Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Prez ainda se considera longe de vitrias em 2013

26 de Junho, 2013

A prioridade maximizar a nossa performance este ano e tentar obter o melhor resultado possvel, para depois concentrarmos os nossos esforos no futuro, concluiu.

Fotografia: AFP

Descontente com o desempenho da McLaren esta época, Sergio Pérez não esconde a dificuldade de lutar por vitórias este ano. Mesmo com o esforço da equipa para melhorar o MP4-28, o carro ainda não se mostra competitivo em relação aos de outras equipas, o que dificulta a luta por um lugar no pódio.“Neste momento, somos um segundo por volta mais lentos do que os nossos rivais. Não podemos pensar em vitórias com este ritmo. Ainda estamos longe disso. Precisamos de grandes evoluções. Não se vencem corridas quando se é um segundo mais lento”, comentou o piloto.

Actualmente, Pérez é apenas o 13º colocado na classificação geral de pilotos, com 12 pontos, 120 a menos do que o líder Sebastian Vettel. A equipa ocupa a sexta posição na classificação de construtores. Ainda que não acredite em títulos esta época, o mexicano considera as próximas provas importantes para melhorar ainda mais, já de olho numa evolução para 2014.

“Temos de dar o nosso melhor nos próximos meses, porque em algum momento vamos ter de nos concentrar totalmente em 2014. Não há a possibilidade de perdemos mais um ano. Queremos ganhar, somos uma equipa vencedora. A prioridade é maximizar a nossa performance este ano e tentar obter o melhor resultado possível, para depois concentrarmos os nossos esforços no futuro”, concluiu.

SANÇÃO A MERCEDES
Patrão da marca considera severa


O chefe da Mercedes, Ross Brawn, lamentou a perda dos testes de novatos, depois de ter sido punida pelo facto da equipa ter participado de um teste secreto junto com a fabricante de pneus Pirelli. Apesar de muitas equipas terem criticado a penalidade branda, o dirigente posicionou-se de forma contrária, considerou  a imposição severa. Após o anúncio ter sido feito, a Mercedes nem sequer entrou com recurso e aceitou a punição, porém Brawn não deixou de expressar as suas lamentações e insatisfação pela penalidade aplicada. Segundo o dirigente, a actividade era aproveitada para testar o desenvolvimento do W04.

"Estamos a analisar as consequências da nossa ausência do teste com novatos porque nós tínhamos planeado um programa técnico bastante abrangente. Agora estamos a analisar internamente como recuperar a perda deste programa", ressaltou em entrevista ao site britânico Autosport.
Brawn fez questão de destacar que não concorda com as equipas que julgaram a imposição branda demais. "É lamentável que algumas equipas estão a considerar que essa punição não é significativa. A punição é muito severa", opinou