Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Patinagem decresce na Hula

Gaudncio Hamelay | no Lubango - 15 de Junho, 2019

O campeonato provincial unificado de patinagem no Namibe comea a ser disputado hoje e congrega duas voltas.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Em véspera da participação da selecção nacional de hóquei em patins nos Jogos Mundiais a decorrer em Barcelona, Espanha, os gritos de socorro soam no Lubango. A Associação provincial local de Patinagem clama aos agentes desportivos e aos empresários a apoiar a modalidade ante o decréscimo competitivo que se regista há três anos. A \"propalada\" crise económica é apontada como a \"responsável\" da falta de apoios.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente da Associação da Huila, Hernani dos Santos, assegurou que \"os esforços evidenciados pelos clubes locais podem redundar em nada se não houver a comparticipação do sector empresarial e federativo\".
\"O decréscimo competitivo é muito grande. O hóquei em patins decaiu bastante por culpa da crise económica. Também foi abrangida por arrasto da situação financeira\", disse.
Hernani Santos reafirmou que a Associação deixou de ter apoios da Federação Angolana de Patinagem e não tem meios para suportar os processos de massificação e de desenvolvimento.
\"Enquanto a patinagem girar em torno da Associação local vai ser muito complicado conferir os processos de desenvolvimento. Há dificuldades de toda a ordem para repor os sticks, cotoveleiras, joelheiras, entre outros meios, que são onerosos\", afirmou.
Hernani Santos sustenta que \"o hóquei em patins na Huíla resiste as intempéries e vai manter-se de pé até que surjam os apoios\". O tempo é o juiz. Se não houver meios de sustentação, a sentença vai chegar: \"não vai sobreviver\".
\"É o que está a acontecer. As equipas deixaram de investir no escalão de iniciados e estão na iminência de perderem também os escalões de juvenis e depois os juniores\", alertou.
Os desaparecimentos dos escalões de formação preocupam a Associação. Hernani Santos garantiu evidenciar esforços para se retomar o processo de massificação \"por ser o viveiro\".
\"O hóquei em patins vai sobreviver se houver apoios. O contrário vai ser difícil continuar na grelha dos desportos huilanos\", preveniu.
O presidente de direcção da Associação, Hernani Santos, apela à Federação Angolana de Patinagem a rever a política de apoios às filiadas, porquanto \"a Huíla enfrenta inúmeras dificuldades\".
\"Sabemos que a Federação também está com muitas dificuldades, mas devem fazer o possível ou o impossível para apoiar as filiadas, como a Huíla, que têm muitas dificuldades\", disse.

MASSIFICAÇÃO
Associação precisa patins “chara-chara”

A qualidade de formação do atleta determina o nível competitivo nos escalões superiores. A selecção nacional é formada nos últimos anos por \"estrangeiros\" por indisponibilidade de craques nas equipas nacionais. Para a substituição  dos \"estrangeiros\" é imperioso que o ABC seja transmitido nos clubes dentro dos parâmetros já definidos. A criança precisa de tomar contacto com equipamentos desde o primeiro dia.
Na Huíla, a escassez de material inviabiliza a formação e o processo de desenvolvimento está comprometido. Não há stickes, bolas, joelheiras, caneleiras, cotoveleiras, luvas e equipamentos de guarda-redes para todos os escalões. O pouco material existente não permite a inserção de mais atletas. Ante a dificuldade, Hernani Santos afirma que se precisa \"com urgência novos equipamentos\".
\"Só se vai jogar hóquei em patins na Huila, se houver equipamentos. O mais importante é o material de massificação. Queremos patins de massificação para começarmos uma nova fase de formação de atletas. Os patins de iniciação vão permitir a continuidade da modalidade\", disse.
Hernani Santos sustenta: \"Apesar de serem materiais muito onerosos, os chara-chara, assim são designados os patins de massificação, as entidades empresariais podem ajudar-nos com pequenas doações. Se cada um oferecer-nos dois pares, pelo número de empresários locais, vamos dispor de um lote suficiente para promover a massificação sem dificuldades\".
O presidente de direcção, Hernani Santos, afirmou que \"os chara-chara são patins para atletas não profissionais\". As crianças das escolas de formação tomam contacto com patins de botas a partir dos escalões de juvenis. Os preços dos patins diferenciam-se pela qualidade e marca.
A Escola de formação da Associação Provincial de Patinagem da Huíla absorve crianças de 10 de anos de idade, mas estão dispensados dos treinos por \"falta de patins\".

ASSOCIAÇÃO DA HUÍLA
HuilaFestiPatins entristece Hernani Santos


HuilaFestiPatins é uma marca que se consolida no tempo. Desde o lançamento há 11 anos, a patinagem junta crianças e jovens da região Sul de Angola num evento que fortalece a amizade e o convívio. Todos os anos, Lubango veste-se de stickes e patins para desfilar no pavilhão da Nossa Senhora do Monte. O certame promovido e realizado pela Associação Provincial de Patinagem da Huíla é a única do calendário de actividades que reúne as demais províncias.
A HuilaFestiPatins não é o encanto da instituição. Por ser a única actividade com periodicidade anual entristece Hernani Santos, presidente de direcção da Associação da Huíla.
\"Com alguma tristeza, digo que é a única competição inter-provincial com a participação da Huíla. Infelizmente, vivemos essa realidade há dois anos por falta de apoio da Federação Angolana de Patinagem. Estamos de mãos atadas e contentamo-nos com o apoio da empresa patrocinadora da HuilaFestiPatins, a Coca-Cola\", disse.
Hernani Santos sustentou que, ante \"o desprezo\" da Federação, a Associação provincial da Huíla vai \"mendigar\" junto de empresários locais para obter patrocínios com vista o regresso da Huíla às competições nacionais.
            
FALTA DE INVESTIMENTO
Benfica de Moçâmedes
enfrenta carência material


O hóquei em patins enfrenta dificuldades de ordem material. A equipa do Benfica de Moçâmedes movimenta três categorias de formação, mormente, iniciados, juvenis e juniores, em meio a carência. Os altos custos de materiais influenciam na qualidade de formação dos petizes.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o treinador da equipa júnior dos encarnados das terras da welwitschia mirabilis, Tozé Nunes, assegurou que \"o hóquei em patins é dispendioso\".
\"Os altos custos fazem com que a modalidade não vai muito bem. Não há material no país para sustentar as três categorias\", disse
O Benfica de Moçâmedes é uma \"inclina\" de pódios. A equipa juvenil masculina ostenta o título de vice-campeã nacional, obtido em 2018. A participação no HuilaFestiPatins serviu de preparação para atacar os troféus dos próximos campeonatos provinciais e nacionais, segundo o treinador.
\"Temos tempo para nos preparar melhor. Os campeonatos nacionais são disputados no fim do ano. Os indicadores obtidos neste evento (HuilaFestiPatins) vão ajudar-nos a melhorar os diferentes sectores\", disse.
Além de Benfica de Moçâmedes, o Atlético do Namibe e Ferroviário de Moçâmedes promovem a massificação de hóquei em patins nas terras da welwitschias mirabilis. A equipa de Caminhos de Ferro de Moçâmedes paralisou os trabalhos no ano passado por dificuldades materiais e financeiras. No ano corrente, o projecto \"voltou aos carris em alta velocidade\".
\"É uma equipa que está na ribalta\", elogiou.
O campeonato provincial unificado de patinagem no Namibe começa a ser disputado hoje e congrega duas voltas.