Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Organizadores desistem de logtipo polmico

03 de Setembro, 2015

O comit organizador dos Jogos Olmpicos de Tquio-2020 decidiu no usar o logtipo marca criada pelo japons Kenjiro Sano

Fotografia: AFP

O comité organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, que já se viu obrigado a renunciar ao projecto inicial de estádio, decidiu nesta terça-feira não usar a polémica logo marca criada pelo designer japonês Kenjiro Sano.O próprio Sano admitiu as dificuldades e reconheceu que usou fotografias de maneira inapropriada."A situação tornou-se difícil de entender para os cidadãos, mesmo que do ponto de vista dos especialistas o design de Tóquio-2020 seja considerado uma criação original", afirmou o director geral do comité, Toshiro Muto.

Ele afirmou que a decisão não tem relação com a denúncia de plágio apresentada pelo designer belga Olivier Debie, criador do logótipo do Teatro de Liege (Bélgica). "Sano solicitou a retirada do logótipo, como demonstração da sua responsabilidade", completou.A decisão de deixar de usar as imagens criadas por Sano para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos foi tomada durante uma reunião extraordinária do comité. Uma campanha conseguiu 22.00 assinaturas para pedir a mudança do logótipo após a polémica.

Outro facto que aumentou o descrédito de Sano foi o envolvimento da sua empresa, MR_Design, em um flagrante delito de cópia de imagens para uma campanha publicitária de uma cerveja japonesa, Suntory.Denúncias divulgadas na internet também afirmam que Sano utilizou fotos sobre as quais não possuía os direitos.As autoridades pediram explicações a Sano, que foi alvo de uma investigação on-line implacável dos internautas japoneses desde que o criador do logo do Teatro de Liege, Olivier Debie, o acusou em Julho de plágio.

O designer belga levou o caso à justiça do seu país. O tribunal civil de Liege deve ser pronunciar a respeito no próximo dia 22 de Setembro. O comité pretende agora iniciar um segundo concurso para escolher uma nova logo marca para Tóquio-2020.O escândalo do logótipo acontece depois da crise provocada pelo Estádio Olímpico, que levou o governo a recomeçar o projecto do zero e lançar um novo concurso em função dos custos exorbitantes do primeiro projecto.A princípio, o estádio custaria 1,35 bilhão de dólares, mas a factura chegou a 2,1 bilhões.

OLIMPISMO
Novo logo de 2020 agita redes sociais



Desde o surgimento das denúncias de plágio sobre o logotipo dos Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio, usuários de redes sociais no Japão começaram a postar as suas próprias sugestões de logo. Na terça-feira, o Comité organizador do evento anunciou que descartou o logo oficial por causa do excesso de questionamentos.

Sugestões como ninjas e origamis, assim como a hashtag (em japonês) passaram a ser cada vez mais compartilhadas. Algumas das ideias mais populares ressaltam uma guirlanda de flores usada durante a candidatura aos Jogos Olímpicos. Criado pela estudante de design Ai Shimamine, o logotipo mostra uma guirlanda de flores de cerejeira, uma das mais populares do Japão. A origem do logo é meio mórbida.

A estudante teve a ideia após ver a cena de um filme em que a guirlanda era colocada numa sepultura. Mas o Comité Olímpico deu ao desenho uma guinada positiva: a guirlanda, que simboliza retorno, ganha dois significados no logotipo, de acordo com o chefe do comité Masato Mizuno.
"É a ideia de 'retornar outra vez' - a Olimpíada regressa a Tóquio (depois dos Jogos de 1964) e o Japão 'regressa' (à normalidade, após o desastre de Fukushima)", disse em 2011.

TÁTICAS NINJAS
Uma versão estilizada de um ícone japonês veio de uma banda chamada The Ninja, cujo design incorpora a arma em forma de estrela shuriken.

NASCER DO SOL
O usuário do twitter Zanma1 disse que o seu projecto fazia uma referência ao apelido do Japão de "Terra do Sol Nascente".

CONTROVÉRSIA
As sugestões vieram quase imediatamente depois de Tóquio anunciar a anulação do logotipo do designer Kenjiro Sano, lançado no mês passado, baseado na letra T e um círculo vermelho em representação de uma coração a bater. Sano negou as acusações de plágio, mas outras pessoas apontaram semelhanças com o logotipo de um teatro na Bélgica.