Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro empossa nova direcção

Silva Cacuti - 23 de Julho, 2014

Presidente Tomás Faria promete revitalizar a gestão do Petro de Luanda para o tornar num dos melhores clubes de África

Fotografia: M. Machangomgo

O Petro de Luanda abre hoje uma nova página, quando testemunhar, às 18h00, na sua sede, a tomada de posse de Tomás Faria, o sétimo presidente de direcção da sua história, eleito a 19 do corrente para consumar o mandato iniciado em 2012 por Mateus de Brito, que faleceu em Abril último.
O novo timoneiro petrolífero propõe-se  alterar o quadro actual do clube, descrito como "crítico", tanto no aspecto desportivo como administrativo.

Tomás Faria e o seu elenco encontram um clube que venceu pela última vez o Girabola em 2009 e o de basquetebol em 2011. O futebol e o basquetebol foram definidos na estratégia da nova direcção como primeira e segunda modalidades do clube. O andebol feminino, no terceiro posto das prioridades no clube, é a modalidade mais ganhadora e vai tentar resgatar o troféu perdido no ano passado para o rival 1º de Agosto.

Tomás Faria convenceu os sócios com o "Plano de Desenvolvimento Desportivo Integrado (PDDI)" que traça as linhas mestras que vão liderar a sua gestão. Uma destas linhas é a alteração do quadro dos prémios. Deixam de ser pagos os prémios de jogo para se premiar a conquista de troféus.
"Os prémios por jogo, infelizmente, têm prejudicado o clube. Têm sido pagos, mas perdemos o dinheiro e o troféu no final da competição.

Ao optarmos por este novo procedimento, caso o troféu não seja conquistado, perdemo-lo, mas não gastamos dinheiro. Para ser atractivo, eventualmente, podemos acumular os prémios de jogo previstos e adicionar ao do troféu e pagá-los, em caso de conquista da competição", lê-se no PDDI.

O acto de tomada de posse vai ser presidido por Gaspar Martins, presidente da mesa da assembleia-geral. Elenco completo de Tomás Faria: Mesa da Assembleia-Geral: Sebastião Martins (presidente), José Jaime de Freitas (vice-presidente), Arlindo Ferreira (1º secretário) e Pascoal Neto (2º secretário); Direcção: Tomás Faria (presidente), Alfredo Soares e Francisco "Chico" Afonso (vice-presidentes), Artur Barros, Elisa Webba, Gabriel

Deolinda e Manecas Madeira (vogais);  Conselho Fiscal: Mbiavanga Filipe (presidente), João Isalino (1º secretário) e Natacha Massano (2º secretário) e Conselho Geral:  Hermínio Escórcio (presidente), Joaquim David, José Botelho de Vasconcelos, António Mangueira, Sianga Abílio e João da Silva Neto e Armando Machado (vice-presidentes).

Tomás Faria é o sétimo presidente da história do clube petrolífero, depois de António Mangueira, Botelho Vasconcelos, Silva Neto, Paulo Gouveia Júnior, Cardoso Pereira e Mateus de Brito.