Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Polcias engo" Ngola

GAUDNCIO HAMELAY | NO LUBANGO - 09 de Junho, 2018

A conquista dos principais trofus da IV Edio do Grande Prmio Ngola, deixou satisfeito o treinador do Interclube

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

Num único trago, a cerveja entrou no \"papo\" sem resistência e sem velocidade. Com 20min13s11, Luís Cuvíngua conquistou a prova de meio de fundo, também designado de IV edição do Grande Prémio N\'gola, disputada num percurso de sete quilómetros na cidade de Lubango, no último fim de semana. Na prova sob a chancela do clube Okuhateka, o fundista do Interclube arredou para lugares subsequentes os colegas de equipa, David Elias (22min23s84) e Adelino da Silva (23min25s38).

Na classe feminina, Ernestina Paulino estabeleceu a marca de 25min48s42. A fundista do Interclube subiu ao pódio acompanhada de Francisca Walende, do Clube da Saúde da Huila (27min47s12) e Lucelia Beno, do 1º de Agosto (28min59s56).Na classe paralímpica, Pedro Samuel, da classe auditiva, venceu a prova com 24min32s37, seguido por Kito Augusto (30min03s66). Na classe popular, o troféu coube a André da Silva (25min68s68) e Maria Bimbi (27min58s16).Na categoria de massificação, o Clube de Treinamento Jamba Sport subiu ao lugar mais alto do pódio, com Salteano Faria (23min49s10) e Cristina Vieira (30min45s75).

Mais de 130 crianças, dos 12 a 15 anos de idade, afectas às escolas Mandume, Missão Católica, 1º de Maio, Escolas nºs 50 e 13, Baptista, Colégios Fercal, Pirilâmpo, Dom Samuel e FAS coloriram o evento. Também participaram os clubes 1º de Agosto, Interclube, Ferroviário da Huíla, Clube da Saúde do Lubango, Interclube da Huila, Clube Desportivo da Huila, Clube de Treinamento Jamba Sport, Benfica do Lubango, atletas paralímpicos e populares, num total de 108 desportistas.

 

TROFÉUS AGRADAM

A TREINADOR SECO

A conquista dos principais troféus da IV Edição do Grande Prémio Ngola, deixou satisfeito o treinador do Interclube, Augusto Diogo \"Seco\". O especialista justificou que a equipa domina as provas de fundo no país e \"não constitui surpresa\".\"Os atletas preparam-se para a Taça Nacional, um troféu que foge da galeria há três épocas. O nosso objectivo é resgatá-lo\", disse.

Augusto Diogo sustentou que a Taça Nacional \"é uma competição de grande envergadura\" e os atletas demonstraram na prova de Okuhateka \"o que devem exibir em Luanda\", apesar da ausência de Miguel Mota, fundista do 1º de Agosto, \"um adversário muito forte\".\"Avelino Dumbo correu e deu a luta possível, assim como outros adversários. Os meus atletas só conseguiram vencer na ponta final graças à maior resistência. Estão de parabéns pela conquista dos troféus\", disse.

Augusto Diogo prometeu trabalhar na intensidade, sobretudo, nas séries curtas com tempos cronometrados, para dar velocidade aos atletas. O objectivo é possuir a capacidade de saírem rápido e finalizarem as provas em alta performance. 

ATLETISMO
Okuhateka cria Centro de Alto Rendimento

O projecto Okuhateka vai criar no Lubango, nos próximos meses, um Centro de Alto Rendimento, para acolher os talentos que despontam no clube. A garantia é de Ana Isabel, coordenador da instituição.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, no final da IV edição do GP Ngola, realizado sábado último, no Lubango, Ana Isabel justificou que \"há a necessidade de se acompanhar e direccionar os 20 talentos existentes no clube\" para se obterem as melhores marcas.
\"Vamos recolher os talentos num único espaço, à semelhança de Francisca Walende, proveniente do município de Caconda, e dar-lhes uma direcção plena. A Walende está em minha casa e assim está melhor orientada\", disse.
Para o funcionamento do Centro de Alto Rendimento, Ana Isabel explicou que estão em negociações com o Ministério da Juventude e Desportos para ceder um lugar no Estádio Nacional de Tundavala.
\"Tão logo se reabilite o Estádio, vão ceder-nos um espaço para servir o projecto de massificação de atletismo Okuhateka. Já tenho o aval da Ministra da Juventude e Desportos\", garantiu.
Ana Isabel prometeu contratar técnicos locais para acompanharem as crianças ou formar os professores. O projecto Okuhateka existe há quatro anos e movimenta 5.340 crianças catalogadas em 14 municípios da Huíla. O número encanta a coordenadora.
\"É um bom número. Todos os municípios trabalham com força para o desenvolvimento do atletismo\", disse com satisfação.
Quanto à IV edição do GP Ngola, Ana Isabel disse que \"superou as expectativas\" quer pelas marcas obtidas quer pela organização, comparativamente a edições anteriores.
\"O projecto Okuhateka está no bom caminho. A moldura humana foi salutar. O número de participantes (federados, populares, paralímpicos) é considerável. A organização está satisfeita\", disse.
 
       ATLETISMO
Interclube volta à pista

O Interclube volta a competir nas provas sob a égide da Associação Provincial de Atletismo de Luanda, depois de pagar a dívida de 98 mil kwanzas. O valor corresponde a taxa de filiação referente à época 2017/2018. O clube do Rocha Pinto foi impedido de participar da sexta jornada do campeonato na categoria de seniores, disputada no final de semana passado no Estádio dos Coqueiros.
A fonte ligada à direcção da equipa da Polícia Nacional, que não quis ser identificada, disse, em declarações ao Jornal dos Desportos, que a dívida foi liquidada na passada segunda-feira. Com o fim do \"quilape\", o Interclube vai, doravante, competir em todas as provas. \"Pagámos a dívida de 98 mil kwanzas, que já se arrastava há muito tempo. Agradecemos e pedimos desculpas à Associação Provincial pela demora\", disse.
Contactado pela reportagem do Jornal dos Desportos, o Secretário Geral da Associação Provincial de Atletismo de Luanda, Pascoal Chitumba, confirmou o pagamento.
\"O Interclube pagou a dívida\", disse.
O dirigente afirmou que estão também em falta outros clubes como o Progresso Sambizanga, Escola Dibondo Abrão e Rui Mingas. Os devedores não vão competir na Taça Nacional, que se disputa entre 16 e 17 de Junho próximo. 
\"As equipas, que não efectuarem o pagamento, não vão participar do campeonato provincial e da Taça Nacional\", prometeu.
O Secretário-Geral falou da importância desses valores.
\"O dinheiro serve para pagar os juízes, os cronometristas e outras despesas correntes, já que não temos patrocínio\", justificou.
O atleta do Interclube, Nicolau Buende, mostrou-se regozijado pelo pagamento da dívida. 
\"Estou feliz, porque já não competia desde Janeiro. Fui impedido na sexta jornada. Agora que se aproxima a Taça Nacional, é importante disputarmos as provas provinciais para avaliar a forma desportiva\", disse.
Os clubes pagam a taxa de filiação antes de começar a competição no mês de Outubro e o valor é fixado em 98 mil kwanzas por equipa.                                                   PEDRO FUTA