Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

"Padrinho" pede empenhamento dos nacionais na São Silvestre

03 de Dezembro, 2014

"Padrinho" pede empenhamento dos nacionais na São Silvestre

Fotografia: Jornal dos Desportos

 O“padrinho” do evento afirmou que os atletas nacionais não devem poupar esforço no sentido de lutarem pelos lugares cimeiros, apesar da grande capacidade dos representantes de outros países do continente africano, como quenianos, etíopes, eritreus, entre outros.“Tenho de elogiar a organização da prova que me homenageia nesta edição de 2014. Apelo aos atletas nacionais a dedicarem-se na luta pelos lugares cimeiros e a contrariarem o maior favoritismo dos concorrentes estrangeiros, principalmente, do Quénia, Etiópia e Eritreia", disse.

Ernesto José ressaltou que "no passado já foi possível Angola ombrear com os adversários de outros países e venceu a São Silvestre".No entanto, "o país deve ter uma preparação afincada e entrar na prova sem complexos dos demais concorrentes". Retirado das pistas na década de noventa, constam dos feitos de Ernesto José, o triunfo na corrida principal dos II Jogos da África Central, realizados em Angola, em 1981.A figura de padrinho da prova foi instituída na edição de 2013, que homenageou o antigo fundista António Andrade.    
     
A corrida pedestre de fim de ano, a São Silvestre, começou a ser disputada em Angola em 1954. Em 1985 passou a designar-se Demósthenes de Almeida, em memória ao impulsionador do atletismo nacional.Em 2002, a prova tornou a denominar-se São Silvestre numa trajectória histórica dos seus campeões nacionais e estrangeiros. Quanto à presente edição, noventa e um atletas de 21 países estão confirmados, sendo o Quénia, com 38 elementos, dos quais 23 homens, o país com maior número de concorrentes, secundado pela Etiópia, com 15 masculinos e 14 femininos.

Estão também inscritos, Macau, Portugal, Brasil, Congo Brazzaville e Uruguai, com dois atletas cada um; Eritreia, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Malawi, Uganda, Rwanda, África do Sul, Uruguai, Namíbia e Lesotho, todos com um corredor masculino. Marrocos é o único país estrangeiro inscrito com três corredores.Stanley Biwott e Priscah Jeptoo, ambos quenianos e vencedores da última edição, representando o Kabuscorp do Palanca, ainda não confirmaram presença.