Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Pssima qualidade pinta o apuramento

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 08 de Setembro, 2018

Futuro do basquetebol est muito tremido no pas

A qualidade do basquetebol das equipas participantes do campeonato de apuramento ao Unitel Basket 2018-2019, que termina hoje no Lubango, é \"muito péssima\". As direcções de clubes e as equipas técnicas são aconselhadas a trabalhar mais nos aspectos tácticos e técnicos. A apreciação é de Alberto Bumba, treinador do Clube de Formação Desportiva Kwanza de Luanda.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Alberto Bumba aconselha os colegas de profissão a prestarem mais atenção aos escalões de formação. A título de exemplo, citou a sua equipa que trabalha há nove meses na descoberta de talentos para o basquetebol nacional.
\"Com excepção da minha equipa (Sub-23) e a Casa Pessoal do Porto do Lobito, os clubes apresentam aspectos técnicos e tácticos péssimos, um basquetebol muito pobre. Temos de trabalhar muito na técnica individual dos atletas com repetições nos gestos\", disse.
O treinador do Clube de Formação Desportiva Kwanza de Luanda sustenta que as correcções nos escalões acima de Sub-18 exigem do treinador \"muita paciência e abnegação do atleta\", pois, \"os fundamentos estão firmados no estilo pessoal\".
\"O que constatamos aqui é muito mau para um atleta de 24 anos de idade e do nosso basquetebol. Há muitas debilidades\", referiu.
Bumba disse que a equipa a ser apurada para Unitel Basket não tem as condições para enfrentar as \"poderosas\" do país.
\"Sou sincero. Nem a minha equipa está pronta para o Unitel Basket. O nosso objectivo é mostrar bom basquetebol nos jogos com Petro de Luanda ou 1º de Agosto. Estamos muito abaixo para equilibrarmos os jogos com as equipas poderosas\", reconheceu.
O treinador revelou que o Kwanza de Luanda tem como objecto social a formação de atletas e inseri-los nos grandes clubes angolanos. Recolhem atletas com idades de seniores sem espaço entre os grandes e submetem-nos a um trabalho aturado de correcção de táctica individual.
\"O nosso trabalho é formar atletas talentosos para o basquetebol e cedemo-los às equipas interessadas\", sublinhou.
O Clube de Formação Desportiva do Kwanza de Luanda (CFDK) existe há dois anos e só trabalha com os escalões de formação. Actualmente, movimenta 200 praticantes nos escalões de mini -basquetebol, iniciados, cadete e júnior; possui uma equipa feminina de Sub-15.