Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Pdio no adeus de Jorge Lorenzo

Francisco Carvalho - 14 de Novembro, 2016

Jorge Lorenzo ofereceu a Yamaha a ltima vitria

Fotografia: AFP

Na prova de encerramento do campeonato mundial da MotoGP de 2016, Jorge Lorenzo protagonizou ontem, no seu 250º Grande Prémio Mundial, uma das melhores corridas da carreira. Com uma largada brilhante, o campeão destronado não teve rivais por perto, ao longo do Grande Prémio Valenciano.Os mais directos adversários, Marquez e Rossi, perderam-se no meio do pelotão e deixaram-no à solta. Jorge Lorenzo ofereceu à Yamaha a última vitória na presente época.

O atleta espanhol vai representar na próxima época desportiva a Ducati. Com a vitória, recuperou a segunda posição da tabela geral da classificação.A última prova de MotoGP2016 ficou também marcada com a grande recuperação do campeão em título, Marc Marquez. O tricampeão teve uma largada ruim e foi ultrapassado antes da primeira curva, por Iannone, Viñales e Rossi. Para complicar as contas, perdeu-se a meio do pelotão.

Muito calculista, uma característica que marcou na presente época, Marc Marquez livrou-se dos mais lentos e colou-se atrás de Valentino Rossi, que ocupava a quinta posição. Com as medidas à mão, acompanhou o italiano em todas as voltas e ultrapassagens.A meio da corrida, Rossi e Iannone decidiram "brincar aos gatos", ou seja, passo eu, passas tu perante o olhar de Marc Marquez. Ciente dos objectivos, o campeão manteve a calma. A dez provas do final, agiu para livrar-se dos "meninos". Quando tudo apontava para o segundo lugar para Rossi ou Iannone, Marquez acelerou forte a 12 voltas para o final, e ultrapassou os dois em momentos diferentes. Primeiro, despachou Valentino Rossi e assumiu o terceiro lugar. Atrás do italiano Viñales que incomodava.

O número 93 partiu para cima de Andrea Iannone. Com destreza, ultrapassou-o. Na recta, o motor da Ducati fez a diferença e com facilidade, o italiano recuperou a posição. Marquez não se cansou e atacou outra vez. Bem sucedido, foi atrás de Jorge Lorenzo que estava a 5s235 de vantagem.Com perspicácia, a oito voltas do final, acelerou e reduziu para 2s370. A pressão forte sobre o líder da prova que surtia efeitos. Antes do cair do pano, os dois espanhóis estavam separados a um segundo.O campeão mundial ofereceu a Honda, o título de campeã de 2016. A equipa japonesa celebra  mais um título de construtores.

O Grande Prémio Valenciano fica também marcado pela queda de Dani Pedrosa, na sexta volta. Não refeito da lesão sofrida, o espanhol da Honda Repsol caiu na curva 2. A meio da corrida, Cal Crutchlow encerrou a época da pior maneira. Sem o controlo da moto na curva 14, o britânico caiu. O abandono mancha a boa época que fez.Na tabela de classificação geral do Grande Prémio Valenciano, Jorge Lorenzo terminou na liderança, seguido de Mar Marquez, Andrea Iannone, Valentino Rossi e Viñales a fechar o top-5.

MOTO2
Johann Zarco encerra com vitória


À semelhança de Marc Marquez, Johann Zarco aproveitou as dez voltas finais, para quebrar a resistência dos principais adversários. Na Moto2, Zarco caiu por cima de Franco Morbidelli e despediu-se da época'2016 com sétima vitória. É o único bicampeão da história da categoria.
Ao longo de toda a prova, o piloto francês travou um grande despique com Franco Morbidelli. Pole position, Zarco teve de enfrentar um Morbidelli embalado, que dificultou muito a vida do titular da Ajo na primeira metade da disputa. Os dois chegaram a disputar a liderança curva a curva, com pequenos toques aqui e ali.

Na 15ª das 27 voltas da corrida, Johann Zarco  passou a Ángel Nieto, a sexta curva do circuito Ricardo Tormo, e tratou de subir o passo consideravelmente para anular os esforços do rival. Mesmo empenhado na missão de perseguir o número 5, Morbidelli não tinha mais  que tirar da Kalex da Marc VDS e teve de adiar para 2017, o sonho da sua primeira vitória no Mundial.

Para entristecer ainda mais o pupilo de Valentino Rossi, Tom Luthi apertou o passo no fim, e sem aderência na traseira, perdeu a segunda posição.Sam Lowes seguiu o caminho trilhado pelo suíço, e com Álex Rins também a sofrer com o desgaste dos pneus, aproveitou para roubar a quarta posição na volta final. Takaaki Nakagami assegurou o sexto posto, com Mattia Pasini em sétimo. Jonas Folger ficou em oitavo, com Danny Kent e Marcel Schrotter a completar o top-10.

Depois da bandeira axadrezada, Zarco comemorou com o tradicional backflip, enquanto Rins vestiu uma camisola para homenagear Luis Salom, que morreu após um acidente nos treinos livres para o Grande Prémio da Catalunha.Com o resultado, Rins garantiu o terceiro posto na classificação do Mundial com apenas um ponto de vantagem sobre Morbidelli.

MOTO3
Brad Binder vence no fecho
  

O domínio da KTM em Valência continua intacto, e graças a Brad Binder. O sul-africano foi incrível na sua prova de despedida da Moto3, e alcançou a sétima vitória em 2016. Mesmo a largar em segundo, o piloto da Red Bull KTM Ajo caiu para 22º, ainda no início da corrida, após cometer um erro na curva seis. Com um ritmo  superior, o sul-africano subiu aos poucos o pelotão até voltar à luta pelo pódio.

Nas voltas finais, Brad Binder alcançou a liderança, mas um novo erro lançou-o para a quarta posição. Mais uma vez, o campeão de 2016 respondeu e voltou à luta, retomou a liderança na volta final para receber a bandeira axadrezada com 0s056 de vantagem sobre Joan Mir, que garantiu o título de melhor estreante do ano.

Andrea Migno também teve uma boa actuação e chegou a liderar, mas acabou em terceiro, à frente de Enea Bastianini. Na luta pelo rótulo de melhor estreante, Fabio Di Giannantonio acabou em quinto, à frente de Juanfran Guevara. Jakub Kornfeil ficou com o sétimo posto, escoltado por Philipp Oettl.A correr em casa, Jorge Navarro não fez a melhor das suas exibições e terminou em nono, à frente de Jorge Martín. O estreante do Mundial para substituir a lesionada María Herrera, Raul Fernández conseguiu um impressionante 11º posto.