Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro mantm a tradio e comea poca com vitria

Silva Cacuti, em Malanje - 06 de Abril, 2014

Natlia Bernardo recebeu a taa das mos do governador de Malanje Norberto dos Santos

Fotografia: Jos Soares

Canja. É o que Vivaldo Eduardo e pupilas podem dizer da estreia de Victor Tchikoulaev no comando técnico da equipa sénior feminina de andebol do 1º de Agosto e da conquista da oitava edição da Supertaça Francisco de Almeida, disputada ontem no pavilhão Palanca Negra, em Malange. Ao intervalo o Petro vencia por 16-10 e no final 32-26.

Este é o resultado mais volumoso dos últimos sete confrontos entre assíduas equipas.

Viktor Tchikoulaev apresentou-se aos três mil espectadores que lotaram o pavilhão com uma equipa descaracterizada e muito permissiva que, em toda a primeira parte jogou dignamente por apenas 17 minutos. Até aí as militares comandaram sempre o marcador.

Ao minuto 18, Vivaldo lançou Azenaide Carlos para o primeiro jogo oficial com as cores petrolíferas, diante da sua anterior equipa. A atleta correspondeu e numa sentada fez três golos, abrindo a vantagem que se construiu até ao intervalo.

A atitude de apatia, marcada por excesso de erros técnicos retirou o animo aos adeptos que eufóricos aplaudiam as duas equipas. A claque agostina calou-se e a petrolífera não se sentia estimulada para grandes manifestações de apoio. A sala ficou silenciosa.

O retorno ao jogo mostrou que o intervalo fez bem às comandadas do novo treinador e fez mossa nas hostes petrolíferas.

As militares abriram um parcial de 0-3, nos primeiros três minutos do reatamento. O desempenho reactivou o jogo do 1º de Agosto e devolveu a toada de equilíbrio na quadra  de jogos.

Tchikoulaev impôs um 5X0X1 em que nas funções defensivas Carolina se encarregava de anular Natália Bernardo e o resultado deu em perdidas de bola ao ataque pela equipa petrolífera que eram respondidas com golos por parte das militares.

A faltarem cinco minutos para o final, a defesa 6X0 do Petro tinha nublado as tendências do adversário que já tinha sido fintado no 6X0X1 que por alguns instantes criou confusão. O marcador subia, o jogo não tinha terminado, mas já havia festa petrolífera. Os adeptos cantavam letras de ocasião para alguns  sucesso da música angolana, enquanto se montava o palco para a cerimónia.

Em oito edições jogadas o Petro é o único vencedor da prova feminina. Natália  Bernardo, com sete golos apontados foram as melhores marcadoras da partida, enquanto Azenaide Carlos contribuiu com quatro golos para a derrota da sua anterior equipa.

Edgar Neto, adjunto de Vivaldo Eduardo atribuiu mérito às suas atletas que estão abaladas psicologicamente pelo passamento físico do presidente do clube.

"Uma derrota é sempre uma derrota no trabalho e na vida vamos continuar a trabalhar", disse o técnico da equipa do 1º de Agosto.

Recordar que, com a disputa da prova, está aberta a época desportiva do andebol angolano.


Masculinos

Interclube ergue Supertaça

A equipa sénior masculina de andebol do 1º de Agosto falhou, ontem, a conquista da Supertaça Francisco de Almeida, ao consentir derrota, 31-34, no jogo decisivo diante da similar do Interclube em jogo disputado no pavilhão Palanca Negra, em Malange.

A disputa da Supertaça inseriu-se nos festejos do 12º aniversário dos acordos de paz rubricados a 4 de Abril. Ao intervalo o 1º de Agosto já estava em desvantagem, 16-17.

O grande  momento de forma demonstrado por Edvaldo Ferreira " Moreno", melhor marcador da partida com 15 golos não foi suficiente para travar a fúria do Interclube que, diga-se, após quatro conquistas consecutivas pode auto designar -se "dono" da supertaça.

Antes do início do jogo, havia o visível desequilíbrio dos planteis, com o 1º de Agosto a superiorizar-se com 13 atletas inscritos para a prova, contra os 12 do adversário.

A equipa militar que persegue o título da Supertaça desde o ano de 2011, teve um melhor começo e aos cinco minutos vencia já por 3-1. A partir desta altura entrou em cena o "meia" Adelino Pestana "Amarelo" que com três golos seguidos avisou que o Interclube estava aí para a defesa do título.
Estabeleceu-se a toada de equilíbrio no jogo. Alternadamente as equipas assumiam o comando do marcador.

O Interclube privilegiava mais o ataque organizado e a defesa Homem a homem ao passo que Filipe Cruz fazia variações tácitas, mas com predominância para o jogo de contra ataque, em que Moreno era a unidade mais activa.

Aos 22 minutos de jogo o Interclube tinha construído três golos de vantagem, 10-13 e quando os militares intentaram a reviravolta geriram até chegar aos favoráveis 16-17, ao intervalo.

No segundo turno do jogo o Interclube acusou algum cansaço e a meio do tempo faltava reacção e concentração.

Quando as coisas indiciavam uma vitória do 1º de Agosto, a má fase passou para o lado militar e foi a equipa de Filipe Cruz que começou com erros técnicos que acabaram por ser fatais.

Aos 50 minutos o placard registava igualdade a 28 golos. Daí em diante só o Interclube mostrou vontade de querer vencer. Abriu nova vantagem de três golos e começou a fazer gestão de tempo, sobre os erros e ansiedade do adversário.

Toni Costa, técnico do Interclube conseguiu oferecer à agremiação o primeiro troféu da época derrotando o campeão e detentor da Taça da época de 2013.

"Esta conquista é fruto de muito trabalho e abre uma época em que pretendemos sair vitoriosos em todas as provas em que entrarmos", disse o técnico vitorioso, enquanto Filipe Cruz preferiu abandonar o pavilhão sem falar à imprensa. Silva Cacuti


FICHA TÉCNICA

Pavilhão: Palanca Negra Gigante, em Malange, com uma assistência de 2500 pessoas e arbitragem Élvio Gomes e Pedro Pinto as equipas alinharam:

1º de Agosto

1- António Campos,  4- André, 6- Manuel Abiglei,  8- Belchior, 9- Osvaldo, 10- Gabriel, 11-Augusto, 12- Panzo, 19- José Rolo, 20- Giovani, 22- Enio, 30- Edivaldo

Treinador: Filipe Cruz

Interclube

1- Edson, 2- Yuri, 4- Eugénio , 5- André, 6- Tomás, 12- Custódio, 13- Néstor, 14- Alfredo, 15- Varela, 18- Jaroslav, 22- Amarelo

Treinador: Toni Costa

Ao serviço da paz
Papel do desporto
realçado em Malanje


O desporto é um dos factores de consolidação da paz que o país vive há 12 anos, defendeu Caetano Tintas, director Provincial dos Desportos de Malanje, à margem da disputa da Supertaça em andebol, naquela cidade, inserida nos festejos do 4 de Abril, dia que se assinala o fim da guerra em Angola.

O responsável disse que o Governo da Província de Malanje consciente desta realidade fez coincidir a disputa da Supertaça Francisco de Almeida com a data.

“Temos a missão de consolidar a paz, para não a deixar descarrilar e o desporto joga um papel muito importante nesta missão. O deporto é uma das actividades que cria unidade entre as pessoas, une famílias, une nações. Então, nós criamos condições para o casamento entre o desporto e o 4 de Abril. Neste tipo de actividade estão pessoas de várias forças políticas e da sociedade civil para festejar a paz, e isto, é uma vitória que só o desporto às vezes permite”, disse.

Caetano Tintas disse também que a disputa da Supertaça de andebol e outras competições que a cidade regista fazem parte dos ganhos da paz. "Temos a obrigação moral de fazer a paz. Hoje ao nível do desporto podemos fazer intercâmbio com equipas vindas de outras províncias, ou municípios, porque é possível andar tranquilamente pelo país, só por causa da Paz.

Esta prova é jogada numa imponente infra-estrutura erguida em consequência da paz, o governo provincial construiu quadras poli-desportivas em todos os municípios, só por causa da paz”, sublinhou.

O responsável acredita ainda que a disputa da Supertaça vai impulsionar os jovens apreciadores do andebol, dirigentes de clubes e toda a sociedade, porque a sua direcção “ tem o andebol como modalidade de eleição”. Silva Cacuti


PUNIÇÃO
Palmarés da Supertaça


A Supertaça em andebol é uma prova instituída pela Federação Angolana de Andebol (Faand) em 2007 e serve de marco oficial para a abertura da nova época desportiva da modalidade.

Participam nesta prova as equipas seniores, masculina e feminina que na época anterior tenham vencido os respectivos campeonatos nacionais ou a Taça de Angola.

No sector feminino o Petro de Luanda é a única equipa que tem conquistas, desde a instituição da prova.

Quanto à prova masculina há mais democracia, uma vez que as três equipas já lograram a conquista do troféu.

O 1º de Agosto conquistou a primeira edição da prova em 2007. No ano seguinte disputou-se apenas no sector feminino, e em 2009, o 1º de Agosto voltou a vencer. Em 2010 foi a vez do Kabuscorp do Palanca. O Interclube venceu as edições de 2011, 2012, 2013 e 2014.