Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Orlando Almeida confiante no pódio

Hélder Jeremias - 26 de Junho, 2013

Responsável do Team Ordel promete inserir nos próximos anos mais dois pilotos no campeonato provincial

Fotografia: Nuno Flash

O proprietário do Team Ordel, Orlando Almeida, está confiante na conquista do primeiro lugar na categoria dos 250cc, por intermédio de Zeferino Fernandes, na sexta jornada do campeonato provincial de motocross de Luanda, a ser disputada sábado próximo, a partir das 13 horas, no circuito do Zango.

O responsável promete dar todo o apoio ao seu piloto para que nas últimas sessões de treinos consiga melhorar os tempos, de modo a que nenhum concorrente tenha a ousadia de terminar numa posição vantajosa. Orlando Almeida reconhece a boa forma desportiva do piloto do Team Sistec, Custódio Neto, e disse ao Jornal dos Desportos que o facto de Zeferino Fernandes, também conhecido por Zé Cazenga, competir com uma motorizada nova está na base dos resultados “fracos”na fase inicial do campeonato provincial.

Orlando Almeida, que também desempenha as funções de vice-presidente da Associação Provincial de Motocross de Luanda e representante de uma das empresas de saneamento básico de Luanda, garante a aposta da equipa no desporto nacional e prevê a inserção de mais um ou dois pilotos no campeonato provincial na próxima época, sem definir as categorias. O responsável do Team Ordel, Orlando Almeida, um dos pilares do motocross nacional, considera salutar o grande despique entre os principais concorrentes de cada categoria. “Isso prova que o motocross tem muito a dar e incentiva-nos a emprestar o nosso calor aos jovens para que granjeiam altos patamares competitivos”, disse. 

EMERGÊNCIAS MÉDICAS
O presidente da Associação de Motocross de Luanda, Alfredo Pitra, reiterou a sua preocupação pelo  facto dos Serviços de Emergências Médicas se terem furtado de forma sistemática nas provas do campeonato provincial. De acordo com o mais alto mandatário da associação, a sua direcção vive momentos de “aflição” durante os eventos marcados por “muito público”, em que não têm forma de socorrer os necessitados em caso de tumulto.

Alfredo Pitra disse à nossa reportagem que, perante a situação, a sua direcção fez reiterados apelos aos Serviços de Emergências Médicas, mas não obteve o respaldo necessário, “uma evidente falta de sensibilidade dos responsáveis daquele indispensável serviço público”. Alfredo Pitra apelou a quem de direito para intervir na resolução do caso e evitar que a situação se repita. O responsável associativo reitera e elogia o cumprimento da Polícia Nacional no seu papel de garantir a segurança pública, não obstante em número insuficiente de efectivos em algumas ocasiões, e vaticina melhores dias.