Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Oliveira vence primeira corrida

01 de Junho, 2015

Demorou, mas o grande dia de Miguel Oliveira chegou

Fotografia: AFP

Demorou, mas o grande dia de Miguel Oliveira chegou. Ontem, no 46º Grande Prémio da carreira, o piloto da Red Bull KTM Ajo foi impecável e venceu uma intensa disputa que durou 20 voltas. Impecável na estratégia e especialmente na curva Bucine, Miguel conseguiu preparar uma linha defensiva nos metros finais e escapou da concorrência, que tinha a vida extremamente facilitada pelo vácuo na longa recta de Mugello.

Miguel Oliveira recebeu a bandeirada com 0s071 de vantagem sobre Danny Kent, o líder do Mundial, com Romano Fenati a fazer a festa da claque local ao conseguir o terceiro posto. O triunfo de Miguel confirma a reacção da KTM, que foi massacrada pela Honda nas primeiras etapas da época.

Além de colocar a fábrica austríaca de volta à luta, Miguel também entra para a história como o primeiro piloto de Portugal a vencer uma corrida no Mundial de Motociclismo.

Francesco Bagnaia fez uma óptima prova, sempre a lutar entre os primeiros e recebeu a bandeirada em quarto, a apenas 0s003 atrás do último degrau do pódio. Enea Bastianini e Niccolò Antonelli completam o top-6.

Jorge Navarro recebeu a bandeirada no sétimo posto, seguido por Isaac Viñales e Alexis Masbou. Brad Binder fechou o grupo dos dez primeiros.
Na última volta, Éfren Vázquez e Karel Hanika encontraram-se na Borgo San Lorenzo e caíram. O espanhol não conseguiu completar, mas o tcheco recebeu a bandeirada em 28º.

Com o resultado, Kent chegou aos 124 pontos, 46 a mais que Bastianini, o segundo classificado. Fenati tem o terceiro posto, com Oliveira a aparecer na quarta posição.

HISTÓRIA DA CORRIDA
Pela segunda vez na época, Danny Kent largou na pole position à frente de Hiroki Ono, primeiro japonês a largar na primeira fila desde que Tomoyoshi Koyama começou o Grande Prémio do Japão de 2007 em segundo lugar. Romano Fenati fez a sua segunda visita à primeira fila na carreira e completou o top-3.

Quando as luzes se apagaram na Toscana, Kent saiu bem, mas Ono mergulhou na San Donati em primeiro lugar. Sem muita demora, Danny assumiu a liderança, com Fenati a subir para o segundo lugar à frente de Bagnaia, Kornfeil, Hanika, Antonelli, Hiroki e Oliveira.

Na metade da prova, o primeiro pelotão tinha cerca de 20 pilotos, naquela que parecia ser a prova mais bem disputada da época. Oliveira liderava à frente de Kornfeil, Vázquez, Bagnaia, Bastianini, Hanika, Bider, Masbou, Ono, Antonelli e Fenati.

Na recta final, Vázquez pulou de terceiro para a liderança, mas Oliveira conseguiu contornar primeiro a San Donato, com Éfren em segundo, à frente de Kornfeil, Bastianini, Bagnaia, Hanika, Binder, Masbou, Fenati e Kent. Romano já tinha uma diferença ligeiramente maior para o pelotão de frente.

De novo na recta, Vázquez usou a potência da Honda para passar, mas a KTM de Oliveira, de novo, surgiu à frente na San Donato. Kornfeil vinha em terceiro à frente de Hanika e Binder.

Na abertura da 13ª volta, Vázquez de novo passou à frente, mas Oliveira conseguiu recuperar a liderança centímetros depois, com Fenati a saltar para a segunda posição, à frente de Vázquez, Kornefeil, Bagnaia, Bastianini, Hanika, Binder, Kent e Masbou.

Ao chegar na recta, Fenati volta a liderança, seguido por Oliveira, Bastianini, Vázquez, Basgnaia, Hanika, Kent, Kornfeil, Masbou e Binder.

Na Bucine, Oliveira recuperou a liderança, mas Fenati conseguiu recuperar. Na travagem da San Donato, Bastianini ocupou o segundo lugar, mas foi superado por Oliveira pouco depois, na Materassi.

Na Arrabbiata 2, Fenati abriu a porta e permitiu a passagem de Oliveira e Bastianini, caiu para terceiro, à frente de Hanika.  Na c, Miguel conseguiu afastar-se do pelotão para evitar o ataque dos rivais e manteve a liderança com Bagnaia em segundo, à frente de Antonelli, Kornfeil, Hanika, Bastianini, Kent, Fenati, Vázquez e Viñales. Com três voltas para o fim, Oliveira manteve a liderança, com Kent a trabalhar bem no vácuo para saltar para a segunda posição, à frente de Bagnaia e Bastianini.
 
Na Bucine, Bagaia passou Kent e subiu para segundo, à frente de Enea. Na recta, Oliveira manteve a liderança, com Fenati a saltar para segundo, à frente de Hanika, Bagnaia, Bastianini, Kornfeil, Antonelli, Vázquez, Kent e Viñales.

Com duas voltas para o fim, Fenati voltou ao topo da tabela ao atacar Oliveira na recta. Bagnaia colocou por dentro e subiu para segundo, à frente de Kent e Miguel. Oliveira passou Kent na entrada da Borgo San Lorenzo, assumiu o segundo posto. Na Arrabbiata, o português passou Bagnaia, assaltou a liderança de Romano na Scarperia.  Oliveira conseguiu passar Fenati e continuou firme para receber a bandeirada, 0s071 à frente de Kent e Fenati.


MIGUEL OLIVEIRA:
“Senti que podia chegar à frente”


Miguel Oliveira, da equipa KTM, não escondeu a emoção após ter vencido ontem o Grande Prémio de Itália, no circuito de Mugello, em Moto3, tornou-se o primeiro português a vencer no campeonato do Mundo de Motociclismo.

Na primeira curva da última volta, o piloto, natural de Almada, caiu para a quarta posição, mas conseguiu, na última das 20 voltas da corrida, recuperar e entrar na última curva em primeiro, sustendo depois o ataque do britânico Danny Kent, da Honda, líder do Campeonato Mundial.

“Sim, tive medo (de perder liderança na recta da meta), mas senti desde ontem (sábado) que era mais forte na última curva e que podia chegar à frente. Foi um grande dia para mim. Estou muito feliz”, disse, ainda antes de subir ao pódio para ouvir pela primeira vez o hino numa prova do Mundial.

Miguel Oliveira cumpriu as 20 voltas em 39min39s510, menos 71 milésimos do que Danny Kent e 127 do que o italiano Romano Fenati (KTM).

No Mundial, o português subiu quatro posições e é agora quarto classificado, com 66 pontos. Danny Kent lidera com 124, à frente do italiano Enea Bastianini (Honda), com 78, e Benati, com 67.