2007, que revela os gastos de apostadores na Rússia e na Itália em centenas de milhares de dólares em partidas que consideravam manipuladas, três delas em Wimbledon.De acordo com a imprensa britânica, oito tenistas incriminados, mas que não receberam punição da ATP, estão no Open da Austrália, primeiro Grand Slam do ano.

Os representantes das máfias das apostas entravam em contacto com os tenistas nos seus quartos de hotel durante os grandes torneios, com promessas de 50 mil dólares ou mais como recompensa, segundo o BuzzFeed. Os dois veículos não divulgaram os nomes dos suspeitos por não terem tido acesso aos dados bancários e telefónicos. Portanto, não poderiam de facto provar que estes profissionais são culpados.

TENISTAS SUSPEITOS
Investigadores
pedem celulares

A Unidade de Integridade do Ténis (TIU), criada para fiscalizar a modalidade, pretende ir a fundo nas investigações relacionadas a uma possível manipulação de resultando que envolve jogo de mistas duplas. A partida envolveu os espanhóis David Marrero e Lara Arruabarrena contra o polaco Lukasz Kubot e a tcheca Andrea Halavackova, pela 1ª fase do Aberto da Austrália.

De acordo com o jornal espanhol Marca, as autoridades que analisam o caso pediram os celulares e tablets de Kubot e Halavackova, que venceram o jogo. O mesmo procedimento vai ser feito a Marrero e Arruabarrena, que não estão mais na Austrália.

A dupla espanhola já foi comunicada sobre o pedido de análise do celular e tablet. Com os aparelhos em mãos, a Unidade de Integridade do Ténis e a organização do Aberto australiano querem buscar possíveis rastros que evidenciariam uma manipulação.

A partida foi considerada suspeita pela organização do torneio. A desconfiança ocorreu após o jornal New York Times noticiar que o site de apostas Pinacle Sports registou vultosa quantia para um duelo considerado pouco atraente para investidores. Tamanho foi o valor apostado que o site de apostas retirou a partida da sua programação 13 horas antes do jogo.

Marrero e Arruabarrena são os principais alvos da investigação. A dupla mista espanhola perdeu o jogo por 6-0 e 6-3. Marrero negou qualquer envolvimento com apostadores e declarou ao final da partida que dores no joelho afectaram o seu rendimento na quadra.

Vencedores da partida, Kubot e Halavackova foram interrogados por investigadores. Eles foram perguntados se observaram algo anormal com a dupla espanhola. "Não vimos nada anormal na dupla espanhola. Os dois jogadores jogaram 100 por cento contra nós e não nos parece justo colocar os nomes de ambos sem provas", explicaram os tenistas vencedores.

EM FEMININO
Radwanska vence fácil Carla Navarro


A polaca Agnieszka Radwanska enfrentou a espanhola Carla Suárez Navarro em partida da categoria simples feminina dos quartos de finais do Open da Austrália e venceu por dois sets a zero com parciais de 6/1 e 6/3. Com um primeiro set esmagador e o domínio de toda a partida, a quarta colocada do ranking da WTA, Radwanska vai jogar as meias-finais do Open da Austrália.

A polaca aproveitou-se das falhas da adversária para garantir a vitória. Com 13 erros forçados contra 45 da espanhola, além de apenas uma dupla falta no saque, enquanto Suárez Navarro cometeu sete, Radwanska administrou a partida e conseguiu fechar o jogo em apenas 1h21. Radwanska vai defrontar a norte-americana Serena Willian nas meias-finais.

Petra Kvitova termina
parceria com técnico

Eliminada logo na segunda ronda do Open da Austrália, a tcheca Petra Kvitova, sétima tenista do ranking WTA anunciou na segunda-feira que pôs fim à parceria com o técnico David Kotyza, após sete anos e vários títulos conquistados. "Senti que minha carreira precisava de um novo e forte impulso, de uma mudança", explicou a bicampeã de Wimbledon (2011, 2014), em comunicado.

"É por isso, que entrei em acordo com David para acabar com nossa colaboração, depois de uma conversa entre nós", completou a tcheca de 25 anos.
No Facebook, Kvitova agradeceu o compatriota por "sete anos fantásticos, o bicampeonato em Wimbledon, 17 títulos, muito sucesso e muitas risadas".

Cabeça de série número 6 do Open da Austrália, a canhota foi eliminada em Melbourne na segunda jornada pela australiana Daria Gavrilova, 39ª do ranking WTA, em dois sets, duplo 6-4. Desde que conquistou Wimbledon pela segunda vez, em 2014, Kvitova sofreu de lesões e não superou os quartos-de-final nos Grand Slams. Em relação ao novo técnico, Kvitova explicou que "a decisão será tomada em Fevereiro".