Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Play-off da final comea hoje

20 de Novembro, 2015

Play-off do Campeonato Nacional de hquei em patins vai ser jogado a melhor de cinco partidas a partir de hoje

Fotografia: Jornal dos Desportos

O "play off" da final do Campeonato Nacional de hóquei em patins que começa a ser disputado hoje, às 19H00, no Pavilhão Anexo à Cidadela Desportiva, entre as equipas do 1º de Agosto e da Académica de Luanda, pode proporcionar duelos muito renhidos, segundo Nelson Costa, treinador que já orientou os militares e que várias vezes se sagrou campeão nacional pelo Petro de Luanda.

O técnico que vai ver em campo alguns atletas que formou descreve o potencial das duas equipas mas não aponta favorito, embora admita que a equipa do 1º de Agosto tem um plantel mais apetrechado.

"O 1º de Agosto tem, talvez, a equipa mais apetrechada do campeonato. Tem um banco que pode ser utilizado sem preocupações para o treinador mas não tem mostrado um padrão definido de jogo nem um rigor táctico na sua desenvoltura. Tem na equipa inicial 3 jogadores que já jogaram juntos em outro clube (Juventude de Viana - Nery e o gémeos) e um Mamíkua em bom momento, sem esquecer a veterania sempre desestabilizadora do Zé das Botas. Completa este quadro o bom guarda redes que é cerca de 50% da equipa. Uma boa equipa que deveria estar a fazer mais", concluiu.

Do lado dos académicos o técnico aponta o factor físico que pode ser um obstáculo a superar pela equipa dos veteranos Toy Adão, Didi e  Martin Payero.

"A Académica, totalmente sem banco, mas com jogadores veteranos experientes aliados a uma juventude aguerrida de Pi e Chiquinho que podem fazer boas coisas. Há mais o Big muito determinado na luta pela bola, o Mário com muita segurança na baliza. É uma equipa mais táctica e vemos muitas vezes jogadas que vêem delineadas do balneário. Se factor físico derivado da falta de banco utilizável não a comprometer, estará em melhores condições de vencer", analisou.

Nelson Costa manifestou também seus receios com a arbitragem a ser indicada para os jogos da final.  "Vão ser jogos de roer as unhas, assim espero, mas estou um pouco séptico pois a arbitragem para mim tem estado muito pouco homogénea e com erros graves de palmatória que já não se admitem. Não falo em tendências para esta ou aquela equipa mas, sim erros. Esperemos que as duplas a serem nomeadas sejam as melhores e que encarem os jogos com serenidade e responsabilidade".

Com as cartas lançadas, resta aguardar pela hora do apito inicial e que, contrariamente ao que aconteceu nos jogos da meia-final, a organização consiga garantir o policiamento do local de disputa. Antes as equipas do Petro de Luanda e do Sagrado Coração de Jesus disputam o terceiro lugar.