Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Pavilho da Cidadela talism

Melo Clemente - 12 de Novembro, 2018

Fotografia: Edies Novembro

Quando em 1997, o combinado nacional perdeu a hegemonia de quase uma d?cada, os aficionados da \"bola ao cesto\" no continente africano acreditavam, que tinha acabado o reinado da Selec??o Nacional. O Governo Angolano, por via do Minist?rio da Juventude e Desportos, assumia, mais uma vez, a organiza??o do Campeonato Africano das Na?es, vulgo Afrobasket, isto em 1999, dez anos depois de ter acolhido o seu primeiro africano.
Luanda e Cabinda foram as prov?ncias escolhidas pelo Comit? Organizador da referida competi??o, para albergar o certame. Tal como na primeira edi??o, os angolanos voltaram a evidenciar um n?vel de organiza??o not?vel, colocaram ? disposi??o das delega?es todas as condi?es, quer t?cnicas, quer administrativas. A jogar em casa e diante do seu p?blico, a Selec??o Nacional teve uma participa??o irrepreens?vel, terminando a fase preliminar sem qualquer derrota.
Galvanizados com a excelente presta??o da fase regular, os angolanos acabaram por vencer o Campeonato Africano da Na?es, depois de bateram na final a similar da Nig?ria, por 79-72. Entretanto, desde 1999 at? 2009,? Angola conquistou seis t?tulos africanos. O \"cinco\" nacional venceu as edi?es de 1999/Angola, 2001/Marrocos, 2003/Egipto, 2005/Argel, 2007/Angola? e 2009/L?bia.
Em 2007, sob lideran?a de Alberto de Carvalho \"Ginguba\", coadjuvado por Jos? Carlos Guimar?es e Artur Casimiro Barros, Angola conquistava em solo p?trio mais uma edi??o do Campeonato Africanos das Na?es. O jovem Felizardo Ambr?sio, extremo poste do 1? de Agosto, com 19 anos de idade, conquistava o seu primeiro anel continental.? Pela primeira vez na hist?ria, a competi??o foi disputada em cinco cidades do pa?s, designadamente Luanda, Cabinda, Benguela, Huambo e Hu?la.
Angola venceu na final os Camar?es, por 86-72. Em 2009, a Selec??o Nacional foi a L?bia e conquistou o d?cimo t?tulo africano. Contra todas as expectativas, Angola voltava a falhar a conquista de uma prova continental em Antananarivo, capital do Madag?scar. Sob comando do franc?s Michael Gomes, o combinado nacional quase que sucumbia nos quartos-de-final.
Com um curriculum invej?vel, o t?cnico franc?s n?o conseguiu levar a bom porto ? Selec??o Nacional e foi despedido a meia da competi??o.
J? sob o comando do t?cnico angolano, Jaime Covilh?, os angolanos conquistavam a medalha de prata. Angola precisou apenas de dois anos para recuperar o t?tulo africano, isto em 2013. Com Paulo Macedo ? cabe?a, Angola voltava a erguer mais um trof?u continental, prova disputada na Costa do Marfim.
Angola tornou a trope?ar em 2015, desta no Campeonato Africano de Rad?s, Tun?sia, sob lideran?a do t?cnico espanhol, Moncho L?pez. Curiosamente, Angola voltou a perder em 2017, na Tun?sia, sob comando t?cnico de Manuel Silva \"Gi\".
Em quase tr?s d?cadas de dom?nio absoluto, Angola conquistou 11 trof?us continentais e perdeu quatro t?tulos.


DESPORTO ADAPTADO
Vinte e quatro anos
a acumular sucessos


O desporto adaptado celebrou a 10 do m?s em curso, o vig?simo quarto anivers?rio desde a sua implementa??o no pa?s, acumulando sucessos atr?s de sucessos.
Sob iniciativa de um grupo de trabalhadores afectos ao Minist?rio da Juventude e Desportos, com particular realce para o? ent?o secret?rio de Estado para o Desporto, Albino da Concei??o, proclamava-se no dia 10 de Novembro de 1994, a Associa??o dos Desportos para Deficientes de Angola (ADDA).
O projecto teve in?cio na capital do pa?s, Luanda, e rapidamente estendeu-se para as demais prov?ncias, sendo hoje uma realidade em quase toda a extens?o do territ?rio nacional.
Fruto do dinamismo dos seus dirigentes a Associa??o dos Desportos para deficientes se transformou em Federa??o Angolana de Desporto para Deficientes (FADD), isto em 1996.
No ano de 2000, a federa??o deu lugar ao Comit? Paral?mpico Angolano (CAPA), designa??o que se mant?m at? aos dias de hoje. Com Leonel da Rocha Pinto no comando, o desporto adaptado come?ou a se destacar n?o apenas no pa?s, mas tamb?m al?m fronteiras. Atletismo e nata??o foram as modalidades que come?aram a trazer medalhas ao pa?s, isto no final da d?cada noventa (1999). Ao contr?rio da nata??o, a disciplina de atletismo constitui hoje a principal mascote do desporto adaptado em Angola a par do basquetebol em cadeira de rodas e futebol com muletas, esta ?ltima modalidade, que recentemente se sagrou campe? mundial.
Dez anos depois da implementa??o da pr?tica do desporto adaptado no pa?s, Angola surpreendia o mundo, isto em 2004, nos Jogos Paral?mpicos de Atenas, Gr?cia, com Jos? Armando Sayovo, ao conquistar nada mais, nada menos, do que tr?s medalhas de ouro, nos 100, 200 e 400 metros.


BASQUETEBOL ? MUNDIAL
?Opera??o? Luanda
come?a hoje


A Pr?-Selec??o Nacional de basquetebol em seniores masculino arranca esta manh?, a partir das 9h00, no Pavilh?o Anexo n?mero dois da Cidadela Desportiva, com os trabalhos de prepara??o, visando a disputa da quinta janela de qualifica??o zona africana para a Copa do Mundo da Rep?blica Popular da China, em 2019, prova a decorrer 30 do m?s em curso a 2 de Dezembro pr?ximo, no Pavilh?o Arena do Kilamba, em Luanda.
Para \"Opera??o\" Luanda, o seleccionador nacional, Will Voigt, que pela primeira vez desde que foi contratado em Novembro do ano passado, vai trabalhar no pa?s por um per?odo superior a duas semanas, convocou vinte e um (21) atletas, onde o destaque recai, sem sombras de d?vidas, pelas estreias do Ludgero Samuel Galiza e Glofate Garcia Buimba, ambos jogadores do Atl?tico Sport Avia??o (ASA), para al?m do regresso de Felizardo Ambr?sio \"Miller\", poste do 1? de Agosto, que representou as cores do \"Cinco\" Nacional pela ?ltima vez, aquando da disputa do Campeonato Africano das Na?es de 2017, vulgo Afrobasket, prova coorganizada pelo Senegal e Tun?sia, respectivamente.
O quartel-general dos hendecacampe?es africanos, ser? montado, provisoriamente, no Pavilh?o Anexo n?mero dois da Cidadela Desportiva, at? serem criadas as condi?es no Pavilh?o Arena do Kilamba, recinto que vai acolher mais uma vez, uma das janelas de qualifica??o zona africana para a Copa do Mundo de 2019, depois de ter acolhido, em Novembro do ano passado, a primeira janela.
Entretanto, dos vinte e um (21) atletas convocados, o seleccionador nacional contar? apenas com treze (13) jogadores, nomeadamente, Leonel Paulo, Gerson Gon?alves \"Lukeny\", Benvindo Quimbamba, Hermenegildo M?bunga e Jos? Ant?nio (Atl?tico Petr?leos de Luanda), Felizardo Ambr?sio \"Miller\", Edson Ndoniema, Jone Pedro, Mutau Fonseca, Mohamed Malick Ciss? e Pedro Bastos (1? de Agosto).
Alexandre Jungo, Gerson Domingos, ambos do Grupo Desportivo Interclube, e Ludgero Samuel Galiza,? Glofate Buimba e Reggie Moore, todos do Atl?tico Sport Avia??o (ASA), devem juntar-se nos pr?ximos dias ao grupo, dado que as duas agremia?es encontram-se na capital mo?ambicana, Maputo, onde v?o disputar a Ta?a das Cidades.
J? os jogadores que actuam na di?spora, designadamente Carlos Adilson Alc?ntara Morais, do Mens Sana Siena Basket da It?lia, Leandro da Concei??o, do Sport Lisboa e Benfica, Yanick Moreira, do Paok da Gr?cia e J?lio Claver de Assis Afonso, do Club Baloncesto Tizona Autocid de Espanha, devem juntar-se ? Pr?-Selec??o Nacional tr?s dias antes do arranque da quinta janela de qualifica??o zona africana para a Copa do Mundo de 2019, de acordo com os regulamentos do organismo que tutela a modalidade no mundo.
Tun?sia, selec??o que j? assegurou a qualifica??o para a Copa do Mundo de 2019, lidera a tabela classificativa do Grupo E, com 18 pontos, contra 15 de Angola, no segundo lugar.
Egipto e Camar?es, ambos com 14 pontos, ocupam o terceiro e quarto lugares, seguidos pelo Chad e Marrocos, que somam 12.
A Nig?ria, l?der do Grupo F, com 18 pontos, est? igualmente qualificada para a fase final da Copa do Mundo de 2019, competi??o que vai contar com 32 na?es, contra 24 das anteriores edi?es.
Seis selec?es j? asseguraram as respectivas presen?as. Tratam-se da Alemanha, Rep?blica Checa, Gr?cia, Litu?nia, Tun?sia e Nig?ria.
Eis os vinte e um (21) eleitos para \"Opera??o\" Luanda: Alexandre Jungo, Gerson Domingos (Interclube), Leonel Paulo, Ol?mpio Cipriano, Gerson Gon?alves \"Lukeny\", Benvindo Quimbamba, Hermegildo M?bunga e Jos? Ant?nio (Atl?tico Petr?leos de Luanda), Felizardo Ambr?sio \"Miller\", Edson N?doniema, Jone Pedro, Mutau Fonseca, Mohamed Malick Ciss? e Pedro Bastos (1? de Agosto), Ludgero Samuel Galiza Glofate, Garcia Buimba e Reggie Moore (Atl?tico Sport Avia??o (ASA), Carlos Morais (Mens Sana Siena Basket de It?lia), Leandro Concei??o (Sport Lisboa e Benfica), Yanick Moreira (Paok da Gr?cia) e J?lio Afonso (Club Baloncesto Tizona Autocid de Espanha).?



TA?AS DE CLUBES
Militares mant?m
a superioridade

A equipa s?nior masculina de basquetebol, do 1? de Agosto, tem dominado as competi?es africanas. O Clube Central das For?as Armadas Angolanas soma j? oito trof?us continentais. O dom?nio militar no continente ber?o, come?ou na d?cada do ano 2000, sob comando do t?cnico luso -guineense M?rio Palma.
Em 2014, a extinta forma??o do Recreativo do Libolo, sem na altura as principais unidades, casos de Ol?mpio Cipriano e Carlos Morais entre outros, destronava a forma??o militar do t?tulo, acabando com o reinado que perdurava h? quase uma d?cada.
A n?vel das senhoras, Grupo Desportivo Interclube e o 1? de Agosto, t?m repartido ?s conquistas a n?vel da Ta?a dos Clubes Campe?es Africanos.??????
M.C???????????????????????