Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Pistorius sai do silêncio

16 de Julho, 2014

Mensagens deixadas por Oscar Pistorius revelam o seu mau estado psicológico pela morte da namorada

Fotografia: AFP

O atleta paralímpico Oscar Pistorius, que está a ser julgado acusado de matar a sua namorada Reeva Steenkamp em 2013, voltou a postar uma mensagem de amor e dor na sua conta oficial no Twitter depois de cinco meses de silêncio.

Na sua primeira mensagem, no domingo, Pistorius faz referência a uma citação da Bíblia. "Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado", escreveu Pistorius. Na segunda mensagem, já na segunda-feira,  Pistoruis fez uma montagem de fotos com crianças também amputadas, incluindo uma menina com próteses parecidas com as que usa para competir.

"Temos a capacidade de fazer a diferença na vida de alguém. Às vezes são coisas simples que dizemos ou fazemos que podem fazer alguém sentir-se melhor ou inspirá-los". Logo em seguida, colocou uma imagem que parece ser uma parte do livro das memórias de um sobrevivente do Holocausto, Viktor Frankl, intitulado "A Busca do Homem por um Significado".

"Eu percebi como um homem que não tem nada neste mundo pode conhecer a felicidade, mesmo que seja apenas por um breve momento, na contemplação da sua amada", postou Oscar Pistorius. "Senhor, hoje eu peço que você banhe aqueles que vivem com dor no seu rio de cura. Amém", finalizou o atleta.

Pistorius aguarda pela sessão final do seu julgamento, marcada para o dia 7 de Agosto. O atleta é acusado de ter morto a namorada a tiro no dia dos namorados de 2013.

DOPING
Powell e Simpson
voltam a competir


Asafa Powell e Sherone Simpson viram as penas de 18 meses, por as análises terem acusado positivo num controlo antidoping, serem reduzidas para seis meses, pelo que estão livres de voltar a competir imediatamente.
Os dois atletas já cumpriram os seis meses de suspensão.

Tanto Powell como Simpson mostraram-se radiantes por poderem voltar ao activo. "Sinto um alívio total e finalmente foi feita justiça. As nossas acções não foram intencionais e o TAD reconheceu isso. Estou realmente agradecida", confessou Sherone Simpson.

Powell manteve a mesma linha de pensamento. "Sempre achei que 18 meses para a primeira vez que se acusa positivo não era justo e acabou por ser provado que esse teste positivo veio de um suplemento alterado", sublinhou.