Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Pistorius conta prova de amor em livro

05 de Março, 2013

Blade Runner. o livro relatado por pistorius

Fotografia: AFP

O jornal inglês “The Mirror” destrinçou episódios marcantes da vida do atleta paralímpico Oscar Pistorius, relatados no livro de memórias “Blade Runner”. Na obra, o bi-amputado, que actualmente aguarda julgamento pelo assassinato da ex-namorada Reeva Steenkamp, revela ter sofrido um acidente de automóvel quase fatal, depois de uma discussão com outra ex-parceira amorosa e uma surpresa no mínimo estranha para se reconciliar com ela.

Pistorius tinha um relacionamento conturbado com Vicky Miles, com quem namorava em 2006 e a quem o atleta paralímpico chamava de “o grande amor da minha vida”. No entanto, depois de uma grande discussão, o sul-africano resolveu pegar no carro às 3h00 da manhã rumo a casa da ex-namorada, a mais de 600 km de distância, para tentar a reconciliação. Adormeceu ao volante e quase morreu ao sofrer um acidente.

“Só acordei quando o meu carro bateu num muro. Um lado do veículo estava completamente destruído. O meu comportamento foi ‘imperdoavelmente’ estúpido e arrependo-me desse dia”, escreveu Pistorius.

Dias depois, a 14 de Fevereiro de 2006 - Dia de São Valentim, Dia dos Namorados em alguns países -, o atleta fez uma “loucura de amor” para tentar sensibilizar Vicky Miles.

“No Dia de São Valentim de 2006, a Vicky acordou e encontrou a surpresa que eu tinha preparado enquanto ela dormia. Enchi 200 balões coloridos, um por um, e pendurei nas árvores, no portão e no quintal da casa dela. Depois, peguei numa lata de spray e escrevi artisticamente: ‘eu amo-te, tigreza’ na rua em frente à da casa. Ela ficou sensibilizada”, contou.

Curiosamente, Pistorius matou a sua então namorada, a modelo Reeva Steenkamp, exactamente sete anos depois da “prova de amor” que tinha feito a Vicky Miles. O crime, cometido na casa do atleta paralímpico, ocorreu na madrugada do passado dia 14 de Fevereiro.