Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Passaporte de servio embaraa Seleco Nacional

22 de Agosto, 2019

Fotografia: Paulo Mulaza

A três dias de embarque para as ilhas Maurícias, palco do campeonato africano de Optimist a  decorrer de 25 do corrente a 4 de Setembro, a morosidade na emissão do passaporte do campeão nacional de vela, Osvaldo da Gama, preocupa a equipa técnica da selecção nacional. O melhor velejador do país aguarda há mais de um mês o documento a ser emitido pela Direcção Nacional de Emigração e Estrangeiros.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o seleccionador nacional Moisés Camota considera a situação \"complicada\" face ao aproximar da data de viagem para o palco da competição. Após o último treino do conjunto, Moisés Camota assegurou que Osvaldo da Gama é o maior activo do grupo angolano na competição continental.
\"Estamos preocupados com a situação. O Osvaldo é a nossa maior aposta na competição por ser o único com experiência e títulos continentais. Se não for connosco, corremos o risco de não atingir o resultado pretendido\", disse.
Face aos constrangimentos constatados no grupo, o seleccionador nacional apela às entidades responsáveis a velar pela emissão do documento antes da data de partida.
\"Felizmente, notámos a preocupação da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento Neto, quando se pronunciou sobre a situação. Agradecemos e esperamos que tudo se resolva para que o atleta embarque connosco\", frisou esperançado.
Moisés Camota esclareceu as motivações que o levam acreditar na obtenção da medalha de ouro que escapou ao país na edição passada.
\"Em África, a vela angolana é um alvo abater pela qualidade evidenciada em diferentes torneios e campeonatos. Reconhecemos a potencialidade das outras selecções, mas vamos com um único objectivo: conquistar o ouro. Somos os vice-campeões e pretendemos superar a classificação anterior. O nosso lugar é o primeiro do pódio\", garantiu.
Para conferir a certeza do resgate da liderança africana, o seleccionador nacional agradece o apoio da patrocinadora, Total Angola, uma empresa mundial, líder na exploração de hidrocarbonetos, concretamente na exploração de petróleo e gás.
\"Agradeço profundamente a Total Angola pelo apoio prestado à selecção nacional de optimist. Sem o qual, não teríamos conseguido alcançar os actuais níveis competitivos que garantam a recuperação da medalha de ouro\", disse.
A Total Angola presta assistência financeira que servem para custear as despesas com as inscrições dos atletas, aluguer de barcos, hospedagem e alimentação.
Na lista dos convocados alinham Bráulio Gumba, Osvaldo da Gama, Fernando Sabalo, Armindo de Sousa, Wilson Camota, Ronancio Paulo, Luís Vasco, Aline Lourenço, Joana de Brito e Victória Camota. Os atletas são auxiliados pelos técnicos Moisés Camota e Rui Albuquerque.
A selecção nacional de vela optimist conquistou em 2016 o título de campeão africano na Baía da Ilha de Luanda. Em 2017, Angola revalidou o título continental no Egipto com duas medalhas de ouro e uma de prata. Em 2018, a selecção nacional perdeu o título para os moçambicanos, que acolheram a competição. Angola ficou com as medalhas de prata e de bronze.