Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Phelps brilha e Brasil passa em branco

09 de Agosto, 2016

Na final de estafeta 4x100m livres os Estados Unidos confirmaram o favoritismo e levaram a medalha dourada

Fotografia: AFP

O domingo não terminou com medalhas para o Brasil na natação dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Os anfitriões João Gomes Júnior e Felipe França terminaram em quinto e sétimo lugares na final dos 100m peito, respectivamente. Na decisão de estafeta masculino do 4x100m livre, a selecção brasileira tocou a borda na quinta posição, quase quatro segundos após os campeões norte-americanos. Por outro lado, os adeptos encheram o Estádio Aquático Olímpico puderam acompanhar a quebra de três recordes mundiais em decisões.

Primeiro, a sueca Sarah Sjostrom venceu os 100m borboleta, com o tempo de 55s48, conquistando o seu primeiro ouro olímpico e superando o recorde mundial da prova. A prata ficou para a canadiano Penny Oleksiak, de 16 anos, com 56s46, enquanto a norte-americana Dana Vollmer levou o bronze, com 56s63.
Na prova em que João Gomes e Felipe França foram apenas quinto e sétimo colocados, com 59s31 e 59s38, respectivamente, o britânico Adam Peaty fechou em primeiro, com 57s13, a melhor marca mundial dos 100m peito. O sul-africano Cameron Van der Burgh (58s69) e o americano Cody Miller (58s87) completaram o pódio.

João, no entanto, se deu por satisfeito com o resultado e se emocionou após a competição. “Só tenho o que agradecer a minha família por ter me ajudado a chegar aqui. Não foi fácil, saio bem contente, feliz de coração, sou o quinto do mundo, o quinto de uma Olimpíada. Lógico que eu poderia ter nadado melhor, mas isso aqui é uma Olimpíada dentro do Brasil, é totalmente diferente, todo mundo gritando seu nome, é uma coisa enorme”, disse ao Sportv.

Na sequência, foi a vez de Katie Ledecky se firmar como grande ícone da natação dos Estados Unidos. Campeã dos 800m livre em Londres 2012, a atleta facturou o seu segundo ouro olímpico na noite de domingo ao vencer a prova dos 400m livre. De quebra, a jovem de 19 anos pulverizou o recorde mundial, com o tempo de 3min56s46, colocando-se à frente da britânica Jazz Carlin (4min01s23) e da compatriota Leah Smith (4min01s92).

PHELPS VOLTA
A BRILHAR

Na principal disputa do dia, a final de estafeta 4x100m livre, os Estados Unidos confirmaram o favoritismo e levaram a medalha dourada, com o tempo de 3min09s92. O quarteto norte-americano foi formado por Nathan Adrian, Caeleb Dressel, Ryan Held e o astro Michael Phelps.Conhecido como o “Tubarão de Baltimore”, brilhou ao alcançar sua 23ª medalha olímpica na carreira, sendo a 19ª de ouro. Com 31 anos, Phelps, inclusive, tornou-se o atleta mais velho a subir a um pódio da natação na história dos Jogos Olímpicos.

O grupo brasileiro, integrado por Marcelo Chierighini, Nicolas Santos, Gabriel Santos e João de Lucca, fechou a prova na quinta posição, com 3min13s21. A prata terminou com a França, de Florent Manaudou, com 3min10s53, enquanto a Austrália ganhou o bronze, com 3min11s37.Entretanto, já Etiene Medeiros e Guilherme Guido nem sequer alcançaram as finais nas suas respectivas provas. A pernambucana nadou para 1min01s70 nos 100m costas, terminando em sétimo lugar na sua série eliminatória, resultado que não lhe garantiu um lugar nas semifinais. Já o brasileiro parou nas semifinais da versão masculina da prova. Com o tempo de 54s16, o nadador de Limeira, interior de São Paulo, ficou em último em sua bateria e não se credenciou para competir na final.