Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Nível de atiradores satisfaz o presidente

Gaudêncio Hamelay, no Lubango - 23 de Agosto, 2016

O General Francisco Afonso "Hanga", disse que o evento que decorreu da melhor forma

Fotografia: Nuno Flash

O presidente da Federação Angolana de Tiro aos Pratos, General Francisco Afonso “Hanga”, considerou de “bastante elevado”, o nível técnico evidenciado pelos atiradores participantes na 6ª contagem do campeonato nacional de tiro aos pratos, em fosso olímpico, e taça de Angola, decorridos na cidade do Lubango no sábado e no domingo, no âmbito da 30ª edição das festas de Nossa senhora do Monte.

“O nível técnico, evidenciado neste torneio, satisfaz porque foi bastante elevado. Portanto, em 25 pratos tivemos 25 pratos acertados. Num dos desempates, houve 15 tiros, 15 acertos. Portanto, o nível foi bom. E isso, está a verificar-se em virtude de começar a haver maior participação e frequência de atiradores nas competições”,reconheceu.

O General Francisco Afonso “Hanga”, disse que o evento que decorreu no Campo Nacional de Tiro “Paulo Silva”, faz parte do calendário de provas programadas pelo órgão reitor da modalidade.

Com satisfação, referiu o dirigente federativo, que está a  verificar-se que há mais adeptos e participações nas provas na Huíla, daí a escolha da cidade do Lubango.

Anunciou que a Federação continua a realizar várias provas conforme prevê o calendário. Deste modo, indicou que nos dias 2 e 3 de Setembro, há uma prova para inaugurar o novo campo denominado “Pau do Caçador”, na província do Cuanza Sul.Explicou que novo campo de tiro aos pratos da província do Cuanza Sul, surge com um esforço pessoal do presidente da mesa da assembleia-geral da federação Ramos da Cruz. “Vai ser inaugurado um novo campo cujas provas a decorrer nessa infra-estrutura passam a constar no nosso calendário”, assegurou.                      

TIRO AOS PRATOS
Paulo Alves triunfa no GP Nossa Senhora do Monte


O atirador da Força Aérea Nacional, Paulo Alves, sagrou-se no domingo vencedor da 6ª Contagem do Campeonato Nacional de Tiro aos Pratos, em Fosso Olímpico, e Taça de Angola, disputada na cidade do Lubango, Huíla, em alusão à 30ª edição das Festas de Nossa Senhora do Monte.

Paulo Alves na final bastante renhida, acertou em 13 pratos, dos 15 determinados depois de ter totalizado 112, ao longo das cinco séries previstas de 25 pratos para cada concorrente.

Na segunda posição ficou o atirador do Interclube Francisco Gastão, ao partir na final de 15 pratos apenas 11, enquanto Hirio Baião, da equipa da Socolil, quedou-se em terceiro lugar. Hildebrando Oliveira, da Força Aérea Nacional, contentou-se com a quarta posição numa competição em que estiveram presente 41 atiradores, em representação do 1º de Agosto, Interclube “A”, “B” e “C”, Socolil, Força Aérea Nacional “A”, “B” e “C”, Clube de Tiro & Pesca do Lubango e o Clube de Tiro Caças e Pesca de Benguela.

No final, o vencedor do torneio era um homem feliz, por ter arrebatar o troféu da terceira edição da Taça de Angola.
“Ganhar é sempre uma avaliação positiva, e fácil de se fazer. Foi, de facto, uma prova bem disputada porque para além de ser uma contagem para o campeonato é igual uma taça de Angola. Neste caso, é a terceira edição. Ser vencedor de uma taça de Angola é de facto espectacular. Estou  satisfeito e acho que a participação foi óptima”, dissePaulo Alves.

Francisco Gastão que é atirador do Interclube, actual líder do campeonato nacional,  ocupou a segunda posição nesta prova, admitiu que a final foi difícil e muito bem disputada, porque estão a aparecer três, quatro ou cinco atiradores novos que realmente estão a dar que fazer aos mais velhos. “Mas ainda bem, porque isto é salutar para a modalidade, porém, reconheço que a final foi difícil”, admitiu.

Avançou, que daqui em diante almeja manter a média que está a ter, parasagrar-se campeão nacional, “que é isso que me falta”.
O atirador do 1º de Agosto, Paulo Silva, esteve recentemente a representar o país nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, justificou que a prova não  correu bem por ter sido eliminado.

“Se não fui à final, é porque a prova não me correu bem. Fui eliminado no s.off precisamente pelo atirador que ganhou a competição. Mas todos os atiradores estiveram bem”, disse.

Por equipas, o troféu ficou com a Socolil ao somar 330 pontos, seguida pelo Interclube, com 327. A Força Aérea Nacional, quedou-se na terceira posição com 324. O 1º de Agosto e Clube de Tito & Pesca do Lubango (CTPL) classificaram-se nos lugares subsequentes.

O troféu do atirador na classe de iniciados ficou com Yuri Costa. Zidane Freitas (CTPL), recebeu o relacionado com a categoria de juniores. O troféu do atirador veterano coube a Orlando Teixeira, enquanto Artur Anastácio, recebeu o prémio do vencedor de tiro nocturno.
GH