Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Phelps diz adeus natao com o 23 ttulo olmpico

15 de Agosto, 2016

Nadador norte-americano despediu-se dos Jogos Olmpicos com a conquista de cinco medalhas de ouro

Fotografia: AFP

O sábado, 13 de Agosto de 2016, já entrou para a história do desporto como o dia da despedida do mito Michael Phelps, que encerrou a sua fantástica carreira com mais uma medalha de ouro, no revezamento 4x100 m medley nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Com a conquista, Phelps encerra a carreira com 28 medalhas olímpicas, sendo 23 de ouro - além de três de prata e duas de bronze em quatro Olimpíadas (Atenas-2004, Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016). O fenómeno de 31 anos também disputou uma prova em Sydney-2000, quando tinha apenas 15 anos.

No Rio de Janeiro, o maior atleta olímpico da história, conquistou seis medalhas: cinco de ouro (4x100 m livre, 200 m borboleta, 4x200 m livre, 200 m medley e 4x100 m medley) e uma prata (100 m borboleta).

Phelps conquistou oito medalhas em Atenas (seis de ouro e duas de bronze), oito em Pequim (todas de ouro) e seis em Londres (quatro de ouro).
Com Phelps no nado borboleta, os americanos venceram o revezamento com o tempo de 3:27.95. Grã-Bretanha (3:29.24) e Austrália (3:29.93) completaram o pódio.

Ao sair da água, Phelps, 31 anos, levantou os braços e saudou a claque, visivelmente emocionado.
"Não vou por outros quatro anos, isto eu garanto. Pude fazer tudo o que queria neste desporto, foram 24 anos. Estou feliz por como as coisas terminaram, foi para isto que regressei da aposentação em 2012, não queria um 'o que teria acontecido se...' dentro de 20 anos", disse o campeão.

No sábado, último dia da natação, a equipa feminina do revezamento 4x100 m medley dos Estados Unidos também conquistou o ouro, apesar de nadar sem a jovem estrela Katie Ledecky.

FEMININO
As nadadoras norte-americana Simone Manuel e canadiana Penny Oleksiak conquistaram  a medalha de ouro da prova dos 100 metros livres do Rio'2016, uma situação inédita no programa da natação feminina em Jogos Olímpicos. Numa final emocionante, digna da prova rainha da natação olímpica, Simone Manuel e Penny Oleksiak foram creditadas com o mesmo tempo, vencendo a prova em 52,79 segundos, novo recorde olímpico.