Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Olhos na final

Silva Cacuti - 24 de Janeiro, 2014

Voltar ao pódio continental, pouco mais de dez anos depois da primeira vez, é o sentimento que vai dominar o jogo da Selecção Nacional sénior masculina

Fotografia: Jornal dos Desportos

Voltar ao pódio continental, pouco mais de dez anos depois da primeira vez, é o sentimento que vai dominar o jogo da Selecção Nacional sénior masculina, hoje, diante da similar da Argélia, pontuável para a meia-final do vigésimo primeiro campeonato africano que aquele país acolhe.

Angola esteve no pódio continental pela primeira e única vez em 2004, quando na cidade do Cairo, Egipto, somou a única vitória sobre a Argélia, por 31-30, na definição do terceiro lugar.

Hoje, com uma nova vitória sobre os magrebinos, a equipa comandada por Filipe Cruz pode alcançar vários objectivos, superar a melhor prestação de sempre, chegando à final pela primeira vez, e lograr o apuramento para o campeonato do mundo em Doha, Qatar, em 2015.

Há muito em jogo. Ao piso do pavilhão de Harcha descem duas equipas que com o mesmo objectivo, chegar à final, mas só uma tendo pressão sobre si, a Argélia que é anfitriã e pode contar com sala cheia a exigir que vença o jogo..

Angola chega à meia-final com o sentimento de dever cumprido, já que garantiu a melhoria da última classificação. Sem pressão, vai jogar com apoio de mais de 100 angolanos que chegaram a Argel pelas mãos do Movimento Nacional Espontâneo.

Angola perdeu por 19-23 diante dos argelinos na primeira fase, mas neste jogo vai actuar com o pivot Augusto Dinzeia, que não esteve no jogo da primeira-mão. A princípio vai ser um jogo difícil para o conjunto angolano que tem os números todos dos jogos entre si a seu desfavor, mas se a selecção mantiver os níveis apresentados no jogo diante dos Camarões, pode surpreender.

Na outra meia-final, a Tunísia, campeã continental, mede forças com a similar do Egipto que foi a terceira classificada da edição anterior.


Angola e Tunísia em tira-teimas


As selecções nacionais seniores femininas de andebol de Angola e da Tunísia voltam a jogar hoje, às 11h00, no pavilhão de Harcha, para decidir um dos primeiros finalistas da edição 21 do campeonato africano da categoria que decorre em Argel, Argélia. A final da prova disputa-se amanhã.

É o jogo do tira-teimas. Angolanas de Vivaldo Eduardo e tunisinas de Paulo Pereira precisam de acertar as contas, já que há sectores com dúvidas em relação à melhor selecção continental do momento.

A clareza dos números traduzidos nos palmarés não parece ser suficiente. É preciso demonstração no campo de jogos. Na primeira fase, a Selecção Nacional foi feliz, pois acabou por vencer por 25-19 a uma Tunísia que entrou confiante e chegou ao intervalo a impor igualdade no marcador.

A atitude tunisina obrigou os adeptos angolanos a um sofrimento que só no decurso do segundo tempo foi minorado, quando a Selecção Nacional assumiu a dianteira do marcador e passeou a sua classe, fruto de alterações tácticas. Hoje, tanto angolanas como tunisinas voltam a Harcha com outras ambições e mais conhecimento mútuo.

Cada equipa sabe o que a espera do outro lado, já não há mais "escondidinhas". Se quiserem vencer e jogar a final, qualquer uma das equipas deve minorar os erros técnicos, mostrar o que realmente vale, já que nem para Angola e muito menos para a Tunísia as coisas vão ser fáceis.

A Vivaldo Eduardo aconselha-se que esqueça o jogo anterior e incuta nas suas atletas a modéstia e ciência de que hoje é outro jogo, outra batalha, que deve ser vencida com os seus próprios argumentos técnicos e tácticos. A equipa nacional deve abdicar de menosprezar as adversárias e encará-las como tal, compreender que têm a mesma ambição de chegar ao título continental.

A Argélia, anfitriã, joga hoje para a outra meia-final diante da RDC, na qual também não vai haver facilidades. No campeonato africano de 2012, em Sallé, Marrocos, as congolesas foram responsáveis pelo afastamento das argelinas do pódio, após vencerem por 33-24. Na primeira fase deste campeonato as argelinas venceram por 27-20. Angola é a actual campeã.