Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Pilotos recusam correr sob chuva

03 de Março, 2017

A corrida do Qatar acontece à noite e os pilotos receiam que aliado este factor à chuva pode complicar a mobilidade das máquinas

Fotografia: AFP

Com a possibilidade de que a corrida de abertura do mundial, no Catar, seja disputada mesmo sob chuva, alguns pilotos como Maverick Viñales, Pol Espargaró e Álvaro Bautista mostraram o seu cepticismo quando perguntados sobre isso durante o último teste colectivo em Phillip Island.

\"O que temos a fazer é ir lá e tentar, porque realmente nunca corremos na chuva e à noite. O problema será como a luz é reflectida no chão\", disse Maverick Viñales. Por sua vez Bautista replica:\"eu não vejo muito viável. A verdade é que quando você anda na rua com uma moto, o reflexo da chuva fica no centro das suas atenções. Eu não vejo isso muito positivo, mas até tentarmos não vamos saber. Melhor que não chova, assim todo mundo fica feliz\", disse.

\"No final, tem que ser uma decisão em consenso entre os pilotos, não gente aleatória. Não sei por que eles não nos consultaram. Quando chegarmos lá, vamos discutir isso na comissão de segurança na sexta-feira\", acrescentou Pol Espargaró.

\"Se chover vamos ver como isso afectará a luz. Até agora, eu acho que eles só fizeram Uncini e Capirossi andar e com pouca chuva - ou apenas a pista molhada. Não é o mesmo, por causa da diferença de temperatura\", disse Ramon Forcada, chefe de mecânicos de Viñales.

Enquanto isso, a rivalidade entre Marc Márquez e Maverick Viñales deverá dar o tom desta temporada da MotoGP. Para Jorge Lorenzo, tudo está apenas no começo. Comentando a situação numa entrevista ao programa de rádio espanhol El Larguero, o piloto da Ducati comparou Viñales a Márquez e disse que o facto de Maverick ainda não ter conquistado um campeonato o torna mais impulsionado.

A rivalidade entre os dois começou a ferver em Phillip Island, quando Viñales criticou Márquez por segui-lo num stint longo, fazendo com que o piloto da Yamaha abandonasse seu treino. \"Maverick será campeão mais cedo ou mais tarde\", disse Lorenzo. \"Ele é outro piloto como Márquez.”

\"Eu vejo outro Márquez, infelizmente também para outros pilotos. E ele está ainda mais faminto, porque ainda não foi campeão. As velocidades deles parecem semelhantes, são pilotos de domingo e também são excelentes nas travagens. Eu os vejo como muito semelhantes em todos os sentidos.

Maverick é um piloto com fome e com velocidade surpreendente.\"

Nas suas próprias perspectivas para 2017, Lorenzo admitiu que conquistar o título é improvável após um segundo teste complicado com a Ducati em Phillip Island, onde ele foi apenas o oitavo mais rápido, quase 0s8 atrás de Viñales – piloto mais veloz.

\"Maverick parece muito faminto e Márquez estará sempre lá. Dependendo da pista, podemos aspirar à vitória. Ainda não temos uma moto para lutar pelo título, a menos que as coisas mudem muito ou se tivermos muita sorte. Disse.


BRASIL
Mourumbi sofre com falta de shows


O Allianz Parque largou na frente com alguma folga na disputa com o Morumbi para receber os grandes shows internacionais em São Paulo no ano de 2017. O estádio palmeirense já tem cinco datas reservadas, com duas para Justin Bieber e uma para Elton John e James Taylor, outra para Sting e mais uma com Ed Sheeran.

Os eventos ocorrem entre 1 de Abril e 28 de Maio. Os responsáveis pela agenda do Allianz Parque ainda trabalham em cima de outras cinco atrações internacionais, porém os nomes são mantidos em sigilo.

Já o Morumbi não tem qualquer show marcado para o ano. Director de marketing do Tricolor, Vinícius Pinotti tem a esperança de fechar com uma banda gigante no segundo semestre, que poderia fazer dois ou três shows, de acordo com a procura por ingressos. Porém, as negociações não dependem da vontade do São Paulo.