Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Organização capricha na prova do Brasil

11 de Novembro, 2013

Cresce a expectativa em torno do Grande Prémio do Brasil no Circuito de Interlagos que será a última corrida da temporada

Fotografia: AFP

Médicos, bombeiros, equipas de resgate e sinalização e fiscais de pista do Grande Prémio do Brasil de Fórmula 1 fizeram no sábado uma simulação para o evento deste ano, no Autódromo de Interlagos. O ensaio geral contou com três largadas de carros da Fórmula Alpie, o trabalho de resgate depois da simulação de um acidente de pista, e o disparo de extintores de incêndio.

"Nas três etapas do treino de pista ficamos mais atentos aos procedimentos de largada. A questão do incêndio também é importante. Os bombeiros já fazem isso no treino fechado deles. Mas eu achei importante também incluí-lo no exercício", explicou o director-desportivo do GP do Brasil, Alfredo Tambucci Jr.

Uma das áreas mais importantes na simulação é a médica. Pelo 13.º ano seguido, a prova em Interlagos tem a Rede D'Or São Luiz como responsável no sector. Nos treinos e na corrida, são 173 funcionários do hospital em Interlagos, 43 deles médicos.

"Quando há um acidente, a equipa de pista envia informações sobre o que ocorreu. No centro médico posso determinar preliminarmente o tipo de atendimento que vai ser feito, antes mesmo da chegada da ambulância. Se for um caso mais grave, acciono o helicóptero para remoção para uma das nossas unidades", afirmou o coordenador do centro médico, Dorival De Carlucci.

O ensaio para a prova de F1 também contou com a inauguração de uma nova sala para a equipa de controle de corrida, em que a organização da prova monitora toda a pista através de câmaras digitais. "Esta é agora uma das melhores e maiores salas do género entre todos os circuitos da F-1. É claro que isso garante mais segurança e qualidade ao trabalho", justificou Tambucci Jr.

O Grande Prémio do Brasil de Fórmula 1 vai ser disputado entre os dias 22 e 24 de Novembro no Autódromo de Interlagos como última etapa do Mundial da categoria. O alemão Sebastian Vettel já conquistou o título por antecipação.

Kimi Raikkonen perde
as últimas provas da época


O piloto finlandês Kimi Raikkonen está ausente dos Grandes Prémios dos Estados Unidos e do Brasil de Fórmula 1, últimas duas etapas da temporada. Sofrendo de muitas dores nas costas, ele vai passar por uma cirurgia para sanar o problema e chegar em boa forma à próxima temporada.
Desta forma, Raikkonen já encerrou a sua passagem pela equipa Lotus, já que em 2014 vai ser companheiro de Fernando Alonso na Ferrari.

O finlandês teve papel importante na ascensão da equipa nos últimos dois anos, mas o atraso no pagamento dos salários desta temporada acabou contribuindo para que o piloto regressasse à equipa italiana. O finlandês pensou publicamente nem disputar o Grande Prémio de Abu Dhabi, se a Lotus se desinteressasse de pagar parte do que lhe é devido. Após acordo com os investidores da equipa, ele foi normalmente à pista.

"Num mundo ideal, era bom terminar a temporada com a Lotus nos dos últimos Grandes Prémios. Entretanto, por causa das dores intensas que Kimi está a sentir, infelizmente é impossível", afirmou o empresário do finlandês, Steve Robertson, ao site da revista britânica Autosport.