Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Parceria com China estimula angolanos

Gaudêncio Hamelay-Lubango - 22 de Setembro, 2016

Filomeno Fortes destaca o domínio de angolanos na zona V

Fotografia: Nuno Flash

A presença constante de Angola nas competições internacionais nos últimos anos é fruto de dois acordos de parceria firmados entre a Federação Angolana de Ténis de Mesa (FATM) e a empresa CITIC da República Popular da China. Fruto da cooperação, o país dominou as competições africanas nas categorias de cadetes e de juniores.

Em entrevista ao Jornal dos Desportos, o presidente da Federação Angolana de Ténis de Mesa, Filomena Fortes, considerou positivo os acordos assinados com a empresa chinesa. A parceria contribuiu para a formação de oito atletas e de um treinador durante dois anos. A bolsa de estudo atribuída a Manuel Pimenta permitiu ao país ter, pela primeira vez, um treinador de nível internacional.

“Os dois acordos funcionaram positivamente. Foram formados oito atletas, dos quais quatro feminino, bem como de um técnico angolano que hoje participa da construção de conhecimento no país", disse.Filomeno Fortes avançou que Angola esteve sempre entre os quatro países melhores qualificados de África. Conseguiu os títulos de campeões continentais nas categorias de cadetes e domina actualmente a zona V do desenvolvimento do desporto.

Reconheceu que o país vai ter uma quebra nos próximos dois anos nos escalões de cadetes porque não conseguiu manter a sequência do nível competitivo à semelhança dos jovens da China.“Vamos precisar de dois anos para recuperar a hegemonia nos cadetes. Nos escalões de juniores, mantemos a perspectiva de, pelo menos dois a três atletas, manterem-se no ranking.

Na zona V da África Austral, não tenho dúvida nenhuma que Angola é a maior potência em seniores”, frisou. Filomena Fortes destacou que "nesse momento, a parceria está em banho-maria à espera de criação de condições para avançar com uma proposta mais sólida na cooperação”.

O presidente cessante da FATM anunciou que o novo projecto de cooperação com a China vai cingir-se em moldes diferentes dos acordos do passado.Em função das experiências recolhidas, alguns pontos devem ser ultrapassados para se alcançar maior sucesso. O estudo das crianças constituiu na maior preocupação dos pais e influenciou negativamente no processo de aprendizagem das crianças, segundo Fortes.

“Infelizmente, a Federação assumiu a recuperação dos estudos dos jovens com pagamento de propinas nos colégios a fim de compensar os dois anos perdidos na China. Não queremos que o próximo grupo venha a sentir-se afectado nesse quesito, por sinal, o principal", disse.No próximo acordo, a FATM vai propor que as crianças beneficiadas com a bolsa de estudo de ténis de mesa possam desfrutar de cinco anos de formação na China.

Para facilitar a formação das crianças angolanas na China, a direcção da FATM vai propor no próximo acordo o aprendizado de mandarim no país. Filomena Fortes justificou que os atletas perdem muito tempo nas primeiras semanas para se comunicarem com os nativos.  O grupo de atletas vai ser constituído por atletas "com menos vínculo familiar".

Os pais e os encarregados de educação estariam mais à vontade para permitir a presença dos filhos durante os cinco anos, segundo Fortes. O dirigente realça que "é um tempo suficiente para que possam estudar e regressar com estatuto de atletas semiprofissionais do ténis de mesa".Na hora de balanço, Filomeno Fortes assegurou que desenvolveu um "trabalho satisfatório" durante os dois mandatos na Federação Angolana de Ténis de Mesa. É hora de dar lugar a outras mentes para que dêem continuidade à hegemonia conquistada em África.

ELEIÇÕES
Fortes descarta recandidatura


O presidente cessante da Federação Angolana de Ténis de Mesa (FATM), Filomeno Fortes, descartou, no Lubango, a hipótese de concorrer ao terceiro mandato, nas eleições previstas para o próximo mês de Outubro. O término do segundo mandato constitui no principal motivo.Filomeno Fortes sustenta que chegou o momento para outros concorrentes imprimirem um dinamismo diferenciado à modalidade e permitir o alcance de saltos qualitativos. Apesar de não se recandidatar, Filomeno Fortes garantiu a total disposição em continuar a apoiar o ténis de mesa em Angola.

“Mantenho a disposição de não me recandidatar para o terceiro mandato, mas manifesto a minha disposição de continuar a apoiar o ténis de mesa; devo dar oportunidades a outras pessoas para darem outro dinamismo que precisamos”, anunciou.O presidente cessante defendeu a implementação de programas viáveis para o desenvolvimento do ténis de mesa no país. Fortes acrescentou que, nesse momento, estão a ver qual pode ser o melhor programa para o crescimento da modalidade até em 2020.

“Precisamos dar um salto qualitativo. Com a minha experiência, creio que posso ajudar o futuro elenco federativo a desenvolver um programa que permita o pais atingir um nível melhor do que está agora dentro de quatro anos", disse.

TÉNIS
Suspenso por apostar em jogos

O tenista francês Constant Lestienne foi suspenso por sete meses, e multado em 8.900 euros, por fazer apostas no ténis, revelou ontem a Unidade de Integridade no Ténis (UTI). Lestienne, de 24 anos e 164.º no "ranking" mundial, fez apostas em 220 encontros de ténis, nenhum que o envolvesse durante um pouco mais de três anos, de Fevereiro de 2012 a Junho de 2015. “A suspensão tem efeito imediato e significa que o jogador não pode competir ou comparecer em qualquer torneio.