Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Portugal brilha no Europeu de Canoagem

17 de Julho, 2017

Portugal encerrou ontem os Europeus de canoagem com duas medalhas de prata, que se juntam ao ouro de Fernando Pimenta no sábado e assim colocam a selecção em sexto lugar do quadro de medalhas da competição.

Depois de revalidar sábado o título europeu do K1 1000 metros, Pimenta tentava repetir o feito nos 5000, mas o alemão Max Hoff, um dos seus maiores rivais internacionais, teve um pouco mais de forças e deixou o português (19.22,640 minutos) a 1,420 segundos do sonho.

Pimenta também tinha feito esta manhã o K1 500, distância para a qual não está propriamente talhado, ficando em oitavo.

A segunda medalha sénior de Joana Vasconcelos e a primeira de Francisca Laia surgiu no K2 200, com a dupla a fazer a distância 36,777 segundos, a 0,250 das ucranianas Mariia Kichasova e Anastasiya Horlova e com uma vantagem de 0,340 sobre as polacas Dominika Wlodarczyk e Katarzyna Kolodziejczyk.

A prata foi o melhor resultado de Vasconcelos, que em 2012 tinha sido bronze com Beatriz Gomes - a atleta cumpriu três provas na Bulgária, sendo ainda nona em K2 500 com Teresa Portela e no K4 com as suas companheiras e ainda Maria Cabrita, enquanto Laia participou em duas provas.

Das três medalhas de Portugal, apenas a de K1 1000 é distância olímpica.

O K2 500 de Joana Vasconcelos e Teresa Portela foi nono, em 1.44,744 minutos, a 6,140 segundos do ouro da Alemanha, que se impôs à Eslovénia por 0,392 e à Polónia por 2,028.

Desdobrando-se em três tripulações diferentes, tal como Vasconcelos, Teresa Portela foi oitava em K1 200, distância na qual tem três medalhas de bronze no currículo.

Em C1 200, Hélder Silva arrancou na frente, mas terminou em sétimo, enquanto na C2 200 com Nuno Silva ficaram em oitavo.

Estas não foram, no entanto, as finais mais desejadas, já que a transição para os futuramente olímpicos 1000 metros nas canoas foi feito sem final, a única disciplina que os lusos não foram tão bem-sucedidos. Ainda assim, a adaptação promete frutificar.

Na final B de K2 500, a outra prova que Portugal falhou a regata das medalhas, Emanuel Silva e João Ribeiro foram segundos, o equivalente ao 11.º lugar final, ao concluir a prova em 1.28,644, a imperceptíveis 0,036 segundos da tripulação de Espanha.

A dupla, que se destacou na canoagem lusa com o quarto lugar no Rio2016, nos olímpicos 1000 metros, não pode competir nesta distância em Plovdiv, pelo facto do horário ser muito próximo do prioritário K4 500, que os atletas fazem com David Fernandes e David Varela, e que foi concluído com promissor sexto lugar no sábado.

Em K2 500, Emanuel e João foram campeões do mundo em 2013 e da Europa em 2014.

Na paracanoagem, Floriano Jesus foi nono em KL1 200, em 1.02,456 minutos, a 13,936 do ouro do italiano Esteban Farias. Norberto Mourão falhou, no sábado, a presenta na final de KL2 por um lugar, tendo sido quarto na semifinal.