Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Organismo anuncia sete candidatos

29 de Outubro, 2015

A corrida para a sucessão de Blatter tem sete concorrentes já divulgados pela FIFA e promete ser uma disputa apertada

Fotografia: AFP

A FIFA anunciou ontem a existência de sete candidatos à presidência do organismo, cujas eleições estão agendadas para 26 de fevereiro e depois de na segunda-feira ter terminado o prazo de entrega de propostas.De acordo com a FIFA, os candidatos são Ali Bin Al Hussein, Musa Bility, Jerome Champagne, Gianni Infantino, Michel Platini, Salman bin Ebrahim Al Khalifa e Tokyo Sexwale.

Os sete concorrem à sucessão do suíço Joseph Blatter, que preside ao organismo desde 1998 e se encontra suspenso por 90 dias pelo Comité de Ética da FIFA por alegado envolvimento no escândalo de corrupção que abala o organismo desde maio.O príncipe jordano Ali bin Al Hussein, um antigo-vice presidente da FIFA que se apresentou a votos no último ato eleitoral, mas acabou por abandonar a corrida depois de perder na primeira volta para Blatter, volta a candidatar-se.

Na corrida à sucessão de Blatter estão também o presidente da UEFA, o francês Michel Platini, igualmente suspenso provisoriamente pela FIFA por 90 dias, e o secretário-geral da UEFA, o suíço Gianni Infantino, que conta com o apoio oficial do organismo que gere o futebol europeu.Entre os candidatos figuram também o francês Jérôme Champagne, que trabalhou na FIFA entre 1999 e 2010, o xeque Salman bin Ebrahim Al Khalifa, presidente da Confederação Asiática de Futebol (AFC), o sul-africano Tokyo Sexwale, membro do comité anti-racismo da FIFA, e o presidente da Federação Liberiana de Futebol (LFA), Musa Bility.

As eleições na FIFA foram precipitadas pela demissão de Joseph Blatter, poucos dias depois de ter sido reeleito para um quinto mandato à frente da FIFA.Na formalização dos candidatos, a FIFA não inclui o ex-futebolista e capitão da selecção de Trindade e Tobago, David Nakhid, que na última semana tinha anunciado a sua candidatura.

A posição de Michel Platini, ainda presidente da UEFA, antes apontado como principal favorito, ficou agora mais fragilizada com o apoio do organismo a Gianni Infantino, actual secretário-geral.O primeiro apelo do presidente da UEFA, Michel Platini, contra a suspensão de 90 dias decretada pela Comissão de Ética da Federação Internacional de Futebol (FIFA) foi rejeitado, segundo os advogados do dirigente francês à AFP na passada segunda-feira.