Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Parceiros felizes com ganhos da São Silvestre

Silva Cacuti - 16 de Janeiro, 2016

Populares que correram a São Silvestre do ano passado começaram a receber prémios e os parceiros da Federação estão satisfeitos

Fotografia: Domingos Candência

As empresas DSTV, NCR e Net One que estiveram engajadas na 60ª edição da corrida de fim de ano, São Silvestre, disputada a 31 de Dezembro de 2015 mostraram-se, ontem, satisfeitas, com os ganhos por si obtidos da parceria com a organização daquela prova. Responsáveis das referidas empresas exteriorizaram sua satisfação  durante a cerimónia oficial de entrega dos prémios angariados pela organização durante a parceria em causa.

Ao todo vão ser distribuídos um total de 216 prémios entre computadores, tabletes, descodificadores, telefones, relógios e modens cedidos pelas empresas em causa.

Rui Franco da NCR disse que "a força e empenho da organização e atletas para consumar seus objectivos durante a prova vai de encontro àquilo que é a NCR" e por isso a sua empresa vai manter-se em sintonia com a organização da prova.

Na mesma linha, Adilson Garcia que representava a DSTV expressou satisfação. "Estamos satisfeitos, durante a corrida, a nossa marca esteve visível de forma desejada, o parceiro cumpriu com o que estava estabelecido no protocolo e pensamos que é uma parceria para continuar", comentou.

Luena Guinapo, representante da Net One, disse que a sua empresa vai apoias a edição deste ano e outras edições da corrida, independentemente de quem esteja a organizar, em virtude da satisfação obtida na parceira.

A organização anunciou como critérios para a distribuição dos prémios a exclusão dos atletas que entram na tabela de prémios pecuniários. Assim, do 1º ao 5º colocado da tabela geral de populares não recebem destes prémios que visam estimular a participação popular.

 Joaquim Dombaxi, da organização disse que serão contemplados do 6º ao 196º corredor masculino, enquanto na classe feminina que teve apenas 35 participantes, serão contempladas 14 corredoras.

Ernesto Bastos, corredor de Benguela, ausente da cerimónia, foi agraciado com um computador, oferta da NCR, por, aos 73 anos, ser considerado o mais velho da prova.

Na ocasião, simbolicamente alguns corredores receberam das mãos dos representantes das empresas os respectivos prémios. A organização vai continuar a entrega de prémios, mediante uma lista afixada na sede da Federação Angolana de Atletismo.

A São Silvestre, segundo a organização, teve um orçamento de 30 milhões de Kwanzas (cerca de USD 250 mil). O prémio para o vencedor está fixado em USD sete mil.

O segundo e terceiro recebem respectivamente o equivalente a USD seis mil e 500 e seis mil em tabelas que nas duas classes prevê agraciar os 20 primeiros classificados.

A São silvestre foi dominada por atletas quenianos. No sector masculino, Alex Olotiptip Korio, com o tempo de 28:28min45s venceu, seguido pelos compatriotas Daniel Chebie e Edwin Kipyego; enquanto a prova feminina foi dominada por Jemina Sungong, 32min15s, que ficou secundada por Peres Jepchirchir e Polline Njeru. Francisco Caluvi e Ernestina Paulino foram os melhores angolanos na prova.